0

Oportunidades – Começaram hoje as Inscrições para cursos técnicos nos Institutos Federais, inscrições aqui

images323Os candidatos a vagas em cursos técnicos gratuitos podem fazer a inscrição pela internet, a partir de hoje, 29/06, no Sistema de Seleção Unificada da Educação Profissional e Tecnológica (Sisutec) do Ministério da Educação. Por meio do Sisutec, a iniciativa Bolsa-Formação, do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec), oferece cursos técnicos a pessoas que concluíram o ensino médio. O período de inscrições vai até 3 de julho próximo.

Índice44A edição de 2015 do Sisutec oferece 83.641 vagas em 515 municípios de todos os estados e no Distrito Federal. Os cursos têm início previsto para o período de 3 a 31 de agosto próximo. São responsáveis pela oferta de cursos os institutos federais de educação, ciência e tecnologia, as redes públicas estaduais, as instituições particulares habilitadas pelo Pronatec e os serviços nacionais de aprendizagem do Sistema S.

As vagas para os cursos serão ocupadas, prioritariamente, por estudantes que tenham cursado o ensino médio completo em escolas da rede pública ou, em instituições particulares, na condição de bolsistas integrais. O candidato também deve comprovar participação no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2014, com nota na prova de redação que não tenha sido zero.

A divulgação dos resultados, em primeira chamada, está prevista para 7 de julho e, em segunda chamada, para o dia 14 do mesmo mês. Após a realização das duas chamadas, todos os estudantes que tenham concluído o ensino médio entre 2012 e 2014 podem concorrer às vagas remanescentes.

Mais informações no Edital nº 5/2015, da Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica (Setec) do MEC, retificado pelo Edital nº 6/2015.

 

Confira as vagas do Sisutec por estado e por curso

3

Elefante Branco – Posto de Saúde deveria estar funcionando há meses

20150626_145308_resized

Novo(a) Apresentação do Microsoft Office PowerPoint Recepção e Lateral depredada

O Posto de Saúde do Residencial da Trizidela, deveria ter sido inaugurado no dia 16 de abril, aniversário de emancipação política da cidade, porém, o que era pra estar funcionando a pleno vapor, na verdade se acaba com o tempo e com a depredação de vândalos.  Já é habitual a atual administração municipal, não finalizar suas obras, conforme já denunciamos aqui. A falta de planejamento faz com que as obras iniciadas não sejam finalizadas em detrimento de outras. Exemplo: O governo municipal anuncia o início da obra A, todo o aparato do município é acionado através da Secretaria de Obras, com isso vinte pedreiros começam a trabalhar na obra A. Em seguida o prefeito anuncia a construção de um prédio B, aí vem a jogada, vinte e cinco pedreiros da obra A são remanejados para a obra B, e assim a obra A não termina nunca, e assim sucessivamente. Várias obras estão a passos de tartaruga na cidade e algumas estão paradas mesmo. Haja irresponsabilidade com o dinheiro público!

0

Se a CBF fosse ‘o Brasil que deu certo’, Dunga estaria desempregado

Por Rodrigo Borges – Carta Capital

“Eu até acho que eu sou afrodescendente, de tanto que eu apanhei e gosto de apanhar. Os caras olham pra mim: ‘Vamos bater nesse aí’. E começam a me bater, sem noção, sem nada. ‘Não gosto dele’ e começam a me bater.”

Dunga em entrevista coletiva

Há quem tenha dito que Dunga não quis dizer o que disse. Que se atropelou nas palavras, na própria incapacidade de se expressar, já comprovada em diversas ocasiões. Talvez. Quem não convive intimamente com o técnico da seleção brasileira não tem como saber o que ele pensa sobre questões além do futebol. Mas o teor de sua frase, intencional ou não, é inaceitável. Fosse a CBF o país que deu certo, como disse Carlos Alberto Parreira, Dunga desde sexta-feira estaria desempregado.

Mesmo que não se saiba o que pensa o técnico sobre questões raciais, mesmo que a frase tenha sido mal formulada, como tantas outras ditas por ele em suas mais de três décadas trabalhando no futebol, Dunga fez uma declaração de teor racista.

Negros não gostam de apanhar. Negros foram subjugados, arrancados de suas famílias e de sua terra para uma vida de sofrimento. E este sofrimento, óbvio dizer, não acabou com a abolição da escravatura. A maior parte dos pobres brasileiros são negros ou seus descendentes, assim como os presidiários do país. Os negros são minoria entre as classes A e B, são minoria nas universidades. Os episódios de racismo nas ruas brasileiras são comuns. Como mostrou relatório do Ipea, analisado por Douglas Belchior, 70% dos assassinatos no Brasil têm negros como vítimas.

Dunga passou toda sua vida no futebol cercado de negros, porque é o futebol uma das poucas áreas em que lhes é permitido que sejam estrelas, ascendam socialmente e ganhem dinheiro. E Dunga sabe a vida de sofrimento que tem um negro no Brasil. Daí ser ainda mais grave sua frase infeliz numa entrevista coletiva durante a Copa América, com os ouvidos do mundo prontos para ouvir o que diria.

O treinador é um homem branco, bem-sucedido, ocupa um cargo importante e é extremamente bem remunerado. Ao comparar as críticas que recebe por seu trabalho com as surras que negros receberam no passado e recebem no presente, Dunga prejudica a luta de todos aqueles que querem direitos iguais, que desejam ver negros, gays, homens e mulheres de todas as religiões recebendo tratamento igual, oportunidades idênticas. Tendo o mesmo acesso a educação e saúde, a boas condições de vida.

Se desculpar por meio de uma minúscula nota divulgada pela CBF, em que diz que “a maneira como me expressei não reflete os meus sentimentos e opiniões” não apaga a frase desastrosa de alguém que, cinco anos atrás, ao convocar a seleção para a Copa que seria disputada na África do Sul, disse que não poderia opinar sobre apartheid, ditadura porque não sentiu na pele estas situações.

Aceitar que a frase de Dunga foi apenas mais um equívoco do treinador, como fez a CBF, é um tapa na cara de todos os brasileiros. De todos aqueles que lutam diariamente pela construção de um país melhor.

0

Não foi dessa fez, FLA perde clássico e faz Vasco respirar

Alan Patrick entrou no segundo tempo

Alan Patrick entrou no segundo tempo

O Flamengo enfrentou o Vasco na tarde deste domingo (28/06) e perdeu por 1 a 0, gol de Riascos. Após o clássico disputado na Arena Pantanal, o próximo compromisso do Rubro-Negro é na quarta-feira (01.07), às 22h, contra o Joinville, na Arena Joinville.
O jogo
O Flamengo começou a partida pressionando o Vasco desde o princípio. Éverton e Márcio Araújo tiveram bons lances roubando a bola próximos à área vascaína, mas não conseguiram concluir. O gol cruzmaltino veio aos 15 minutos. Riascos aproveitou cruzamento e cabeceou sem chances para Cesar. Atrás no placar, o rubro-negro definiu sua proposta de jogo: pressionar e buscar o resultado. O time passou a jogar ainda mais no campo do adversário e apertá-lo contra a própria área.
Na segunda etapa, o panorama não se alterou. Cristóvão Borges trocou Anderson Pico por Alan Patrick. O meia mostrou boa movimentação em campo e ajudou o Rubro-Negro a crescer ainda mais para cima do rival. O camisa 27 teve grande chance aos 34, quando recebeu passe que Wallace aproveitou de uma sobra de escanteio e chutou forte, mas o goleiro Charles defendeu. O Flamengo chegou a ter 70% de posse de bola e rodava-a em busca de espaços, mas a defesa adversária não os deu. O treinador ainda trocou Éverton e Eduardo por Paulinho e Cirino, mas o placar não se alterou.
Fonte: Site Oficial do Clube
0

Mais de 70% dos professores do país desconhecem métodos para dar estímulo a alunos

25/06/2015. Crédito: Ana Rayssa/Esp. CB/D.A. Press. Brasil. Brasília - DF.  Qualidade das aulas nas escolas públicas. Kevin Batista (boné) e Icaro Veloso Siqueira.

25/06/2015. Crédito: Ana Rayssa/Esp. CB/D.A. Press. Brasil. Brasília – DF. Qualidade das aulas nas escolas públicas. Kevin Batista (boné) e Icaro Veloso Siqueira.

Entrevistador: Você gosta de ir à aula?
Aluno:   — Depende do professor.

A resposta é recorrente entre os estudantes das escolas do Distrito Federal. Eles associam o interesse pelo conteúdo diretamente às estratégias metodológicas dos educadores. O modelo de “chefe” com conhecimento passado de forma unilateral é considerado ultrapassado por eles. Pesquisa realizada pela professora emérita do Instituto de Psicologia da Universidade de Brasília (UnB) Eunice Soriano de Alencar indicou que os elementos mais apontados por professores como barreiras à promoção da criatividade foram alunos com dificuldades de aprendizagem em sala de aula (68,9%) e desinteresse pelo conteúdo ministrado (49,1%) (veja Limitações).

Outro estudo de Eunice, desta vez com gestores de instituições de ensino fundamental (leia Desinteresse), mostrou que, para 70,3% desse grupo, os docentes desconhecem práticas pedagógicas que estimulem o desenvolvimento criativo dos estudantes. É um tema que, apesar da importância, não tem recebido a atenção devida nos cursos de formação de educadores. “Tanto o despreparo do aluno quanto o seu desinteresse são questões que necessitam ser mais discutidas com vistas a encontrar meios para minimizar o problema. Uma razão para tal é a necessidade de se formar profissionais bem qualificados para atender às exigências do mercado de trabalho e aptos a resolver problemas imprevisíveis que requerem soluções criativas”, explica a especialista.

