2

Pedro Belo não abre mão de candidatura e eleitor deve ficar tranquilo, diz assessoria

Pedro Belo 2

Para acabar de uma vez por todas com as especulações de que o candidato Pedro Belo do PC do B, abriria mão de sua candidatura nesta semana  e passaria a apoiar Biné Figueiredo não são verdadeiras, assim foi o que nos informou a assessoria do candidato. De acordo com advogado Yuri Correa, “tudo não passa de uma jogada suja dos concorrentes, pois Pedro Belo cresceu nas pesquisas e sua campanha ganhou corpo e volume nos últimos dias, sabemos que estamos no caminho certo e não abriremos mão de tudo que foi construido até agora, a decisão de continuar na luta foi em conjunto com nosso grupo político e familiares do Pedro Belo”, disse o advogado.

Ainda de acordo com a assessoria do candidato, o trabalho e o corpo a corpo continuará e o trabalho de fiscalização deverá ser de cada cidadão que não poderá ter seu desejo usurpado, cada eleitor decidirá o destino de nossa cidade, sem medo e nem ameaça, o voto de cada um precisa ser consciente e sem pressão de lado A ou B, reforçou o advogado.

 

0

Quem vai faltar? – Candidatos a prefeito de Codó são convidados a participar de um Debate Político na UFMA

debate-politico

Está marcado para hoje, às 15 horas no Auditório da Universidade Federal do Maranhão – Campus Codó, o Debate entre os candidatos a prefeito de Codó, todos foram convidados e conformaram presença, o evento é denominado  “I ENCONTRO CODÓ PELA EDUCAÇÃO” que tem como objetivo apresentar os candidatos à Prefeitura Municipal da Cidade de Codó-MA suas propostas e programa de governo relacionado à Educação para os próximos quatros anos no Cargo de Prefeito, assim como uma carta compromisso registrada em Cartório sobre as proposta para a Educação.

A comissão Organizadora é formada pelos Representantes do Conselho Municipal de Educação-CME- Raimunda Ariane de Deus Silva, Fórum Municipal de Educação- Ana Lúcia Ramos Nascimento; Universidade Federal do Maranhão/UFMA- Cristiane Dias Martins da Costa; Instituto Estadual e Tecnológico do Maranhão/IEMA- Emílio Matos; Instituto Federal do Maranhão/IFMA- Abias R.Cruz; Organização Mundial para Educação Pré-Escolar/OMEP- Rosalva Komora de Sousa; Sindicato dos Trabalhadores em Educação Básica das Redes Públicas Estadual e Municipais do Maranhão/SINPROESEMMA-Jean Pierry Lopes Siqueira; Sindicato dos Servidores Municipais de Codó/SINDSERM-Marcos Antônio da Silva; Universidade Estadual do Maranhão- Deuzimar Costa Serra.

O evento será dividido em três blocos:

No primeiro –  os candidatos terão 15 minutos cada para apresentar seus planos e projetos voltados à educação municipal;

No segundo – os candidatos serão sabatinados pelos convidados, e  no último bloco, serão dados três minutos para as considerações finais.

Vamos aguardar a para ver quem vai fugir da sabatina, pois a ausência de um ou outro contará negativamente e poderá refletir no resultado do pleito, pois uma área tão importante precisa ter uma boa gestão e se o candidato não tiver algo a apresentar ou tentar enrolar os presentes, também sairá do evento com alguns votos a menos. Então, todos estão convidados para participar do evento.

O que?

Debate Político “I ENCONTRO CODÓ PELA EDUCAÇÃO”

Onde?

Codó – Auditório da UFMA

Horário?

15 horas

3

De acordo com evangélicos, candidatos pedem a pastores que façam propaganda dentro dos templos

Meus amigos leitores, o Blog do Bezerra – BB, adotou uma posição crítica ao longo dos últimos meses, período este em que muita coisa aconteceu nos bastidores da notícia, alguns colegas se renderam ao prazer da venda de serviços, inclusive vendendo notícias. O diferencial do BB é esse, não possuir vínculo com político ou grupo algum, nem mesmo pretendo vender a linha editorial do nosso canal informativo.

