Avião cai e piloto morre carbonizado em Balsas, Sul do Maranhão

avião agrícola caiu durante voo de treinamento em Balsas

avião agrícola caiu durante voo de treinamento em Balsas (Crédito foto: Emanuel Lemos)

Por volta de 16:30h uma aeronave agrícola modelo Airtractor – 502 pertencente a empresa Risa, que realizava testes desde o período da manhã no aeroporto de Balsas – MA.

Após decolar acabou caindo na pista, e pegando fogo. O piloto Jose Mauro Jaques de Medeiros experiente em vôos morreu carbonizado.

O proprietário e piloto de Avião Eduardo Canedo que estava no aeroporto no momento do acidente disse que a aeronave correu na pista de decolagem por mais ou menos 700 mts e subiu de uma maneira fora do normal, na vertical e que da mesma forma que o avião subiu ele desceu. Que o piloto tentou salvar a aeronave flapiando o avião; o que para Eduardo Canedo descarta a possibilidade do piloto ter apagado durante a decolagem.

Tenente Aquiles comandante do 4° BBM disse que o Corpo de Bombeiros chegou rapidamente, e já encontrou o piloto que tentou sair da aeronave mais morreu em cima de uma das asas carbonizado.

O delegado regional de Balsas, Dr. Diego Schiavini disse: Nós já informamos o Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos. (CENIPA) órgão responsável em fazer a investigação de acidentes aéreos, estão se deslocando de Manaus para cá, devem chegar amanhã cedo e começar a investigação. Agora vamos fazer a liberação da pista, tentar tirar a aeronave o mínimo possível pra fora da pista de rodagem, tentando preservar todos os indícios para eles fazerem as análises.

Em 2012 Charles Medeiros, filho de José Mauro Jaques de Medeiros, morreu quando pilotava uma aeronave em uma Fazenda no município de Tasso Fragoso.

acidente aéreo em Balsas

Sindjus convoca Ato Público e Assembleia Geral em frente ao TJ-MA na quarta-feira

Do Atual7 – O Sindicato dos Servidores da Justiça (Sindjus) do Estado do Maranhão convocou, para a próxima quarta-feira 11, Assembleia Geral Extraordinária para avaliar a decisão proferida pelo desembargador Jamil Gedeon Neto, atendendo pedido da Procuradoria Geral do Estado (PGE), de determinar liminarmente a suspensão da greve geral dos servidores do Poder Judiciário, sob a alegação de que o movimento paredista estaria descumprindo a lei de greve.

Servidores decidirão os próximos passos da luta da categoria para garantir o pagamento das perdas inflacionárias de 6,3%
Sindjus-MA Ato público Servidores decidirão os próximos passos da luta da categoria para garantir o pagamento das perdas inflacionárias de 6,3%

A princípio, a categoria havia sido convocada pelo sindicato para se reunir nesta terça-feira 9, mas a Assembleia Geral foi transferida e confirmada para somente depois de amanhã, em razão do presidente do sindicato, Aníbal Lins, encontrar-se em Brasília (DF), cumprindo agenda de compromissos no Supremo Tribunal Federal (STF), no Superior Tribunal de Justiça (STJ), no Conselho Nacional de Justiça (CNJ), na Procuradoria Geral da República (PGR), na Federação Nacional dos Servidores do Judiciário (FENAJUD) e na Confederação dos Servidores Públicos do Brasil (CSPB), onde trata de assuntos de interesse dos servidores do Poder Judiciário do Maranhão.

A Assembleia Geral convocada pelo Sindjus-MA acontecerá na Praça Pedro II, em frente ao Tribunal de Justiça, às 11 horas, e vai deliberar também se os servidores darão continuidade, ou não, à greve geral, depois da decisão proferida pelo referido desembargador. O movimento paredista foi deflagrado depois de dez meses de tentativas de negociação pelo sindicato com a direção do TJ-MA, que resultaram infrutíferas em razão da administração do Judiciário estadual não garantir dentre as suas prioridades o pagamento desse direito constitucional dos servidores.

