0

Bandidos explodem mais um terminal eletrônico no Maranhão

bancoMais um terminal de autoatendimento bancário foi explodido nessa madrugada, desta vez a cidade alvo foi Afonso Cunha.  Numa ação que durou pouco tempo e que contou com a participação de no mínimo seis homens fortemente armados, explodiram o terminal do Banco Bradesco, após a explosão os bandidos levaram três pessoas como reféns, qua já foram liberadas durante a fuga. Não há registro da quantidade levada na ação, nem a localização do veículo utilizado que possivelmente seja um Corolla preto.

0

Santo Amaro: presidente da Câmara recebe propina após aprovar projeto da Prefeitura

 propinaAliados da prefeita de Santo Amaro, Luziane Lopes Rodrigues Lisboa, deixaram vazar, ontem (28), um vídeo em que a presidente da Câmara Municipal, Maria Divina, aparece recebendo propina da secretária de Educação, Aurinete Freitas, após a aprovação de um projeto de interesse do Executivo municipal.

Nas imagens, gravadas no prédio da Câmara Municipal, numa sala contígua ao plenário, a presidente aparece chegando logo após o fim da sessão de aprovação. Ela senta, recebe o dinheiro e começa a conferir.

São R$ 500 a cada vereador que participou do esquema, mas Divina dá a entender que falta dinheiro.

“Os outros [vereadores], a prefeita acerta, tá bom?”, ressalta Divina.

A secretária, então, pergunta a quem se destina a primeira remessa.

“É só do [ininteligível], Zeca Dentista, Dodó e meu”, responde ela, que arremata: “O meu é dobrado!”.

Zeca Dentista é José Maria Silva Filho e Dodó é Claudiomar Azevedo Carneiro.

As imagens surgem apenas dois dias depois de o Legislativo aprovar o afastamento da gestora, por 180 dias.

Dos 9 vereadores, cinco votaram a favor: Dodó Carneiro (PT), Geni Silva (PTB), Maria Divina (PSDC), Zeca Dentista (PDT) e Zeca da Travosa (PDT).

Curiosamente, três deles são citados entre os beneficiários da propina: a própria Divina, Dodó Carneiro e Zeca Dentista.

Fonte: Blog do Gilberto Léda
0

Desafios da Política em 2016

Emerson Alessandro Tognetti

O ano de 2016 será marcado por mudanças Políticas Radicais no Cenário Político Nacional. A Operação Lava Jato, o possível Impeachment, a Cobertura da Mídia, as Manifestações e as Redes Sociais vão ditar os novos caminhos.

A população brasileira está cansada do atual processo eleitoral, além disso, não respeita mais as autoridades, tais como: policiais, guardas, professores, diretores, médicos, advogados, juízes, vereadores, prefeitos, deputados, senadores e presidente.

Por esses motivos, as Eleições de 2016 vão mostrar uma ampla desaprovação nas Urnas. Ou seja, muitas autoridades democraticamente eleitas não vão conseguir a Reeleição; além disso, o número de votos Brancos e Nulos vão aumentar assustadoramente.

Para sobreviver as mudanças políticas de 2016 será preciso contar com uma equipe de governo séria e determinada. Será preciso elaborar uma projeto de governo concatenado com as necessidades da população. Isso porque discursos vazios e bravatas não serão mais tolerados.

Por: Emerson Alessandro Tognetti

0

Polícia já tem indícios dos envolvidos na morte do filho do vereador de Codó

A Polícia já tem uma linha de investigação que poderá levar à elucidação e a prisão das pessoas envolvidas na morte do Haroldinho, filho do vereador Chiquinho do SAAE. A qualquer momento poderemos ter surpresas por conta da polícia já ter as informações de quem ofereceu a moto, quem pilotou e faltam pequenos detalhes para se fundamentar os pedidos à Justiça dos Mandados de Prisão  dos criminosos.