Tenho defendido aqui, uma postura profissional e exigido da classe política uma conduta pautada na legalidade e anti corrupta, mas grande parte dos membros dessa classe insistem em cometer crimes e contravenções no que se refere à Legislação Eleitoral, onde alguns pastores têm se prostituído e vendido espaço e franqueado a palavras para candidatos a vereadores e pedindo de forma explícita votos para candidatos a prefeito durante os cultos e em reuniões internas nas dependências das igrejas.

 Veja o que diz a Lei…

Art. 37.  Nos bens cujo uso dependa de cessão ou permissão do Poder Público, ou que a ele pertençam, e nos de uso comum, inclusive postes de iluminação pública e sinalização de tráfego, viadutos, passarelas, pontes, paradas de ônibus e outros equipamentos urbanos, é vedada a veiculação de propaganda de qualquer natureza, inclusive pichação, inscrição a tinta, fixação de placas, estandartes, faixas, cavaletes e assemelhados. (Redação dada pela Lei nº 12.891, de 2013).

§ 4o  Bens de uso comum, para fins eleitorais, são os assim definidos pela Lei no 10.406, de 10 de janeiro de 2002 – Código Civil e também aqueles a que a população em geral tem acesso, tais como cinemas, clubes, lojas, centros comerciais, templos, ginásios, estádios, ainda que de propriedade privada.          (Incluído pela Lei nº 12.034, de 2009).

§ 1o  A veiculação de propaganda em desacordo com o disposto no caput deste artigo sujeita o responsável, após a notificação e comprovação, à restauração do bem e, caso não cumprida no prazo, a multa no valor de R$ 2.000,00 (dois mil reais) a R$ 8.000,00 (oito mil reais).

Art. 24. É vedado, a partido e candidato, receber direta ou indiretamente doação em dinheiro ou estimável em dinheiro, inclusive por meio de publicidade de qualquer espécie, procedente de:

VIII – entidades beneficentes e religiosas;

§ 1o Para a caracterização da conduta ilícita, é desnecessário o pedido explícito de votos, bastando a evidência do dolo, consistente no especial fim de agir.

 

0

IFMA prorroga prazo de inscrições no Processo Seletivo 2017

ifma 3

IFMA – Campus Codó

O Instituto Federal do Maranhão (IFMA) prorrogou o período de inscrições no Processo Seletivo 2017 para os cursos técnicos de nível médio. Agora, o prazo se estende até o dia 6 de outubro, com data-limite para o pagamento da taxa de inscrição remanejada para o dia 7 de outubro. A data da prova continua marcada para 4 de dezembro e o restante do cronograma estabelecido em edital também permanece inalterado. Em virtude da greve bancária, o pagamento poderá ser efetuado nas agências dos correios do Estado.

São 5.980 vagas em 37 cursos técnicos ofertados em 24 cidades. O seletivo está sendo realizado nas unidades do IFMA em Açailândia, Alcântara, Barreirinhas, Bacabal, Barra do Corda, Buriticupu, Carolina, Caxias, Codó, Coelho Neto, Grajaú, Imperatriz, Pedreiras, Pinheiro, Porto Franco, Rosário, Santa Inês, São João dos Patos, São José de Ribamar, São Luís (Centro Histórico, Maracanã e Monte Castelo), São Raimundo das Mangabeiras, Timon, Viana e Zé Doca.

Os cursos serão oferecidos nas formas integrada, concomitante e subsequente. Na forma integrada, o aluno cursa o Ensino Médio junto com uma formação profissional no IFMA. Na forma concomitante, o estudante faz o curso técnico no IFMA e o Ensino Médio em outra instituição de ensino. Já a forma subsequente é para aqueles que já concluíram ou estão concluindo, em 2016, o Ensino Médio e pretendem obter uma formação profissional.

