0

Separação de famílias brasileiras na fronteira norte-americana gera debate em Plenário

O Plenário da Câmara dos Deputados foi tomado por uma discussão sobre a política migratória de “tolerância zero” do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, em que crianças de imigrantes que cruzam ilegalmente a fronteira norte-americana pelo México são separadas dos pais.

Os pais são processados judicialmente e, como as crianças não podem ser presas junto com os adultos, são encaminhadas a centros. Cerca de 2 mil crianças já foram separadas dos pais na fronteira. A política de separação das famílias foi suspensa nesta quarta-feira por uma ordem executiva depois de críticas nacionais e internacionais.

O Psol apresentou uma moção de repúdio à detenção das crianças e separação dos pais. O texto diz que o tratamento é “desumano”, o que gerou uma disputa entre parlamentares de esquerda e de direita, e acabou retirado de pauta.

Crianças brasileiras
O líder do Psol, deputado Chico Alencar (RJ), afirmou que há crianças brasileiras detidas nos centros na fronteira sul dos Estados Unidos. “Todos os líderes aqui, estamos exortando o Itamaraty para que tome providências rigorosas, para que garanta, inclusive, o retorno dessas crianças ao convívio dos seus familiares”, disse.

Para o líder do PCdoB, deputado Orlando Silva (SP), a política de “tolerância zero” demonstra agressividade com pessoas que, muitas vezes, buscam refúgio nos Estados Unidos. “Nós acreditamos que é necessário que o Parlamento brasileiro se manifeste de maneira inequívoca, repudiando essa grave violação dos direitos humanos”, defendeu.

O deputado Ezequiel Teixeira (Pode-RJ), no entanto, provocou o Psol e o PCdoB a apresentarem moções de repúdio a países de orientação esquerdista, como a Venezuela. “Nós queremos também que seja incluído o repúdio ao presidente Maduro [da Venezuela]. Um repúdio a outros ditadores de partidos comunistas, partidos de esquerda”, disse.

O deputado Pr. Marco Feliciano (Pode-SP), que disse ser um “entusiasta do governo Trump”, afirmou que a lei aplicada pelo presidente é de autoria do ex-presidente democrata Bill Clinton. “Donald Trump apenas fez cumprir a lei. As pessoas que estão sendo separadas não são só imigrantes, são imigrantes ilegais, presos instantaneamente”, afirmou.

Já o deputado Arolde de Oliveira (PSD-RJ) afirmou que a esquerda “não aceita o sucesso de Donald Trump nos Estados Unidos”.

Fonte: Agência Câmara de Notícias

Bezerra

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *