Dicas da nossa língua portuguesa – Dicas de quando podemos utilizar o mau ou mal

Elimine todos os seus questionamentos sobre a grafia em português e saiba como se escreve mal ou mau. Conheça também seus principais significados e utilizações.

Mal ou mau

Estas formas estão ambas corretas, mas o seu uso adequado leva a uma série de dúvidas, pois a diferenciação entre elas ocorre no seu significado na frase.

A palavra mal pode ser apresentada na língua portuguesa como advérbio – sendo invariável – ou então como substantivo quando varia em gênero e número.

Com relação à palavra mal pode ser apresentada como adjetivo e neste caso varia em gênero e grau ou ainda como uma palavra substantivada que assume a função na frase de substantivo.

A maneira mais prática de conseguir diferenciar entre as duas formas está relacionada com o seu antônimo como iremos mostrar a seguir:

– Mal é usado quando ele pode ser trocado pela palavra bem;

– Mau é utilizado quando ele puder ser trocado de maneira adequada pela palavra bom.

Exemplos de frases:

  • Hoje eu estou passando muito mal da minha gastrite.
  • Esta empresa possui muitos maus funcionários.
  • Sua afirmação será mal aceita pelos responsáveis da instituição.

Sinônimos de mal ou mau

Para trocar estas palavras por outras que tenham sentido semelhante é possível usar os seguintes sinônimos:

  • Dificilmente
  • Dor
  • Doença
  • Malefício.

Antônimos de mau ou mal

Quando a pretensão está relacionada com a indicação de um sentido oposto é interessante usar os antônimos como:

  • Bem
  • Bom
  • Adequado
  • Saúde
  • Delicado
  • Polido
  • Admirado

Senado aprova a indicação de Fachin para o Supremo e oposição diverge

  • Luiz Edson Fachin, que teve a nomeação aprovada pelo Senado

    Luiz Edson Fachin, que teve a nomeação aprovada pelo Senado

O Senado aprovou, nesta terça-feira (19), a indicação do jurista Luiz Edson Fachin como ministro do STF (Supremo Tribunal Federal). Ele obteve 52 votos. Outros 27 senadores votaram contra e não houve abstenções. Para ter o nome aprovado, Fachin precisava do voto favorável de 41 senadores. O agora ministro ocupará a vaga aberta pela saída de Joaquim Barbosa em 2014.

A aprovação do jurista é vista como uma vitória do governo que se empenhou para que o jurista tivesse seu nome aprovado junto aos senadores. Ao longo das últimas semanas, o nome do advogado foi alvo de intensas críticas de parlamentares da oposição. Ainda não há data prevista para a posse de Fachin como ministro do STF.

Luiz Edson Fachin tem 57 anos de idade, é formado em Direito pela Universidade Federal do Paraná (onde é professor titular) e sócio-fundador da banca Fachin Advogados Associados. Suas especialidades são Direito Civil e de Família. Ele é mestre e doutor em Direito pela PUC de São Paulo e foi pesquisador do Instituto Max Planck, na Alemanha, além de ter sido professor-visitante do King´s College, no Reino Unido.

A presidente Dilma Rousseff (PT) indicou o jurista no dia 14 de abril, nove meses depois da saída do ex-ministro Joaquim Barbosa. A confirmação da indicação de um candidato à vaga de ministro do STF passa por duas fases no Senado. A primeira é sabatina na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) do Senado. A segunda é a votação da indicação no Plenário da Casa.

A confirmação da indicação de Fachin para o STF foi marcado pela tensão entre governo e oposição. Desde o anúncio de seu nome, o jurista mobilizou sua equipe para visitar senadores em busca de apoio.

Parlamentares de oposição e do PMDB criticaram a indicação de Fachin por conta do apoio que o jurista deu à então candidata Dilma Rousseff à Presidência em 2010, suas manifestações em relações a movimentos sociais e à poligamia e em relação ao exercício da advocacia durante o período em que Fachin exerceu o cargo de procurador do Estado do Paraná, entre 1990 e 2006.