Este crime poderá ter um desfecho que nem mesmo os pensamentos mais negativistas poderiam esperar. Há muitos interesses nesse crime, por um lado a família e a sociedade que esperam que a justiça seja feita e do outro um pequeno grupo de pessoas que adotaram a filosofia do “quanto pior melhor” para desestabilizar o atual delegado regional, Alcídes Nunes, o atual delegado não tem culpa do que aconteceu.

O atual delegado assumiu o comando da Regional num período onde houve uma crescente nos índices de violência, nem por isso deixou de dar respostas aos casos que ocorreram desde que assumiu o cargo, o caso Haroldinho é um exemplo desse esforço e união das polícias Civil e Militar em Codó, fato que não ocorria a mais de dez anos.

0

Aniversariante do dia – Leandro de Sá

desaCompleta hoje mais um ano de vida o blogueiro, apresentador e amigo de todos, nosso querido Leandro de Sá.

Como todos já sabem do seu talento e ousadia,  só nos resta aqui, nessa humilde homenagem desejar a você Leandro, que esta data possa ser comemorada por muitas e muitas vezes , além de desejar ainda que você tenha muito sucesso na sua vida, pois está comprovado que força de vontade e determinação para o trabalho você já tem.  Saúde e Sucesso em sua carreira!

Vou confidenciar aqui a vocês uma coisa, muita gente duvida, mas além da facilidade da comunicação este rapaz tem uma habilidade em incorporar um personagem que somente os amigos dele pode curtir, Pai Zezin de Bojuboá!

0

Novo salário mínimo de R$880 terá impacto extra de R$2,9 bilhões no orçamento

Moedas de real. 15/10/2010 REUTERS/Bruno Domingos A presidente Dilma Rousseff assinou nesta terça-feira o decreto reajustando o salário mínimo de 2016 para 880 reais, a partir de 1º de janeiro, um aumento de 11,6 por cento em relação ao valor que vigorou em 2015.

O decreto será publicado na quarta-feira no Diário Oficial da União.

O impacto total do novo salário mínimo é superior ao previsto no Projeto de Lei Orçamentária Anual (PLOA) 2016 de aproximadamente 4,77 bilhões de reais, afirmou o Ministério do Planejamento em comunicado mais tarde.

Segundo o ministério, dos 4,77 bilhões de reais, 1,87 bilhão já foi incorporado ao orçamento durante a tramitação da Lei Orçamentária Anual (LOA) no Congresso Nacional. Os outros 2,9 bilhões de reais do impacto do novo valor do salário mínimo não foram previstos na LOA.

“Isso aconteceu pois, durante a tramitação da LOA no Congresso Nacional, houve uma revisão dos parâmetros macroeconômicos que já apontava para um valor do salário mínimo superior. Na ocasião, em função dessa revisão, o relator do orçamento fez uma estimativa, que resultou na incorporação dos 1,87 bilhão de reais ao orçamento”, afirmou o ministério.

(Por Lisandra Paraguassu e Bruno Marfinati)

0

Anistia critica omissão do Estado na morte de líder rural no Maranhão

Antonio Isídio Pereira da Silva, de 52 anos

Agência Brasil de Notícias – A Anistia Internacional classificou como “falha sistêmica do Estado brasileiro” a morte do líder rural Antônio Izídio Pereira”, no Maranhão. Desaparecido desde o dia 20 deste mês, ele foi encontrado morto no dia 24 de dezembro.

A organização diz, em nota divulgada hoje (29), que, um dia antes do seu desaparecimento, Antônio Izídio havia dito que denunciaria o desmatamento, em Vergel, região a 50 quilômetros da cidade de Codó, no interior do Maranhão, onde residia. A localidade, segundo a Anistia, é habitada por pequenos agricultores que sofrem pressão de grileiros. “Antônio Izídio era uma das lideranças comunitárias que vinham denunciando a ação de madeireiros e grileiros nos últimos anos na região, sofrendo ameaças de morte e intimidações por conta disso”.

A Anistia informa ainda que não houve instauração de inquérito policial sobre o caso e que a morte não está sendo investigada. “O registro de óbito não foi feito e não foi realizada qualquer perícia sobre o corpo, que foi enterrado em uma “cova rasa” envolto em uma rede e um saco plástico”, diz a nota.