Cursos – O Processo Seletivo 2017 está ofertando os seguintes cursos técnicos: Administração, Agenciamento de Viagem, Agroecologia, Agroindústria, Agronegócio, Agropecuária, Alimentos, Análises Químicas, Aquicultura, Artes Visuais, Automação Industrial, Biocombustíveis, Comunicação Visual, Cozinha, Design de Móveis, Edificações, Eletroeletrônica, Eletromecânica, Eletrônica, Eletrotécnica, Florestas, Geoprocessamento, Guia de Turismo Nacional, Informática, Informática para Internet, Logística, Manutenção e Suporte em Informática, Mecânica, Meio Ambiente, Metalurgia, Petróleo e Gás, Programação de Jogos Digitais, Química, Redes de Computadores, Restaurante e Bar, Segurança do Trabalho e Vestuário.

Sistema de cotas

Em cada curso, 50% das vagas serão destinadas aos candidatos egressos de escola pública. Dessas, metade é reservada aos candidatos com renda familiar bruta igual ou inferior a um salário mínimo e meio e a outra metade será reservada aos candidatos com renda familiar bruta superior a um salário mínimo e meio. O Instituto reserva também, em cada curso, 5% das vagas para os candidatos com deficiência.

Para mais informações, acesse o Edital em portal.ifma.edu.br/seletivo-unificado.

0

Nota de um Leitor – Pensamento fundamentado em uma ideologia

Trago aqui à luz da Democracia, o pensamento de um leitor que em seu comentário embasado numa linha racional de pensamento, onde mostra uma coerência que merece uma reflexão e respeito.

Por: Maneluis

A campanha “Fora Temer” deseja mesmo o que!? A volta de uma “presidenta” que não se provou “inocenta”!? Eleições já!?… As duas coisas estão em desacordo com a constituição do Brasil. Temer é presidente da república, substituindo a presidente afastada!
O que vai acontecer com essas manifestações!? Elas vão continuar até cansarem, ou até conseguirem mudar as regras constitucionais! E é assim que deve acontecer em uma república onde o Estado seja democrático e onde se respeite as leis vigentes!
Se as manifestações contra a permanência do presidente Temer forem ordeiras, não devem ser impedidas pela polícia! Se as manifestações se tornarem atos de vandalismo e destruição do patrimônio público ou privado, a polícia deve intervir! As ações da polícia em caso de vandalismos e destruições de patrimônios devem ser apenas de contenção da desordem! O uso excessivo de força vai apenas vitimizar os manifestantes arruaceiros e levar simpatia popular para seus atos!
Neste momento em que nosso país passa por situação bastante difícil, todos nós temos que ser mais inteligentes! Não é o povo em si que está participando dessas manifestações. São apenas militantes. Que se manifestem!
Eu acredito que não houve golpe algum e que tudo que aconteceu foi consequência de incompetência da ex-presidente e de seus ministros e assessores! O jus sperniandi “dilmista” é legítimo, até certo ponto, enquanto não descambe para o vandalismo e a destruição do patrimônio!
O que o atual governo deve fazer é dar respostas satisfatórias ao povo brasileiro, arrancando nosso país dessa crise!
Já pararam pra pensar que os 54,5 milhões de votos de Dilma, que ela e os seus vivem alegando, superaram em apenas 3,5 milhões os 51 milhões de votos contra ela!? Quando alguém vence uma eleição, o eleitor, o povo, lhe autoriza com isso a cometer atos em desacordo com as leis e a constituição? E quando alguém vence uma eleição, esse mesmo eleitor, esse povo lhe autoriza com isso a proceder de maneira ilegal, imoral e corrupta!?
Temer pode não ser popular, mas é o presidente constitucional do Brasil e é isso que eu defendo. A constituição! A mesma constituição que eu ajudei a construir e que o PT se recusou a referendar e assinar! Isso basta!?
Ser democrático é muito mais que fazer discursos e balançar bandeiras! Ser democrático é defender verdadeiramente a constituição!
Não estou feliz! Estou muito preocupado com o futuro de nosso país. Mas estou certo que estamos melhor que estávamos antes. Acredito que o novo governo pode nos levar por caminhos melhores e tirar-nos desse abismo que o governo anterior nos colocou.
Temer tem que ser austero. Não deve e não pode fazer concessões políticas ou partidárias. O país em primeiro lugar!
A operação Lava-jato deve continuar sem nenhuma interferência e expurgar da vida pública todos os envolvidos em corrupção. Eduardo Cunha não pode ser poupado. Ele hoje é o símbolo da impunidade dos políticos corruptos e deve servir de exemplo! Em estrito respeito à constituição, Dilma deve ter seus direitos políticos cassados. É o mínimo em uma democracia!
O sectarismo, o maniqueísmo e a intolerância que se instalaram no Brasil, são cânceres que devem ser extirpados! A verdade não é monopólio de um determinado grupo. Não é porque gritam algumas palavras que elas passam a ser verdadeiras ou corretas! Aceito qualquer crítica ao que digo, mas exijo respeito ao meu direito de dizer o que penso sem ser marginalizado por isso.