Para lidar com a oposição ao seu nome, a equipe de Fachin criou um site na internet onde foram postados vídeos em que o jurista aparece se defendendo das principais críticas feitas a ele. 

Mesmo com toda a resistência criada pela oposição, ele obteve 20 votos a favor sete contrários na sabatina realizada pela CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) do Senado, na semana passada. A sabatina durou mais de 12 horas.

Além de vencer a resistência de parlamentares de oposição, Fachin superou as ressalvas do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL) ao seu nome.

Em março deste ano, em meio à polêmica relativa à demora para que Dilma indicasse o substituto de Joaquim Barbosa, Renan disse que qualquer indicação feita com a “digital do PT”, não passaria pelo Senado. 

Para vencer a resistência de Renan ao nome de Fachin, a presidente Dilma Rousseff chegou a conversar pessoalmente com o presidente do Senado para evitar que sua indicação fosse barrada no Senado.

Oposição reclama; governo comemora

Para o senador Ronaldo Caiado (DEM-GO), um dos líderes da oposição, a aprovação do nome de Fachin e a suposta identificação do jurista com o PT e a presidente Dilma colocam em dúvida futuros julgamentos dos quais Fachin possa participar.

“Qual é o problema que existe neste momento? Vamos ser bem objetivos. É que existe uma identificação direta, política e ideológica do ministro com o PT e a presidente Dilma. E isso tira dele aquilo que é fundamental num ministro que é a imparcialidade. Juízes e nem ministros podem ter lados. Isso compromete amanhã o julgamento. E mesmo que esteja certo, a sociedade vai sempre colocar em dúvida o seu posicionamento”, afirmou Caiado.

Já o senador Humberto Costa (PT-PE), comemorou a aprovação do nome de Fachin e negou que a reputação do STF fique abalada com a presença do jurista na Corte.

“Pelo contrário. Ele é uma pessoa que na sabatina deu todas as demonstrações de ser uma pessoa com uma ampla cultura jurídica (…) com posições progressistas e com uma reputação absolutamente ilibada. Acho que a indicação dele pelo governo e a aprovação no Senado só fazem fortalecer o STF. Acho que foi uma vitória do Brasil”, afirmou.

Questionado sobre se a aprovação de Fachin como ministro do STF representaria uma derrota do presidente do Senado, Renan Calheiros, Costa disse não acreditar que Renan tivesse trabalhado contra a candidatura de Fachin à Corte.

“Em nenhum momento procuramos estabelecer vitórias ou derrotas de governos ou oposição (…) Se (Renan) trabalhou (contra Fachin), o resultado acabou sendo diferente do esforço para esse trabalho. Mas eu não acredito. Acho que o presidente Renan jamais deixaria de ter uma posição de estadista para ter uma posição pequena do ponto de vista política”, disse Costa.

Fonte: uol.noticias.com

Na TV, FHC critica governo e diz que nunca se roubou tanto por uma causa

O ex-presidente da República, Fernando Henrique Cardoso, criticou nesta terça-feira (19) o governo do PT e afirmou que nunca antes no Brasil “se errou tanto e roubou tanto em nome de uma causa”.

FHC falou durante o programa partidário do PSDB, exibido na noite deste terça em rede nacional de televisão. O programa também exibiu fala do presidente nacional do partido, senador Aécio Neves (MG).

“A raiz da crise atual foi plantada bem antes da eleição da atual presidente. Os enganos e desvios começaram já no governo Lula. O que a realidade está mostrando é que nunca antes neste país se errou tanto nem se roubou tanto em nome de uma causa”, disse FHC.

A assessoria do Palácio do Planalto informou que a Presidência não vai se manifestar sobre as críticas do ex-presidente.