A organização destaca que acompanha o caso há cerca de três anos, em parceria com a Comissão Pastoral da Terra no Maranhão. Em 2013, a Anistia Internacional já havia denunciado as ameaças sistemáticas que Antônio Izídio e outras famílias da comunidade de Vergel vinham sofrendo. “O assassinato de Antônio Isídio revela uma falha sistêmica das autoridades no enfrentamento dos conflitos no campo e na garantia de proteção às comunidades rurais e quilombolas no país”.

Para a Anistia, houve omissão do Estado em proteger a vida de Antônio Izídio., pois entende que a liderança rural deveria ter sido incluída no Programa Nacional de Proteção a Defensores de Direitos Humanos. Segundo a organização, a equipe técnica do programa chegou a visitar a comunidade de Vergel, em 2013, e entrevistou com Antônio Isídio. “No entanto, nenhuma medida foi adotada para garantir a sua segurança”.

A Secretaria de Direitos Humanos (SDH) negou que tenha havido qualquer tipo de omissão no atendimento a Antônio Izídio. O órgão informou, por meio de nota, que o caso do agricultor não se encaixava nos critérios do programa. “As ameaças que ele sofria diziam respeito a uma disputa familiar por uma propriedade particular e não a um litígio provocado por uma liderança comunitária que ele pudesse exercer em prol da coletividade”, diz a SDH

A nota afirma ainda que a questão também foi analisada pelo promotor de Justiça Haroldo Paula de Brito, que esteve na região para ouvir Izídio e o suposto ameaçador, em 6 de novembro de 2014. “O promotor relatou não ter encontrado indícios de conflito na região, mas colocou à disposição do senhor Antônio o Programa de Proteção a Vítimas e Testemunhas Ameaçadas, considerado mais adequado ao caso do que o Programa de Proteção a Defensores de Direitos Humanos”.

0

Policial Militar que foi confundido com o ladrão morreu ontem

André morreu na noite desta terça-feira (29), no hospital João Lúcio (Foto: Arquivo Pessoal)

O soldado da Polícia Militar, André Luís Silva do Rosário, 33, que foi agredido no dia 20 após ser confundido com assaltante, morreu na noite desta terça-feira (29) no Hospital e Pronto Socorro João Lúcio, na Zona Leste de Manaus.

Segundo familiares do policial, ele estava na Unidade de Terapia Intensiva (UTI)  em coma induzido desde o dia da internação. O outro policial que estava com André e também foi agredido continua internado na unidade hospitalar.

O delegado do 27º Distrito Integrado de Polícia (DIP), Márcio André, disse que, segundo a versão contada para a polícia, a esposa de André, que também é militar, teria sido assaltada e, por essa razão, os policiais teriam perseguido os homens apontados com autores do roubo até o local das agressões.

“Teria ocorrido um roubo momentos antes, tendo como vítima a mulher de um dos policiais militares. Posteriormente, os policiais teriam se dirigido, supostamente, ao local onde esses dois suspeitos teriam se evadido. Chegando nesse local, na abordagem, identificaram os dois suspeitos, sendo que ambos foram alvejados e, no meio de uma confusão, teriam apontado os dois policiais militares como assaltantes no intuito de tentar dissimular a captura e a prisão dos supostos autores do roubo praticado à mulher. Aí, os participantes de um evento de confraternização de torcidas organizadas teriam agredido esses dois policiais”, relatou o delegado.

A defesa das torcidas nega a versão. De acordo com o advogado Mário Silva, os dois policiais militares teriam chegado ao local em uma moto preta, sem camisa e atirando, o que teria feito com que os torcedores acreditarem que se tratava de um assalto.

Conforme familiares do policial que preferiram não se identificar, ele ficou em coma induzido desde a internação devido ao estado de órgãos como pulmão e rins que ficaram bastante machucados com a agressão. Durante o período de internação, o soldado teve infecção e piora no quadro.

O outro policial que também foi agredido continua internado. Não há informações sobre o estado de saúde dele. O caso foi registrado no 27º DIP e segue em investigação.