2

Dois pesos e duas medidas

*Por Roberto de Lucena

foratemer_paulo-whitaker-reuters

Crédito: Paulo Whitaker/ Reuters

As ruas de algumas cidades do país têm sido frequentadas por manifestações de diferentes setores, dentre os movimentos sociais, que há muito não víamos tão atuantes. Eles estão aí, de volta, altissonantes, efervescentes! Eu, pessoalmente, acho que antes tarde do que nunca. Parece que de repente o fervor do amor desses brasileiros pelo país voltou com tudo, graças à Temer. Primeiro é a estória do golpe. Depois pedem nova eleição para presidente e vice-presidente da República, e vai por aí afora, inclusive chamando o país para uma greve geral.

Os poderosos auto-falantes amplificam para as massas a mensagem sobre as ameaças que pairam sobre os programas sociais e sobre os direitos dos trabalhadores, dos aposentados, dos pensionistas, dos servidores públicos e etc. Eu comemoro essa virtude da democracia plena que vivemos aqui no Brasil – a liberdade de expressão, de manifestação e a liberdade de imprensa. Esse ambiente é o que permite a esses movimentos manifestarem suas convicções – concordemos ou não com elas – é o que oportunizou aos milhões de brasileiros irem igualmente às ruas de todo o país no Fora Dilma, Fora PT ou nos panelaços.

Recentemente, tive a oportunidade de me dirigir a algumas lideranças desses movimentos e de expor o meu ponto de vista: onde estavam as representações desses movimentos sociais até passado recente, que não ocuparam as ruas quando atingimos o patamar de 12 milhões de trabalhadores desempregados na indústria, no comércio e em outros setores? Sabem o que significa este número? São Paulo, a capital, que é uma das maiores metrópoles do planeta, tem 12 milhões de habitantes. É como se tivéssemos uma cidade de desempregados no Brasil!

Onde estavam esses movimentos quando o valor da conta da energia elétrica explodiu logo após as eleições de 2014 – um verdadeiro “choque”? Onde estavam quando o maior escândalo de corrupção da história desse país estourou, levando inclusive ícones do mundo político e empresarial para a cadeia, bem como membros do alto escalão do governo, que não saíram às ruas para apoiar as investigações e cobrar explicações das autoridades competentes?

Onde estavam quando as ações da Petrobrás derreteram, diante da crise provocada pelos escândalos de Pasadena, da refinaria de Bento de Abreu em Pernambuco e de tantos outros desmandos ou malfeitos? Onde estavam quando nossa reserva estratégica de feijão foi doada para a Cuba, elevando o seu preço para o consumo interno a patamares surpreendentes? Onde estavam quando recursos volumosos foram destinados à obras de infraestrutura na Venezuela, Cuba, Bolívia, ou países da África, através do BNDES, mesmo a economia já dando sinais de fragilidade?

É muito ruim essa sensação de que para uma parte do nosso povo o crime, o desgoverno, o desmando e o descalabro não incomodam, não é totalmente errado, se estiver relacionado com determinado partido ou grupo político e ideológico. Na Bíblia Sagrada encontramos o seguinte trecho: “ai dos que ao mal chamam bem, e ao bem mal” (Isaías 5:20). O certo é certo, independentemente de quem o faça, e o errado é errado independentemente de quem o pratique!

Não critico as manifestações populares pacíficas e democráticas! Muito pelo contrário! Eu as respeito e tenho procurado decifrá-las, compreendê-las, e no que julgo apropriado, sempre que possível, procuro ouvi-las e considerá-las na formação do meu juízo. Sabe o que questiono? Questiono o uso de dois pesos e de duas medidas.

O presidente Lula teve a oportunidade de vetar o fator previdenciário e não o fez, e as forças vivas da sociedade não se mobilizaram. O Projeto de Lei Complementar (PLP) 257/16 que tratava da dívida dos estados e Distrito Federal com a União e que congelava os salários dos servidores públicos, foi encaminhado ao Congresso pelo Governo Dilma e não pelo Governo Temer. Não houve mobilização para enfrentar essa proposta quando isso aconteceu, tornando-se agora uma das pautas das manifestações, como se fosse mais um ato de traição de Temer para com a nação. Esse PLP, na verdade, já passou pela Câmara e nós a aprovamos, porém alteramos o texto original encaminhado pela ex-presidente, a fim de que o servidor público não seja mais penalizado do que já tem sido ao longo dos anos. E vejam: estou apenas exemplificando.

Ademais, acho estranho o Fora Temer por quem mais defende o Fora Temer. Quem votou no 13 nas eleições de 2014 para presidente da República, votou em Dilma e Temer. Votou na chapa. Os 54 milhões de votos que Dilma teve, Temer também teve. Quem vota em um candidato à um cargo majoritário vota no titular e no seu vice ou suplente. E ao votar sabe que em qualquer impedimento do titular, seja pessoal, jurídico ou em caso de renúncia ou morte, o suplente ou o vice irá assumir a vaga. Simples assim. É o contrato! É a letra da lei!

A presidente Dilma foi impedida. O Congresso Nacional julgou que a mesma incorreu em crime de responsabilidade, baseado em pareceres do Tribunal de Contas da União e do Ministério Público, em um rito bastante longo, orientado pelo STF, a partir de denúncia oferecida por cidadãos comuns. A defesa e a acusação tiveram a oportunidade de debater as suas teses. Sendo impedida a presidente Dilma, a sucessão transcorreu de forma legítima e dentro da normalidade possível e prevista para esses casos. O impeachment é um instrumento legal, previsto constitucionalmente, embora não seja um processo natural, normal e desejável. Ele é traumático, invasivo, perigoso, grave.

Muito bem, vamos aos fatos: o Brasil está mergulhado em um ambiente pantanoso de crise política, ética, moral e econômica bastante complexo, e não haverá quem se salve sozinho! Estamos todos no mesmo barco. Ou nos salvamos todos, ou perecemos todos! O momento exige responsabilidade e lucidez. Os verdadeiros líderes devem contribuir com a construção de um diálogo nacional, possível apenas longe dos extremismos e dos radicalismos. A agenda das ruas e a agenda política deve convergir em algum momento, em um grande “FORA CORRUPÇÃO!”, “FORA ESTELIONATO ELEITORAL!”, “FORA JUROS ABUSIVOS E TAXAS ABUSIVAS DE IMPOSTOS!”, “FORA FOME!”, “FORA MISÉRIA!”.

Agora a luta é pela recuperação do emprego – o melhor programa social que existe, pelo reequilíbrio fiscal, pela recuperação econômica e pelo reposicionamento do Brasil como país sério e crível. Que Deus abençoe o Brasil!

* Roberto de Lucena é pastor, escritor, conferencista, deputado federal, vice-presidente Nacional da União Geral dos Trabalhadores (UGT), e presidente da Comissão dos Direitos da Pessoa Idosa na Câmara Federal.

0

OAB-MA oficializa junto ao Tribunal de Justiça a implementação do Alvará Eletrônico

9a603327-8d01-46a5-b57b-63517e730f91

Com o propósito de dar maior celeridade aos trabalhos da advocacia maranhense é que a Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional Maranhão, (OAB-MA), protocolou dois importantes ofícios junto ao Tribunal de Justiça do Maranhão (TJMA). O primeiro ofício (OF.OAB-MA N° 151/2016-GP) é uma reiteração de pedido anterior da OAB, para que as publicações dos processos virtuais, via PJe, sejam feitas também concomitantemente no Diário Eletrônico do TJ-MA; já o segundo (OF.OAB-MA N° 152/2016-GP), requer que o presidente do TJ-MA, Des. Cleones Carvalho Cunha, tome as medidas necessárias para a implementação do Alvará Eletrônico no Tribunal.

As soluções propostas, Alvará Eletrônico e as publicações no Diário Oficial, representam uma economia de tempo que reflete na qualidade de vida do advogado, na medida em que minimizam aborrecimentos, perdas de tempo e imprimem celeridade nos processos. “A OAB/MA continua com o foco em conquistar melhorias para o dia a dia do advogado, implementar ações que valorizem o trabalho do profissional e eliminem os desgastes”, disse Thiago Diaz, presidente da OAB-MA.

Um diálogo foi iniciado com a Superintendência do Banco do Brasil, instituição financeira instalada no Fórum Desembargador Sarney Costa, e responsável pelo pagamento dos Alvarás. O BB, por sua vez, informou a OAB-MA que entregou à diretoria do Fórum o Manual de Procedimento para a instalação, indicando a necessidade de implantação de um software nos terminais do Tribunal de Justiça para que os advogados tenham acesso a tal benefício.

O Alvará Eletrônico pode ser aplicado em todos os processos físicos, híbridos e eletrônicos. Permite que as varas enviem aos bancos a ordem de pagamento, dispensando sua emissão física. No processo atual, o credor recebe o alvará impresso na secretaria da vara, e se dirigia à agência bancária para receber os créditos. Com o Alvará Eletrônico, o banco é comunicado pelo sistema no momento da assinatura eletrônica do Alvará e, após a notificação de disponibilização de crédito, o beneficiário pode comparecer diretamente à agência para receber o valor a que tem direito.

Assim, a OAB Maranhão entende que a implantação do Alvará Eletrônico no TJ trará inúmeras vantagens aos serventuários da justiça, aos advogados e jurisdicionados por conta da segurança pela forma de operacionalização destes pagamentos.

A primeira solicitação, publicações de processo virtuais via PJe, busca assegurar que a divulgação instantânea dos atos processuais no Diário Eletrônico do TJMA. Este ato proporcionará acesso às informações dos processos aos advogados interessados, em tempo real, garantindo assim, o pleno exercício do princípio da publicidade.

1

Faltam 8 dias: saiba o que é a votação paralela

Logomarca Eleições 2016

A chamada votação paralela é um evento realizado no mesmo dia das eleições, usando um sistema informatizado de captação e contabilização de votos, com o objetivo de demonstrar o funcionamento e a segurança das urnas eletrônicas. Na realidade, é um mecanismo de auditoria feito pelos Tribunais Regionais Eleitorais (TREs) em todo o país por meio de amostragem, com a participação de representantes de partidos políticos, da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e do Ministério Público, entre outras instituições.

Para as Eleições de 2016, a Resolução nº 23.458/2015 do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) normatiza a questão. O documento estabelece que a auditoria de funcionamento das urnas eletrônicas por meio de votação paralela é feita por meio de amostragem, regulamentada pelo TSE. Os TREs, por sua vez, devem informar, em edital e mediante divulgação nos respectivos sites, até 20 dias antes das eleições, o local onde será realizada a auditoria de funcionamento das urnas eletrônicas por meio de votação paralela.

No mesmo prazo, os TREs devem expedir ofícios aos partidos políticos comunicando sobre o horário e o local onde será realizado o sorteio das urnas (de três a cinco, dependendo do número de seções eleitorais que a unidade da Federação possuir) que serão auditadas por meio de votação paralela na véspera do pleito. O ofício também deve conter o horário e o local da auditoria no dia da eleição, informando sobre a participação de seus representantes.

Para a organização e a condução dos trabalhos, os TREs devem, em sessão pública, até 30 dias antes das eleições, nomear uma comissão de auditoria de funcionamento das urnas eletrônicas composta por: um juiz de Direito, que será o presidente; quatro servidores da Justiça Eleitoral, sendo pelo menos um da Corregedoria Regional Eleitoral; um da Secretaria Judiciária; e um da Secretaria de Tecnologia da Informação.

O procurador regional eleitoral indica, então, um representante do Ministério Público para acompanhar os trabalhos da comissão. Os partidos políticos, as coligações, a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), o Congresso Nacional, o Supremo Tribunal Federal, a Controladoria-Geral da União, o Departamento de Polícia Federal, a Sociedade Brasileira de Computação, o Conselho Federal de Engenharia e Agronomia e os departamentos de Tecnologia da Informação de universidades poderão indicar representantes para acompanhar os trabalhos dessa comissão.

Os trabalhos de auditoria de funcionamento das urnas eletrônicas por meio de votação paralela são públicos, podendo ser acompanhados por qualquer interessado.

Procedimentos

Na prática, essa auditoria consiste em realizar uma votação paralelamente à votação oficial, a fim de comprovar que o voto digitado pelo eleitor na urna eletrônica é exatamente o mesmo que foi escrito em uma cédula de papel e em um terminal de apuração independente. Tudo é feito em um ambiente filmado e fiscalizado.

Após a emissão da zerésima (relatório que comprova que não há nenhum voto na urna eletrônica), expedida pela urna e pelo sistema de apoio à votação paralela, serão iniciados os trabalhos de auditoria, conforme os procedimentos e horários estabelecidos pelo TSE para a votação oficial. A ordem de votação deverá ser aleatória em relação à folha de votação.

Às 17h será encerrada a votação, mesmo que a totalidade das cédulas não tenha sido digitada, adotando a Comissão de Auditoria de Funcionamento das Urnas Eletrônicas as providências necessárias para a conferência dos resultados obtidos nas urnas verificadas.

O objetivo final é que seja comprovada a coincidência entre os resultados obtidos nos boletins de urna e os dos relatórios emitidos pelo sistema de apoio à votação paralela e entre as cédulas da auditoria de funcionamento das urnas eletrônicas e o registro digital dos votos apurados.

Acesse aqui a íntegra da Resolução nº 23.458/2015.

0

Seletivo 2017: Prazo de inscrições terminam nesta segunda (26)

Card-Seletivo-2017Encerram-se, nesta segunda-feira (26), as inscrições do Processo Seletivo 2017 aos cursos técnicos de nível médio do Instituto Federal do Maranhão (IFMA). O prazo para pagar a taxa de inscrição se estende até o dia 27 de setembro e, devido à greve dos bancários, as agências dos Correios de todo o estado já estão autorizadas a receber o pagamento do valor de R$ 20 que confirma a participação dos candidatos no seletivo.

O candidato pode se inscrever por meio do link, ou presencialmente nos campi e campi avançados do IFMA. Os endereços das unidades do Instituto estão indicados no edital.

Este ano, estão sendo ofertadas 5.980 vagas em 37 cursos técnicos distribuídos em 24 cidades. A seleção é para as unidades do IFMA em Açailândia, Alcântara, Barreirinhas, Bacabal, Barra do Corda, Buriticupu, Carolina, Caxias, Codó, Coelho Neto, Grajaú, Imperatriz, Pedreiras, Pinheiro, Porto Franco, Rosário, Santa Inês, São João dos Patos, São José de Ribamar, São Luís (Centro Histórico, Maracanã e Monte Castelo), São Raimundo das Mangabeiras, Timon, Viana e Zé Doca.

Em Codó, são ofertados quatro cursos técnicos integrados ao Ensino Médio, são eles:

Técnico em Meio ambiente……………………………………… 40 vagas;

Técnico em Informática ……………………………………………40 vagas;

Técnico em Agroindústria…………………………………………40 vagas; e,

Técnico em Agropécuária …………………………………………40 vagas.

Os cursos serão oferecidos nas formas integrada, concomitante e subsequente. Na forma integrada, o aluno cursa o Ensino Médio junto com uma formação profissional no IFMA. Na forma concomitante, o estudante faz o curso técnico no IFMA e o Ensino Médio em outra instituição de ensino. Já a forma subsequente é para aqueles que já concluíram ou estão concluindo, em 2016, o Ensino Médio e pretendem obter uma formação profissional.

