3

PM em parceria com Guardas Municipais de Coroatá e São Mateus conseguem localizar proprietários de motos depois de dez meses em que foram tomadas de assaltos

Dez meses, este foi o tempo do sofrimento de duas famílias: uma da cidade de Vargem Grande e outra de São Mateus, que tiveram suas motocicletas tomadas de assalto nas portas de suas casas. O curioso que as duas foram roubadas e logo em seguida apreendidas e recolhidas ao pátio do quartel do 24º BPM de Coroatá, desde que por lá chegaram, praticamente duas vezes ao mês policiais realizavam as consultas nos sistemas do Detran e SIGO (ambos de responsabilidade do governo do Estado), porém não apareciam restrições, somente quando eram consultados os nomes dos proprietários, dificultando assim a localização dos verdadeiros donos.

Na semana passada, após realização de conferência no pátio do quartel, o Cabo Pm Bezerra, tomou a iniciativa de, mais uma vez tentar localizar os donos de duas motocicletas, recorrendo ao Secretário Municipal de Segurança Marcicley Ronis da Costa, que mobilizou dois Guardas Municipais: GM Pedro que ajudou a localizar os donos da motocicleta roubada em Vargem Grande, enquanto que o GM Rubenilson acionou colegas da cidade de São Mateus (também Guardas Municipais: Inspetor Cruz, Inspetor Nascimento e GM Penha).

Conheça cada fato:

Família 1

São Mateus

O lavrador Marciano Rodrigues de Sousa, procurou a Delegacia de São Mateus no dia 14/10/2015, para relatar que dois elementos armados de revolver entraram no Comercial J.W, onde anunciaram o assalto, levando o dinheiro em caixa e ainda uma motocicleta: Marca Honda, Modelo Titan EX, sem placa, vermelha de Chassi: 9C2KC1660FR068484. Seis meses depois, a mesma motocicleta se encontrava na cidade de Coroatá, dentro de uma residência no Bairro da União em Coroatá.

Após denuncias por populares de que havia uma motocicleta que seria objeto de furto no bairro, uma guarnição comandada pelo Sargento Roberto foi até o local, solicitando ao suposto proprietário a documentação do bem, porém o mesmo alegou que a moto seria fruto de uma negociação entre ele e o patrão, por isso não estava de posse da documentação, então a motocicleta foi recolhida ao quartel e seria liberada com a apresentação da documentação que comprovasse a licitude do bem e por lá permanecendo por quase oito meses.

Família 2

motp Vargem Grande

Já o senhor Antônio Iranildo dos Santos Lopes, procurou a delegacia de Vargem Grande no dia 08/01/2016  para relatar que trafegava na Rua Hemetério Leitão em Vargem Grande, em uma motocicleta Honda, Modelo FAN ESDI, preta, de Chassi 9C2KC1680ER015411, quando por volta das 19h foi abordado por dois homens em uma outra motocicleta, onde o garupa estava armado com um revolver apontou a arma para a  cabeça da vítima exigindo que fosse entregue sua motocicleta, em seguida os assaltantes tomaram rumo ignorado.

Final Feliz

As duas famílias não tiveram um final, em que infelizmente a maioria das pessoas que têm suas motocicletas tomadas de assalto têm. Na maioria dos assaltos, o aparato policial esbarra em suas próprias limitações: de efetivo, meios para agir, falta de uma coisa, falta de outra e o que considero a mais importante de todas: a falta de iniciativa das forças de segurança estadual. Geralmente a vítima chega a uma delegacia para registrar um Boletim e saem de lá mais zangadas do que entraram, onde relatam que são mal atendidas e percebem que em muitos casos se sentem reféns do sistema.

A iniciativa do Cabo Bezerra, foi criticada por seus pares e subordinados, principalmente por acharem que não é este o papel de um Policial Militar, concordo, mas alguém teria que fazer algo, mas quem deveria, jamais faria.

A parceria entre duas Instituições fizeram com que uma resposta pudesse ser dada a duas vítimas da violência urbana, que a partir do recebimento de seu bem material, certamente passará a ter a impressão diferente da polícia, porém ainda ações como estas são quase que exceções, pois nas Instituições ainda há o revanchismo, o egoísmo de se acharem superiores às demais, onde cada uma delas fica nas limitações de suas atuações.

A união entre duas Instituições que politicamente são rivais, pela situação política entre Estado e Município em Coroatá surtiu este efeito imaginem vocês se fossemos unidos de fato e de direito?