Calote

O Tribunal de Justiça do Maranhão pagou em janeiro deste ano o reajuste de 14,6% do valor dos subsídios dos juízes e desembargadores, por portaria administrativa e sem previsão orçamentária para isso. No mesmo mês, o Sindjus-MA solicitou o pagamento da reposição inflacionária de 6,3% de reposição das perdas inflacionárias dos servidores, referentes ao período de janeiro a dezembro de 2014. Porém, a presidente da Corte, desembargadora Cleonice Freire, alega depender agora de suplementação orçamentária do governador Flavio Dino (PCdoB), não enviando sequer o projeto de lei garantindo esse direito constitucional dos servidores para decisão da Assembleia Legislativa.

Até decisão em contrário de Assembléia Geral, os servidores do Judiciário maranhense continuarão em greve geral por tempo indeterminado em todas as comarcas do estado. Hoje e amanhã, em São Luís, a concentração será em frente ao Fórum “Desembargador Sarney Costa”, no Calhau, onde os servidores realizarão diversas ações sociais, como doação de sangue e coleta de gêneros alimentícios não-perecíveis para doação a entidades de assistência social a pessoas carentes.

Convocação

Na quarta-feira 11, atendendo à convocação, os servidores estarão concentrados no Fórum de São Luís, a partir das 8 horas, de onde sairão em carreata, promovendo um buzinaço até a Praça Pedro II, onde realizarão um Ato Público em frente ao Tribunal de Justiça, antes da Assembleia Geral. O Sindjus-MA ressarcirá as despesas com alimentação e transporte das caravanas das comarcas do interior do estado, que vierem participar da carreata e da Assembleia Geral.

O Ato Público promovido pelo Sindjus-MA tem como mote a cobrança por eleições diretas para os cargos de direção do tribunal; o imediado cumprimento da Resolução n.º 88 do CNJ, de determinar metade dos cargos comissionados para servidores efetivos; exigir o fim do auxílio moradia de 4 300 reais para juízes e desembargadores; exigir o pagamento da reposição anual e constitucional das perdas inflacionárias dos servidores e a nomeação de novos concursados para os cargos vagos no Tribunal de Justiça.

— A direção do Sindjus-MA informa que está tomando todas as providências legais necessárias para garantir o direito de greve da categoria e a reforma da decisão proferida pelo Desembargador Jamil Gedeon — declarou o secretário de Assuntos Jurídicos, Rivelino Pereira.

Para mais informações, os servidores deverão contatar com Fagner Damasceno (98 9820-0211 TIM), Márcio Luis (98-99163-8377 TIM), Rivelino (99-99156-5847 VIVO), Edi (98-98876-4872 OI), George (98-98751-9570), Claudia ou Pedro Davi (98-3232.5497).

Não caiu no esquecimento – Caso do professor acusado de agenciar menores está em andamento

CRUZMALTINA - denuncia professor. (alunaas 2

Imagem meramente ilustrativa

Por mais que pareça, o caso do professor de uma escola municipal acusado de agenciar quatro alunas, menores de idade onde as mesmas foram induzidas a ingerir bebida alcoólica num primeiro momento na presença do próprio professor e depois na presença de outros dois homens que elas nunca viram e não conheciam, este caso ganhou notoriedade em Codó e refletiu na capital maranhense após ter sido denunciado aqui no Blog do Bezerra,  não caiu no esquecimento, estamos acompanhando os trabalhos da Polícia Civil e Ministério Público.

As vítimas estão sendo ouvidas na presença dos responsáveis  e nos próximos dias o acusado deverá ser intimado a comparecer para prestar esclarecimentos, além de fundamentar sua defesa. Ao que tudo indica, a situação do professor não é nada boa, pois os depoimentos das alunas até agora são contundentes e comprometedores, pois elas têm confirmado as acusações preliminares e uma delas confirmou ao MP que o professor ofereceu dinheiro em troca de sexo.