Fernando Henerique Cardoso também defendeu a condenação dos envolvidos no esquema de corrupção a Petrobras.

“Dessa vez, o desarranjo foi longe demais. A crise já atinge o bolso e a alma das pessoas. Não só o Petrobras foi roubada. O país foi iludido com o sonho de grandeza, enquanto a roubalheira corria solta. O que já se sabe sobre o ‘petrolão’ é grave o suficiente  para que a sociedade condene todos aqueles que promoveram tamanho escândalo”, completou.

O programa, que começou com imagens dos panelaços que ocorreram em várias cidades do Brasil durante pronunciamentos de Dilma, citou prejuízos registrados pela Petrobras e as medidas provisórias enviadas pelo governo ao Congresso que mudam as regras de acesso a direitos trabalhistas e previdenciários.

Ao participar da propaganda do PSDB, o senador Aécio Neves (MG) criticou as medidas de ajuste fiscal tomadas pelo governo para recuperar a economia. “Se [o governo] tivesse agido com responsabilidade, hoje não seria necessário aumentar impostos e nem reduzir o seguro-desemprego. O tempo passou e deu no que deu: os problemas, que já eram extremamente graves, ficaram piores”, declarou.

Presidente do PSDB, senador Aécio Neves (MG), durante programa de propaganda partidária na TV (Foto: Reprodução)

Senador Aécio Neves (MG), durante programa do PSDB (Foto: Reprodução)

Aécio também defendeu a redução do número de ministérios e o corte do que ele chamou de “milhares de cargos apadrinhados”. O parlamentar disse, ainda, que é preciso saber identificar todos os envolvidos nos escândalos de corrupção. “Para acabar com corrupção, é preciso que a Justiça investigue a fundo. O Brasil precisa saber quem roubou, quem mandou roubar e quem, sabendo de tudo isso, se calou”, declarou.

A propaganda também mostrou trechos em que a presidente diz que a inflação ficará  “rigorosamente sobre controle”, seguido de críticas do apresentador.

“Mentir é errado. Falar uma coisa e fazer outra é errado. E se quem faz tudo isso é a presidente de um país, é mais errado ainda. Para se manter no poder, Dilma e Lula decidiram ocultar dos brasileiros a verdadeira situação do país”, afirma o apresentador.

Fonte: G1.com

Estado é condenado a ressarcir ex-prefeito de Tutóia

tre maOs desembargadores da 2ª Câmara Cível do TJMA mantiveram sentença que condenou o Estado do Maranhão ao pagamento de R$ 190 mil, por danos materiais, e R$ 50 mil, por danos morais, ao ex-prefeito do município de Tutóia, que teve a residência invadida por manifestantes. A sentença foi proferida pelo juiz Rodrigo Terça Santos.

O ex-prefeito ajuizou o pedido de indenização alegando que no dia 30 de dezembro de 2008 cerca de 200 pessoas, que seriam funcionários públicos municipais, invadiram sua residência e a depredaram, quebrando todos os veículos que estavam na garagem – um Pajero TR4, um Volkswagen Polo, um Opala e um quadriciclo. Eles também destruíram móveis, eletrodomésticos, documentos, e furtaram joias e R$ 50 mil.

O grupo teria ainda destruído uma loja anexa, de propriedade do filho do prefeito, e teria se dirigido à residência do secretário municipal de Finanças, quando foram contidos por policiais destacados no município de Chapadinha.

O Estado do Maranhão recorreu contra a condenação, afirmando a inexistência de responsabilidade do ente estatal por faltarem provas da relação entre os atos dos agentes públicos e os fatos alegados pelo ex-prefeito, já que o próprio afirmou que os manifestantes foram contidos pela Polícia Militar.

Segundo a sentença – que foi mantida pelo desembargador Marcelo Carvalho (relator) – o Estado possui responsabilidade civil extracontratual e deve responder por atos ilícitos.

Para o juiz Rodrigo Terças, vídeos do dia dos fatos demonstraram que a quantidade insuficiente de policiais no Município foi o elemento gerador dos danos sofridos pelo ex-gestor, aliado ao despreparo para situações de contenção, inércia e a demora no deslocamento do apoio ao irrisório contingente de policiais, que ainda enfrentariam a falta de estrutura.

“A obrigação do Estado consubstancia-se na omissão em prestar um serviço eficiente, qual seja, a preservação da ordem pública”, avaliou o magistrado.

O juiz não deferiu o ressarcimento do valor de R$ 50 mil, do veículo Opala – que seria de propriedade do Município – e dos objetos descritos genericamente pelo ex-prefeito, por considerar indevido ou duvidosa sua existência.

Fonte: ASSCOM-TJ

Marcos Pacheco desmente a si próprio para salvar Dino de ato desumano contra um bebê

O secretário de Saúde do Maranhão, Marcos Pacheco, rasgou o Código de Ética Médica e seu histórico de professor, nessa segunda-feira (18), para salvar o governador Flávio Dino, do PCdoB, do ato desumano praticado contra um bebê que, com um mês de vida, foi diagnosticado com Tetralogia de Fallot (T4F), doença caracterizada pela má-formação cardíaca, e aguarda a decisão da Justiça para continuar com o tratamento em São Paulo, já que não há no Maranhão.

O caso foi denunciado pelo Bom Dia Brasil, envergonhando o Maranhão nacionalmente e internacionalmente mais uma vez por culpa da insensibilidade e irresponsabilidade de seus governantes, como pode ser constatado no vídeo ao lado.

Mesmo com o parecer do médico sobre o risco, o governo comunista recorreu à Justiça para tirar a criança do hospital onde está e transferi-la para a rede pública. Na ação, o governo alega vergonhosamente que o custo do tratamento é alto e que o dinheiro estaria servindo para “financiar riqueza sem justa causa para uma pessoa só”, no caso o bebê indefeso. Uma vergonha!

Durante entrevista ao Bom Dia Brasil, o secretário de Saúde do Maranhão informou que, por o custo com as despesas ser alto, o Estado tem de fazer uma “para-economia”.

– O custo é muito e hoje, no Brasil, nós, do sistema público de saúde, temos que fazer uma ‘para-economia’ para essa questão da judicialização – argumenta Marcos Pacheco.

Horas depois do descaso com a vida de uma criança tomar proporção negativa gigantesca contra Dino, porém, o secretário de Saúde foi obrigado a gravar um novo vídeo, institucional, em que desmente a si próprio, na forma mais descarada possível. Um vergonha!

Atual 7

Deputado Cabo Campos emite nota em apoio a liberdade de expressão

campos (2)

“Quero expressar meu mais incondicional apoio ao 3º sargento PM e jornalista Ebnilson, do Blog do Ebnilson, no momento em que pesa sobre ele uma ameaça comum aos tempos mais sombrios da história política recente do nosso país, a repressão estatal à liberdade de expressão e de imprensa.

No dia 30 de abril, nosso estimado sargento fez publicação em seu blog comentando a diferença de tratamento em forma de reajuste salarial dado aos delegados da Policia Civil do Maranhão em comparação ao dos oficiais da PMMA, pelo governo. Ressalte-se a total legitimidade do meio utilizado, inclusive, do ponto de vista constitucional. É lamentável e assustador que no dia 8 de maio tenha sido instaurado Inquérito Policial Militar para apurar ação por publicar matéria, supostamente criminosa.
Senhoras e senhores, onde nós estamos? Quando é que vamos passar a limpo esse país? Quando varreremos para fora essa legislação aleijada, lixo restante da ditadura, que insiste em nos assombrar? Que democracia estamos construindo, que aceita conviver com tais violências? A constituição de 1988 não serve aos servidores da PM do Estado do Maranhão? Eles não são cidadãos?
Duvido que o governador Flávio Dino tenha participação dessa violência. Duvido que ele compactue com tal malignidade. Tenho certeza de que as organizações de defesa dos Direitos Humanos do nosso Estado não aceitarão que tal violência se concretize. Convoco-as para assumirem posição ou um Policial Militar vitimado pela violência, pelo absurdo estatal, não é digno de sua defesa?

Obviamente, não sou um jurista, um constitucionalista, sou Cabo de Polícia! Mesmo assim, encontro no lugar de poder expressar meus posicionamentos. Por se tratar de um direito fundamental e, por conta de seu conteúdo valorativo de princípio constitucional e cláusula pétrea (art.60, §4º, IV) à liberdade de expressão merece máxima importância e proteção no nosso ordenamento jurídico vigente.
A Constituição assegura a todo brasileiro o direito à liberdade de se expressar de acordo com sua vontade, pensamentos e convicções, sem ser agredido ou rejeitado pela sociedade, nem vítima de perseguição. Poderá fazê-lo por meio de escritos, imagens ou palavras conforme artigo 5º, inciso IV. Percebam! O texto constitucional diz: Todo brasileiro, isso inclui Policiais Militares. Ou isso, ou estamos dizendo que Policiais Militares não são cidadãos.

Tudo o que o Sgt. Ebnilson fez foi exercer seu direito constitucional, nada mais. Tal direito se estende até aos estrangeiros aqui residentes e àqueles que entrarem no país regularmente por meio de tratados (art.5º,§2º). Nossa constituição não permite, sequer, a extradição de estrangeiro que cometer crime político ou de opinião, está expressamente vetada, conforme artigo 5º.
Percebam que nossos deputados constituintes se preocuparam com todos, todos! Policiais também! Isso significa que, a todos é concedido o direito de participar ativamente do pluralismo de ideias para o bom funcionamento da democracia. Trata-se de uma faculdade do indivíduo para manifestar livremente seus juízos de valor e garantir o pleno exercício da soberania popular.

Meus irmãos, a comunicação livre enriquece e amplia o debate público e assegura que os cidadãos opinem sobre os temas em pauta no país. Daí a vital importância de uma imprensa livre, que abra espaço para as manifestações de todos os segmentos, sem distinção ou qualquer tipo de preconceito, conforme estabelecido no art.5º.
No Estado Democrático de Direito, entendemos que a liberdade de expressão e comunicação cumpre duas funções essenciais: a de informar, na medida em que as notícias se tornam públicas e seu acesso permite aos cidadãos conhecê-las melhor e avaliá-las, e criticar o poder público, o que poderá levar, inclusive, à mudança dos governantes.
A doutrina jurídica brasileira parece já ter incorporado o valor da liberdade de expressão e comunicação voltada aos objetivos sociais coletivos. A comunidade política, certamente, não. As Polícias Militares de todo o Brasil, certamente, estão longe de incorporar tal valor, parecem não ter percebido ainda, que há uma nova constituição no país e que exige delas, também, sua fiel observância. Não é o país e a constituição que devem se enquadrar aos regulamentos militares, pelo contrário, a legislação castrense deve ser uma serva fiel e obediente da Constituição. Ou isso, ou nossa democracia estará sempre inacabada e seremos sempre uma “república” dividida em classes de cidadãos e, até, de não cidadãos.
Por fim, reafirmo meu apoio ao 3º Sgt Ebnilson, jornalista inscrito em órgão de classe, abrindo as portas do meu gabinete e pondo à sua disposição nossa assessoria jurídica para o que for necessário. Nosso mandato estará sempre a serviço do povo e dos trabalhadores do Estado do Maranhão.”

Cabo Campos

Deputado Estadual

Polícia Militar prende bando acusado de matar o Tenente Ramos após saída de Show

A polícia Militar prendeu na manhã deste domingo  (17), por volta das 7h, na rua Dois do Bairro São Francisco, três acusados sendo dois homens e uma mulher pela morte do tenente Ramos.