A prova será realizada no dia 4 de dezembro. Ela terá 40 questões de múltipla escolha, sendo 20 de Língua Portuguesa e 20 de Matemática. O conteúdo programático está disponível no edital.

Cursos – O Processo Seletivo 2017 está ofertando os seguintes cursos técnicos: Administração, Agenciamento de Viagem, Agroecologia, Agroindústria, Agronegócio, Agropecuária, Alimentos, Análises Químicas, Aquicultura, Artes Visuais, Automação Industrial, Biocombustíveis, Comunicação Visual, Cozinha, Design de Móveis, Edificações, Eletroeletrônica, Eletromecânica, Eletrônica, Eletrotécnica, Florestas, Geoprocessamento, Guia de Turismo Nacional, Informática, Informática para Internet, Logística, Manutenção e Suporte em Informática, Mecânica, Meio Ambiente, Metalurgia, Petróleo e Gás, Programação de Jogos Digitais, Química, Redes de Computadores, Restaurante e Bar, Segurança do Trabalho e Vestuário.

Sistema de cotas

Em cada curso, 50% das vagas serão destinadas aos candidatos egressos de escola pública. Dessas, metade é reservada aos candidatos com renda familiar bruta igual ou inferior a um salário mínimo e meio e a outra metade será reservada aos candidatos com renda familiar bruta superior a um salário mínimo e meio. O Instituto reserva também, em cada curso, 5% das vagas para os candidatos com deficiência. Reforçando que mesmo em greve, o Banco do Brasil está recebendo o pagamento da taxa de inscrição via boleto, caso contrário os candidatos podem ir até uma Agência dos Correios, pois também funciona como correspondente do Banco do Brasil, corra e não deixe para a última hora.

FAÇA SUA INSCRIÇÃO AQUI!

 

0

Exemplo a ser seguido – MPMA e Secretaria de Educação discutem situação de escola de Pindaré-Mirim

DSC 0034

Quando falo em exemplo a ser seguido, me refiro à inércia do Ministério Público Estadual em Codó, com a míngua no sistema educacional municipal e os péssimos resultados alcançados, acabam por manchar a imagem de um órgão tão importante para a população.

Na manhã desta sexta-feira, 23, uma reunião foi realizada, na Procuradoria Geral de Justiça, em São Luís, para tratar da situação do Centro de Ensino Jerusa da Silva Rabelo, localizado no município de Pindaré-Mirim.

Segundo informações do promotor de justiça Cláudio Borges dos Santos, que solicitou o encontro, a unidade escolar está funcionando em condições precárias.

Na reunião, o secretário de Estado de Educação, Felipe Camarão, afirmou que a equipe da secretaria fará uma visita ao local, no mês de outubro, após as eleições, para avaliar o estado da unidade e conversar com a comunidade escolar.

Felipe Camarão informou também que, possivelmente, a reforma da escola será agendada para o mês de novembro deste ano, integrando o Programa Escola Digna. “Temos que adequar o cronograma de obras para não comprometer o calendário escolar”, completou.

Cláudio Borges, que é titular da Promotoria de Pindaré-Mirim, agradeceu a atenção do secretário e a disposição em resolver o problema e acrescentou que o Ministério Público vai acompanhar todos os procedimentos a serem adotados para a solução da demanda.  “A situação da escola é preocupante e temos que ter muito cuidado para não prejudicar os alunos”, ressaltou.

O procurador-geral de justiça em exercício, Francisco das Chagas Barros de Sousa, participou da reunião e destacou a vantagem do diálogo em relação ao caminho burocrático para a solução mais célere dos problemas. “Havendo vontade dos gestores em resolver as questões a sociedade será sempre beneficiada”, comentou.

Também acompanharam o encontro os secretários-adjuntos da Seduc Anderson Lindoso (de Suporte ao Sistema Educacional) e Daniel Carvalho (de Assuntos Jurídicos).

Redação: CCOM-MPMA