A Polícia Militar divulgou uma nota de pesar pela morte do soldado, que era lotado no 1º Batalhão de Choque da Polícia Militar (BPChoq).

0

Augusto Barros não é mais Delegado Geral da Polícia Civil do Maranhão

Causou uma surpresa enorme o anúncio da troca do Delegado Geral da Polícia Civil do Maranhão, de acordo com o que apurei, o delegado Augusto Barros, não esconde uma certa frustração com sua saída, mas como ele mesmo diz em sua nota abaixo tudo faz parte de um processo natural governamental.

Augusto Barros reconheceu o trabalho de colegas e agradeceu a chance de implantar projetos que ajudaram a melhorar os serviços de segurança. O cargo de delegado-geral agora será ocupado por Lawrence Melo, até então superintendente de Combate à Corrupção.

Nota

Delegado-Augusto-BarrosInformo a todos que deixo o comando da Delegacia Geral de Polícia Civil do Maranhão, agradecendo a oportunidade confiada a mim de implementar diversos projetos de largo alcance social através do aprimoramento da prestação de serviços de polícia judiciária.

Todo meu reconhecimento aos excelentes profissionais, policiais civis, escrivães, investigadores, peritos e delegados, assim como ao corpo administrativo e à Polícia Militar e Corpo de Bombeiros, bem como à todos que contribuíram com nosso trabalho.

A recomposição do sistema de segurança depende da própria recomposição do tecido social, trabalho que levará gerações pois que depende de múltiplos fatores, quase todos extrínsecos à prevenção e repressão policial, já que falamos da origem e causas do crime; neste ínterim, modelos de gestão e organizações administrativas diversas devem tomar lugar.

Assim, entendemos como naturais os processos de mudança e acertos em equipes de governo, afiançando toda nossa força de trabalho à disposição da Polícia Civil, do sistema de segurança e de toda sociedade maranhense.

Augusto Barros Neto
Delegado de Polícia

0

Presidente do TJMA trata sobre segurança com o Comando Geral da PMMA

Comando da PMMA foi recebido pelo presidente do TJMA, Cleones Cunha, e o diretor de Segurança Institucional, major Alexandre Magno (Foto: Ribamar Pinheiro)

O presidente do Tribunal de Justiça do Maranhão (TJMA), desembargador Cleones Cunha, recebeu, na quarta-feira (23), a visita do comandante-geral da Polícia Militar do Maranhão, coronel Marco Antônio Alves, e do subcomandante-geral e comandante do Centro Tático Aéreo (CTA), coronel Ismael de Sousa Fonseca.

Aos dois representantes da corporação, o presidente afirmou que o Judiciário está à disposição para parceria de trabalho em prol da população. “A situação de violência é muito grave e temos que estar juntos para preveni-la e combatê-la”, disse o desembargador.

O comandante-geral ressaltou a importância do Judiciário estar atento às questões da segurança pública. “O seu olhar, presidente, é um olhar especial e é o nosso olhar. O Tribunal sempre foi um parceiro da Polícia Militar e a corporação continuará à disposição da Justiça, tanto em situações normais como nas excepcionais”, declarou o coronel Alves.

Para Cleones Cunha, é urgente a adoção de medidas de profilaxia criminal com foco na raiz causadora da violência, que causa medo e insegurança. “Respeitando e fazendo respeitar a independência e harmonia entre os poderes, uno-me aos demais chefes dos poderes do Estado para que, em conjunto, e dentro dos limites constitucionais impostos a cada poder, busquemos com afinco a tão almejada segurança pública, consubstanciada na contínua atividade de vigilância, prevenção e repressão de condutas delituosas”, destacou.

Durante o encontro também foi tratado sobre a situação dos oficiais lotados no Judiciário, reforçando a segurança das unidades judiciais de 1º e 2º graus nas diversas comarcas do Estado.

Também participou da reunião o diretor de Segurança Institucional do TJMA, Major Alexandre Magno.

Assessoria de Comunicação do TJMA