Com eles, o Batalhão de Choque apreendeu uma arma que teria sido utilizada no crime. A polícia conseguiu chegar até os acusados através do sistema de vídeo monitoramento. O tenente foi assassinado na noite de ontem, no bairro Maranhão Novo,ao lado da lanchonete Bom de Boca, após o show de Henrique e Juliano e Aviões do Forró.



image

 

Fonte: Blog do Luis Cardoso

ASSOCIAÇÃO DAS ESPOSAS EMITE NOTA DE REPUDIO CONTRA O INQUÉRITO AO SARGENTO EBNILSON

                                                                      
ASSOCIAÇÃO DAS ESPOSAS, FAMILIARES E AMIGOS DOS POLICIAIS E BOMBEIROS MILITARES DO MARANHÃO – ASEFAPBM- MA.
NOTA DE REPÚDIO CONTRA ABERTURA DE IPM EM DESFAVOR DO SARGENTO EBNILSON
A ASEFAPBM- MA (Associação das Esposas, Familiares e Amigos dos Policiais e Bombeiros Militares do Maranhão), vem se manifestar publicamente, totalmente contraria ao IPM (Inquérito Policial Militar) movido pelo Comandante do Policiamento de Área Metropolitana – CPAM 1, em desfavor do 3º SGT. EBNILSON COSTA CARVALHO, da CPTur. Ind., por esse ser acusado de ter publicado em seu Blog “Blog do Ebnilson” matéria a respeito sobre reajuste salarial, mostrando a disparidade do subsidio do Delegado e do Coronel, com uma diferença de 5% para o coronel e de 70% para o delegado, mostrando nada mais do que a realidade dos fatos. Por esse motivo, veio a responder ao IPM com a seguinte fundamentação:
“teria, em tese, no dia 30/04/2015, por meio do Blog do Ebnilson, (http://ebnilsoncarvalho.blogspot.com.br/…/governoprivilegia…- com-um.html), de sua responsabilidade, publicado texto intitulado de “GOVERNO PRIVILEGIA OS DELEGADOS COM UM REAJUSTE DE MAIS DE 70% E OS CORONÉIS COM APENAS 5%, criticando assuntos atinentes ao ato do Governo do Estado sobre reajuste salarial”. (AJG BG Nº 076, de 08 de maio de 2015).
Temos certeza que o GOVERNADOR FLAVIO DINO não pactua com essas praticas obsoletas de cerceamento da liberdade de expressão e de comunicação principalmente dos profissionais da imprensa, pois o Sargento Ebnilson além de ser policial militar é um profissional do jornalismo devidamente registrado e que utiliza as palavras diuturnamente como uma atividade legalizada, diante deste abrupto rompimento do passado e do presente em que ainda se utiliza das praticas arcaicas utilizadas durante décadas para silenciar os gritos dos mais oprimidos, digamos de passagem os momentos difíceis que passamos “a sociedade” principalmente da passagem do regime militar de 64 até as diretas já, e com o advento de uma nova constituição “cidadã” de 88, já deviam terem abandonado os velhos regulamentos principalmente o RDE (Regulamento Disciplinar do Exercito) um regulamento arcaico, na verdade um decreto que não tem força de lei, reformulado em 2002 ou seja após a constituição de 1988.
Queremos acreditar que o atual governo por ter como chefe do executivo um jurista renomado e que soube atuar quando presidente dos juizados especiais federais, e que foi o primeiro magistrado a reconhecer os direitos dos militares das forças armadas em uma decisão inédita no país do aumento dos 28,5%, não ter conhecimento de tamanha inconsistência jurídica no referido IPM.
Esperamos sinceramente uma resposta do GOVERNADOR FLAVIO DINO, o qual defendeu em seu discurso de posse que a partir daquele momento não haveria mais injustiças no Estado do Maranhão. E que cumpriria com todos os acordos dos militares, inclusive o fim deste regulamento amaldiçoado (RDE), em que muitos oficiais o utilizaram como ferramenta de coerção moral e física e psicológica no passado e ainda perduram resquícios no presente e pelo visto perdurará no futuro, pois quando da criação da comissão “paritária” para tratar desse e outros assuntos, coloca-se mais peso de um lado da balança, quando nessa comissão existem 04 oficias contra 02 praças (4 X 2), nesse caso reiteramos novamente aos representantes dos praças as suas retiradas da comissão em forma de protesto, pela disparidade existente.
Declaramos apoio incondicional ao Sargento Ebnilson, e a outros militares que vierem a se sentirem ameaçados e prejudicados em seus direitos individuais e coletivos. Chamamos a todas as entidades de classe, não só as militares, mais á todas aquelas que presam pelos direitos de liberdade de expressão, e principalmente àquelas ligadas aos meios de comunicação a se manifestarem em apoio ao Sargento Ebnilson.
Pedimos aos deputados que se pronunciem sobre essa matéria, e deem apoio incondicional, principalmente a comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa, e da OAB, assim como o Conselho Estadual de Direitos Humanos.
Basta de tanto sofrimento dessa categoria tão desfavorecida, sem direitos como insalubridade, periculosidade, hora extra, risco de vida, adicional noturno, igualdade no auxilio alimentação, por exemplo, enquanto outros profissionais da área da segurança pública ganham R$ 559,00 de alimentação o policial militar ganha R$ 300,00, basta de tanta injustiça, esses homens e mulheres tem que terem seus direitos reconhecidos. Esperamos sinceramente que este governo seja o governo da mudança, mas já é hora de por fim nessas situações absurdas.
Josilene de Jesus Medeiros da ASEFAPBM-MA
Fonte: Blog do Ebnilson

Tenente da PMMA é assassinado em São Luis

1_tenente-13312
Na madrugada deste domingo, 17, em São Luís, o tenente Gilvan Roque Araújo Ramos, lotado na 8ª Companhia Independente de Itapecuru-Mirim, foi assassinado próximo a shopping localizado na Av. Daniel de La Touche, após o show ocorrido nas imediações. Segundo informações de amigos e parentes, o tenente Ramos veio a São Luís passar o fim de semana e aproveitou para ir a um show. De acordo com informações da Polícia Militar, o tenente Ramos estava com o seu veículo estacionado na praça em frente ao shopping localizado no Maranhão Novo, quando por volta das 03h50 ao retornar ao seu carro, havia um Corsa Classic prata de placa ainda não identificada com 2 homens e 1 mulher bloqueando a saída de seu veículo. O militar pediu que os acusados retirassem o carro para que ele pudesse sair. Após fazer o pedido, os ocupantes do Classic efetuaram disparos de arma se fogo contra o PM.
O tenente Ramos ficou caído no local, chegou a ser socorrido e foi levado pela Rotam ao hospital municipal Djalma Marques, Socorrão I, porém não resistiu e morreu.
A ocorrência foi registrada pela Secretaria de Estado de Segurança Pública. Os suspeitos de cometer o crime foram identificados por Denis Miranda da Silva, Dailtonson Silva Peres e Rafaela Nunes dos Santos e há indícios da participação de uma quarta pessoa que fugiu da polícia. Os três acusados foram presos ainda na manhã deste domingo na Rua 02 no bairro São Francisco. Eles foram encaminhados ao Plantão de Polícia Civil do Cohatrac.
O velório do tenente Ramos acontece na capela do Comando Geral da Polícia Militar do Maranhão e o enterro será realizado às 10h desta segunda-feira, 18, no cemitério Jardim da Paz.