Caberá à investigação, identificar o tal de “Robson” que é citado pelas quatro alunas, pois este é o motorista e dono do carro que foi utilizado para transportar as alunas da Câmara de vereadores até o Sítio Cai Cai, e ele disse a elas que já tinha o costume de fazer aquele tipo de programa com meninas da idade das alunas (12, 14, 14 e 16 anos) e chegou ainda a apresentar um vídeo de seu celular de uma lancha e em seguida disse que “se as alunas quisessem, posteriormente elas poderiam marcar a data para um passeio, bastando apenas um contato com o professor“.

Sem responder e se defender das acusações, o professor procurou a imprensa local para dar explicações e não conseguiu lograr êxito, pois a cada pergunta feita a ele a resposta dada era mesma, “PERSEGUIÇÃO POLÍTICA”, não sei qual.

Nos últimos dias, uma Organização Mundial se mostrou solícita em acompanhar o caso, a PLAN INTERNACIONAL, que desenvolve projetos de defesa e desenvolvimento de políticas públicas para o mesmo público das vítimas.

Arlindo Salazar participa de audiência pública sobre o Programa Bolsa Família em Timbiras.

arlindoCerca de 200 pessoas, entre representantes das comunidades, trabalhadores e donas de casa, participaram no último sábado na Câmara Municipal de Timbiras, da Audiência publica sobre o Programa Bolsa Família. O evento foi uma iniciativa da Controladoria Geral da União (CGU), Secretaria de Fazenda do Estado (SEFAZ), Tribunal de Contas da União (TCU), Controladoria Geral do Estado (CGE), e contou com o apoio da Agência da Receita Federal em Codó (ARF/CODO).
O objetivo da Audiência Pública foi discutir diversos assuntos referentes ao Programa Bolsa Família (PBF), dentre elas a real situação do programa no município e as mudanças que entrarão em vigor em relação aos beneficiários que também recebem outro programa do Governo Federal, o Seguro Defeso.
Tranquilo, e com uma linguagem clara e direta, o jovem auditor da Fazenda do Estado, Francisco Filho, fez uma grande explanação acerca dos temas principais, tirando praticamente todas as dúvidas existentes. Arrancou palmas, e a admiração de uma plateia sedenta por informações.
O encontro também serviu também para qualificar a participação da sociedade civil na formulação das políticas, orçamento e acompanhamento dos gastos públicos.

DSC086154

O Gerente Regional Da Receita Federal, Arlindo Salazar, esteve a convite dos organizadores participando do encontro, Salazar destacou a importância do evento para a comunidade timbirense.
“Os temas que foram abordados aqui neste evento foram de extrema importância para a comunidade presente, foi perceptível no rosto de cada um o quanto eles estavam interessados em tirar suas duvidas com relação ao Programa Bolsa Família, fiquei feliz por ter participado e espero que eventos como este também possam acontecer no município de Codó”. Disse Arlindo Salazar.

ASCOM/ARLINDO SALAZAR

2016 de expectativas, ou o Maranhão engrena ou Flávio Dino despenca na popularidade

comparação

Após quebrar a hegemonia da Oligarquia Sarney que perdurou por quase 50 anos no Maranhão, onde a miséria poderia ter sido combatida com maior magnitude, pois meio século é tempo suficiente para romper muitas desigualdades sociais, inclusive com a pobreza, fome, analfabetismo, segurança e saúde, Flávio Dino assumiu o comando da política do estado, trazendo uma esperança e se comprometendo em  combater tudo de maléfico que o Sarneysmo carregava ao longo desse longo período.

Quase um ano se passou e ainda não conseguimos enxergar algo novo, o tão sonhado desenvolvimento, e este fracasso está sendo atribuído à crise que o país passa, o que é facilmente aceitável por conta de uma fase de transição de uma gestão e outra. Algumas raposas velhas estão entrando para se aliar ao governo trazendo na bagagem uma experiência capaz de contaminar qualquer gestão.

A cidade Codó, acostumada a contribuir de forma considerável na escolha dos últimos governadores ( Lobão, Roseana, José Reinaldo, Jackson Lago e Flávio Dino), inclusive foi aqui que se deu a queda de um deles, tem presenciado com muita desconfiança a tal mudança que aqui não chegou, falo das alianças com um grupo ligado fortemente ao Grupo Sarney, composto pelos senadores Edson Lobão, João Alberto e Companhia.

Lembro-me bem que em sua campanha eleitoral o rompimento com tudo que tinha ligação com o velho modo de se fazer política seria combatido em todo o estado e como se não fizéssemos parte do Maranhão, estamos vendo um governo completamente prostituído com as velhas raposas.

Ainda não sentimos aqui a presença de um governo desenvolvimentista e comprometido com a tal mudança, muita falácia e pouca ação. Nem mesmo um simples posto fixo para emissão  de documentos o governo conseguiu implantar na cidade, segundo informações de pessoas ligadas ao governo há apenas pendências relacionadas sobre onde vai funcionar o serviço. Cadê a “Escola Digna”, modelo educacional considerado como sendo a salvação da educação e erradicação do analfabetismo?

É aceitável por quem tem uma consciência perfeita de que não se faz nada sem dinheiro e que o orçamento em mãos foi o aprovado pela gestão passada, então vamos aguardar que com mais recursos o estado possa de fato alavancar em 2016, porém é pouco provável que isto ocorra, pois ainda há pessoas ao lado do governador que não têm o real comprometimento com a quebra de paradigmas e esse comportamento poderá  ser o início da queda de um governo que ainda representa a esperança.

Banco do Brasil – sem dinheiro novamente nos terminais eletrônicos de Codó

banco do brasil

Grande falta de respeito de um Banco que cobra taxas tão altas e presta péssimos serviços aos clientes de Codó e região. Desde as primeiras horas deste sábado (07/11) os terminais eletrônicos da agencia estavam já sem dinheiro e no domingo não foi diferente.

Não sabemos onde isso vai parar, mas vai chegar a hora em que os cidadãos inertes às reivindicações populares vão acordar e tomar atitudes mais arrojadas, aí a justiça vai persegui-los por praticarem crimes contra o patrimônio.

Pouco dinheiro por conta de assaltos

Os clientes não têm nada a ver com a violência praticada por assaltantes e quadrilhas que praticam explosões às Agências Bancárias, é obrigação dos Bancos protegerem seu patrimônio, a cada dia que passa se investe menos em segurança patrimonial dos Bancos e tudo fica sob a responsabilidade da polícia. Segunda haverá sessão na Câmara e vamos ver qual vereador tem coragem para denunciar o caso.

PAES 2016 – Vestibular da UEMA com provas hoje e amanhã

estudar-2-septUniversidade Estadual do Maranhão realizará o Processo Seletivo de Acesso à Educação Superior (PAES 2016), hoje (domingo) e amanhã (segunda), nesta edição, 42.312 candidatos se inscreveram no vestibular.

O certame será realizado no horário das 13h às 18h (horário local), nas cidades de São Luís, Caxias, Imperatriz, Bacabal, Balsas, Santa Inês, Açailândia, Pedreiras, Timon, Grajaú, Lago da Pedra, Zé Doca, Itapecuru-Mirim, Colinas, Pinheiro, Presidente Dutra, São João dos Patos, Coelho Neto, Barra do Corda, Codó e Coroatá.

No Cartão de Confirmação de Inscrição/PAES consta o local de prova. Para ter acesso, clique aqui.

O candidato deverá comparecer ao seu local de prova com antecedência mínima de 60 (sessenta) minutos. Os portões dos prédios onde se realizarão as provas do 1º e 2º dias serão fechados impreterivelmente às 13 horas. Nos dois dias do vestibular é obrigatória a apresentação de documento de identificação original com foto. Para realização da prova, o candidato deverá utilizar apenas caneta de material transparente.

No primeiro dia, as provas terão 60 questões de múltipla escolha, sendo 20 de Linguagem, Códigos e suas tecnologias, 20 de Ciências Humanas e suas tecnologias e 20 de Matemática e Ciências da Natureza e suas tecnologias. No segundo dia, serão aplicadas as provas analítico-discursivas de dois componentes curriculares específicos por curso, com 12 questões, sendo 6 para cada componente, além da produção textual. A duração das provas nos dois dias é de 5 horas.

Concorrência

O curso mais concorrido é o de Medicina – Campus Caxias, com 210,19 candidatos por vaga (sistema universal de vagas). Em segundo lugar está o curso de Direito – Campus São Luís; neste foram 109,12 inscritos por vaga (sistema universal de vagas).

Clique aqui e veja a concorrência de todos os cursos, em todos os Campi da UEMA.

Resultado

O resultado do vestibular da UEMA será divulgado na primeira quinzena de janeiro de 2016.

José Sarney diz que São Luís “há muito tempo não tem prefeito”

O ex-senador José Sarney (PMDB-AP) fez ontem, durante encontro com dirigentes e militantes do PMDB maranhense, duras críticas às recentes gestões da Prefeitura de São Luís.

Faltando pouco menos de um ano para as eleições municipais – e com o PMDB ainda conversando com praticamente todas as correntes políticas na capital -, o ex-presidente da República disse que a militância deve permanecer focada em trabalhar como oposição ao governo Flávio Dino (PCdoB) para garantir sucesso no pleito do ano que vem.

Ele reforçou discurso recente da filha, a ex-governadora Roseana Sarney (PMDB) que também conclamou os aliados a se manterem em postura oposicionista.

José Sarney com o senador João Alberto, durante encontro com dirigentes e militantes do PMDB do Maranhão
Biné Morais/OEstado Visita de cortesia José Sarney com o senador João Alberto, durante encontro com dirigentes e militantes do PMDB do Maranhão

Para Sarney “há muito tempo” a capital maranhense não tem prefeito de fato. “Aqui [em São Luís], há muito tempo nós não temos prefeito. Os prefeitos que temos tido eles não tomaram conta da cidade porque se criou a mentalidade de que quem tem que fazer por São Luís é o Estado”, destacou.

Na avaliação do ex-senador, ele mesmo – e a ex-governadora Roseana Sarney – têm “grande culpa”, porque fizeram governos marcados pela forte presença do Estado, com obras e ações, na cidade.

“Eu acho que tenho grande culpa nisso, porque quando fui governador eu abri essas avenidas todas que tem aí, trouxe a ponte do São Francisco. A cidade de São Luís teve outras perspectivas”, disse.

Continuidade

Ao citar a abertura do Porto do Itaqui, a criação de sistemas de abastecimento d’água e a construção de conjuntos habitacionais, ele afirmou que os governos Roseana Sarney deram continuidade a esse modelo de administração.

“Roseana [Sarney] completou tudo isso da forma como ela tratou São Luís, que vocês viram: com os viadutos, as avenidas que ela abriu. Hoje, as maiores obras de avenida aqui dentro de São Luís são a Quartocentenário e a Via Expressa. Daqui a cinquenta anos ainda vão citar essas avenidas como vetores de oportunidade para o crescimento da cidade”, avaliou.

Expressão

Na conversa com os peemedebistas, Sarney também lamentou o que considerou o fim de um ciclo de expressividade do Maranhão no cenário nacional após a sua saída da vida pública.