Para a estudante do 2º ano do ensino médio Milena de Sousa, as aulas, no modelo atual, são cansativas. “Falar, falar e, depois, fazer exercício é muito chato. Os professores não buscam novos métodos”, lamenta. Ela conhece os dois lados do ensino e diz que a criatividade é o mais estimulante dentro da sala de aula e depende de cada docente. “Temos um professor de história que inovou completamente. Ele debate temas atuais, contextualiza o conteúdo, faz rodas de discussão e prende a atenção. Ele é nosso amigo, não mantém aquela relação de ‘pirâmide’”, diz a estudante.

Fonte: Correio Brasiliense

0

Dunga aponta ‘virose coletiva’ e promete fazer reflexões na Seleção

Coletiva-Dunga-Miranda-FotoCleber-MendesLANCEPress_LANIMA20150620_0045_24

Muitos questionamentos esperavam por Dunga durante a coletiva de imprensa após a eliminação da Seleção Brasileira na Copa América. E logo na primeira resposta, o treinador revelou que o grupo foi afetado por uma virose durante a semana que antecedeu o duelo contra o Paraguai.

– Não estou usando isso como desculpa, mas cerca de 15 jogadores foram atingidos por uma virose. Eles tiveram dores de cabeça, dores nas costas, mal estar no corpo. E isso variou, uma vez que teve gente que sentiu mais que o outro. Por conta disso precisamos diminuir o ritmo de treinos com o objetivo de recuperar eles para a partida. Frisei que a nossa velocidade seria fundamental, mas não conseguimos regularidade – declarou.

A situação, inclusive, foi decisiva para o treinador trocar Willian e Robinho justamente por Douglas Costa e Everton Ribeiro, os dois jogadores que perderam as penalidades durante a decisão da vaga na semifinal.

– Gostaria de ter mantido o Willian e o Robinho. Mas o Willian passou mal no intervalo, e o Robinho no fim estava muito cansado. E por isso precisei optar por jogadores, uma vez que queria vencer a vaga no tempo normal, não coloquei eles já pensando na decisão nos pênaltis – declarou.

Dunga reconheceu também que o Brasil não jogou bem e que apresentou muitos problemas na Copa América. Mesmo assim, ele lembrou as séries de lesões que precisou conviver durante a competição e acreditou que o saldo é positivo.

– Acho que foi uma boa Copa América. Demos experiência para jogadores que ainda não tinham vivenciado este tipo de situação e chegarão mais preparados para as Eliminatórias. Esse é o nosso principal objetivo. É preciso lembrar também que perdemos cinco jogadores importantes e que dariam uma experiência ainda maior aqui no Chile. No futebol nem sempre se ganha. Vamos fazer reflexões, arregaçar as mangas junto com minha equipe de trabalho e trabalhar muito para encontrar soluções – analisou.

A delegação brasileira deixará o Chile neste domingo pela manhã. O próximo compromisso da Seleção acontece em setembro, quando fará dois amistosos nos Estados Unidos. As primeiras rodadas das Eliminatórias para a Copa de 2018 acontecem em outubro. Os adversários serão conhecidos em julho, quando o sorteio com a ordem das partidas será realizado na Rússia.

Fonte: Lancenet!
0

Da idolatria ao deboche: A nova realidade da Seleção Brasileira

A primeira Copa do Mundo que acompanhei, do primeiro ao último duelo, foi a de 1994. O Brasil não ganhava um título há 24 anos e chegou aos Estados Unidos desacreditado, após uma suada classificação nas Eliminatórias. Lembro que não era uma Seleção prestigiada. Mesmo assim, a mística da amarelinha ainda envolvia os jogadores e torcedores.

Eram 22h20, da última quinta-feira, quando o ônibus levando a turma de Dunga apontou nos arredores o Hotel Radisson, em Concepción. Chovia e fazia frio. Havia um grande contingente de policiais. No final das contas, um grupo de 100 jovens se concentrou na porta do local para receber a Seleção.

Receber? Definitivamente, não….

A maioria veio mesmo zombar e provocar. Gritaram “Messi, Messi”, “Neymar, Neymar” e “Chi Chi Chi Le Le Le”. Somente o nome de David Luiz fez certo sucesso.

© Fornecido por Goal.com

Triste realidade

Esta é a situação do futebol canarinho na Copa América. Se em 1994 o jejum de conquistas mundiais estava nos 24 anos, agora, em 2015, estamos em pouco mais da metade disso (13 temporadas, depois de 2002). Porém, o fator 7 a 1 resultou numa perda de respeito significativa, tanto de torcedores, quanto de adversários.

Só para lembrar que ao ser perguntado sobre os nomes perigosos da Seleção, o paraguaio Marcos Cáceres – adversário das quartas de final do torneio sul-americano, neste sábado, às 18h30 (de Brasília) – só citou o meia Willian.

O Brasil sempre atua como visitante em terras chilenas, aos coros de “7 a 1, “7 a 1” e em meio a bandeiras da Alemanha espalhadas nas cadeiras. Os rivais sabem que podem nos bater e partem para cima. É o tal do “Sí, se puede”.

Sem Neymar, suspenso, a situação piorou de vez!

Toda essa atmosfera contra até causa um certo sentimento de “vingança” em nós, jornalistas brasileiros. Comentamos: “A Seleção poderia tanto ganhar essa Copa América, para calar a boca da galera”. Logo depois, refletimos e constatamos que o título somente “taparia o sol com a peneira”.

Confesso, está difícil!

0

Bombeiro cai de helicóptero ao descer no rapel

Um sargento do Corpo de Bombeiros levou uma queda enquanto descia de um helicóptero da Coordenadoria Integrada de Operações Aéreas (Ciopaer) na tarde desta sexta-feira (26) em Caucaia, na Região Metropolitana de Fortaleza. Uma moradora, que não quis se identificar, registrou o momento do acidente.(Veja o vídeo)

Segundo a Secretaria de Segurança e Defesa Social do Ceará (SSPDS-CE), o sargento participava de uma operação policial no Bairro Capuan quando desceu pelo rapel do helicóptero, e não teve controle da velocidade da descida.

Ainda de acordo com a SSPDS, o sargento teve fratura nas pernas e foi levado para o hospital Instituto Dr. José Frota, em Fortaleza. A secretaria não soube dar detalhes da ocorrência que o sargento participava e as causas do acidente.

Já de acordo com a Polícia Militar, o sargento está descendo em uma velocidade acima do ideal, mas não sabe informar ainda as causas do descontrole da descida.

0

Relatório aponta crimes de Ricardo Murad em 2009

Ex-secretário de Saúde Ricardo Murad.

Um Relatório de Informação Técnica divulgada pelo Tribunal de Contas do Estado aponta irregularidades na gestão de Ricardo Murad, quando secretário de Saúde do Estado no ano de 2009, podem ter causado prejuízos ao erário, conforme documentos obtidos pelo Blog do Neto Ferreira.

Segundo o relatório do TCE, Murad cometeu cinco graves ilegalidades que pode resultar em condenação. Ele afrontou a lei com ausência do Inventário de Bens Imoveis, Balanço Orçamentário, Comparativo de despesa autorizada com a realizada e foi constatado divergência entre os valores constantes no balancete.

Confirma-se, assim, que apenas, teria ocorrido o lapso de se ter constatado na primeira análise da conta anual feita Tribunal de Contas o fato do controle interno não ter percebido esta distinção entre Unidade Administrativa e Unidade Orçamentária.

A execução orçamentária, financeira e patrimonial dos órgãos estaduais é operacionalizada através dos Sistemas SIAFEM e SIAGEM. É possível extrair a respectiva nota de empenho no SIAFEM, para posterior liquidação da despesa de empenhada (SIAGEM), e por fim, a emissão da devida ordem bancaria.

Nessa ocorrência, constatou-se que a diferença apresentada decorreu apenas de uma medida de salvaguarda dos dados inseridos nos sistemas, quando as transações entre as contas de resultado e de natureza patrimonial não foram concluídas devido algumas interferência anômala, fazendo com que os valores informados fossem registrados provisoriamente na conta denominada materiais em transito.

Após a análise do Balanço Patrimonial foi constatado improbidades: o saldo de mais de R$ 30 milhões da conta Bens Imóveis não pôde ser confrontado com o respectivo Inventário de Bens Imóveis, eis que em lugar deste se fez constar a declaração de “não cabível.

Outro ponto foi na ausência de autenticidade no Relatório do Serviço de Contabilidade, responsabilidade solidária de Maria das Graças Barros. Houve também omissão nos esclarecimentos de efetuação de pagamentos a duas Ongs em valores que somados ultrapassam R$ 12 milhões, além de ausência demonstrativo sintético dos procedimentos licitatórios realizados no exercito.

Por ultimo, a auditoria constatou ausência no resumo das Conciliação Bancárias.

O ex-secretário de Saúde se complicou não somente com o Tribunal de Contas do Estado, mas também com a Controladoria Geral da União (CGU), que faz uma devassa nos contratos para os serviços de manutenção das UPAs consumiram mais de R$ 1 bilhão.

Blog do Neto Ferreira