Maranhão vergonha: CGU dá nota 2,2 para transparência do governo Flávio Dino

Levantamento feito pela Controladoria-Geral da União (CGU) aponta que, com apenas cinco meses no comando do Palácio dos Leões, o governo Flávio Dino, do PCdoB, é um dos piores do país no quesito transparência pública. Este é o resultado apontado por um índice lançado pelo órgão nesta sexta-feira (15), a Escala Brasil Transparente, para lembrar os três anos de vigência da Lei de Acesso à Informação (LAI).

Maranhão é o 3º pior colocado em índice de transparência da CGU
CGUQUE VERGONHA!Maranhão é o 3º pior colocado em índice de transparência da CGU. Levantamento foi feito entre os meses de março e abril deste ano

Entre as 27 unidades da federação, o Estado do Maranhão tirou a nota 2,2 numa escala que vai de 0 até 10, colocando o Maranhão na posição vergonhosa de 3º Estado menos transparente do Brasil.

Segundo informações da assessoria de Comunicação da CGU, essa pontuação foi dada após avaliação de solicitações reais de acesso à informação em diversas áreas do governo Flávio Dino e a avaliação da transparência pública ocorreu apenas no Poder Executivo, de responsabilidade do governador e de seu secretário de Transparência e Controle, Rodrigo Lago – a pasta foi criada recentemente, e até agora só tem serviço para onerar os cofres públicos.

A posição vergonhosa do Maranhão não chega a ser novidade.

Desde a posse do comunista e da nomeação de Lago, o Atual7vem denunciando a falta de transparência pública no governo. Informações como os critérios adotados para a nomeação de uma indiciada pela morte de estudantes em Bacuri e de um dono de construtora fantasma; o supersalário acima do cargo para uma amiga do secretário Márcio Jerry em Imperatriz; e as despesas com o ex-jogador da Seleção Brasileira de Futebol, Zico, e com a festa de aniversário do governador nas dependências do Palácio dos Leões foram todas negadas – e por isso devem ser alvo de ações no Ministério Público, por descumprimento das seguintes capitulações legais da LAI: Inciso I, Art.9º Lei nº 12.527/11; §2º, Art.10º Lei nº 12.527/11; §1º, Art.10º Lei nº 12.527/11; Inciso I, alíneas “b” e “c” Art.9º, Lei nº 12.527/11; §§1º e 2º, Art.11º Lei nº 12.527/11 e Art.5º Lei nº 12.527/11. Todos estes dizem respeito a dificuldade no fornecimento de informações públicas.

Culpa de Roseana?

Restando menos de dois meses para deixar o comando dos Leões, a então governadora Roseana Sarney, do PMDB, enviou mensagem à Assembleia Legislativa pedindo a aprovação de uma Lei da Transparência mais rígida para a gestão estadual, mas foi derrotada por Dino já ter a maioria no Poder Legislativo.

Como a Lei da Transparência estadual só foi aprovada este ano, e o texto é todo de autoria do governo comunista, Flávio Dino não tem como culpar os Sarneys desta vez. Além deste, um outro fato também acaba com a famigerada desculpa de herança maldita: o site da CGU aponta que a avaliação foi feita entre os dias 31/03/2015 a 23/04/2015, ou seja, já na gestão do governador do PCdoB.

Abaixo, as listas dos 10 melhores e dos 10 piores Estados e das 10 melhores e das 10 piores capitais brasileiras no ranking da transparência.

10 Estados mais transparentes

1. Ceará
2. São Paulo
3. Paraná
4. Sergipe
5. Santa Catarina
6. Rio Grande do Sul
7. Distrito Federal
8. Goiás
9. Espírito Santo
10. Tocantins

10 Estados menos transparentes

1. Amapá
2. Rio Grande do Norte
3. Maranhão
4. Mato Grosso do Sul
5. Pará
6. Amazonas
7. Rio de Janeiro
8. Acre
9. Roraima
10. Rondônia

Fonte: Atual7