“O Maranhão hoje não tem nenhum ministro de Estado, nenhuma autoridade de grande projeção nacional em qualquer lugar. Desapareceu aquela presença que o estado tinha no Brasil”, declarou.

“O povo nos colocou na oposição”, diz Sarney

Ao comentar a postura do partido em relação ao governo Flávio Dino (PCdoB), o ex-senador José Sarney reforçou o discurso da filha, a ex-governadora Roseana Sarney, de que o PMDB deve permanecer na oposição.

“O fato político importante que houve é que o povo nos colocou na oposição, então nós temos que fazer oposição. Não podemos deixar de fazer oposição. Afrouxar em fazer oposição é não cumprir aquilo que o eleitor nos colocou. Ele não nos colocou para chegar e aderir ao governo, porque ele não vai compreender isso. Nós é que vamos nos acabar”, ressaltou.

O peemedebista reiterou que a postura deve ser de “oposição responsável” e rechaçou a possibilidade de responder a ataques pessoais que tem sofrido por parte de governistas.

“Fazer oposição é isso: é fiscalizar, é mostrar, é dizer, é comparar. Evidentemente que nós não vamos fazer oposição de trocar insultos com as pessoas, nem da parte pessoal”, completou.

O discurso esteve afinado com o de Roseana. Na semana passada, após a reeleição do senador João Alberto para a presidência do Diretório Estadual do PMDB, ela também conclamou a militância da legenda a manter-se na oposição ao governo comunista.

“O PMDB é oposição ao governador Flávio Dino. Nós não podemos ter duas faces. Nós somos oposição ao governo, senão eu não estaria no partido. Somos oposição ao governo Flávio Dino, e por isso mesmo temos de lutar”, disse.

Fora dos planos, Sampaio empata em casa com Oeste, mas fica próximo do G4

Deu empate o confronto contra o Oeste. Em jogo de dois tempos distintos, o Sampaio saiu na frente com Plínio, na primeira etapa, e cedeu a igualdade no início do segundo tempo, que persistiu até o fim.

Quando a bola rolou, a equipe do Oeste tratou de montar guarda no campo defensivo. Já era esperado. O Sampaio deu início ao seu propósito. Atacar. Não deixar o adversário respirar. O domínio Tricolor era pleno, sem correr riscos.

Tudo igual contra o Oeste (Foto: Elias Auê)

Tudo igual contra o Oeste (Foto: Elias Auê)

Com calma, a Bolívia agredia insistentemente. Pelo meio, pelas pontas, via aérea, de todas as maneiras. O gol precisava sair. E, por pouco, Diones não abre o placar. A bola sobrou limpa para o capitão, que chutou para o gol, dentro da pequena área, mas a zaga salvou milagrosamente.

Diones não deixou barato. Arriscou um chute de longe, que resultou em escanteio. Na cobrança, a bola sobrou pra Plínio, que encorpou um centroavante e mandou pro gol. Explosão nas arquibancadas. Sampaio na frente.

Soberano, o Tricolor seguiu com o domínio da partida, e buscava ampliar o placar naturalmente, mas a contagem mínima ficou cravada no placar até o fim do primeiro tempo.

Faltavam 45 minutos para coroar a atuação e celebrar os três pontos. No entanto, trata-se de futebol, e esse esporte é mestre na arte de surpreender.

O oponente queria uma bola. Apenas uma. E a bruxa do Oeste tratou de passear no Castelão. Um gol vadio, fortuito, que mudou completamente o panorama da partida.

Resultado que não interessava. O Sampaio precisava aumentar a artilharia, e foi pra cima, se expondo a perigosos contra golpes. Era o preço.

Mas a pressão não surtiu efeito. A igualdade prevaleceu. A Série B prova, mais uma vez, o seu nível de dificuldade. Uma competição que não cansa de causar surpresas, principalmente as desagradáveis. É o jogo.

A guerra não chegou ao fim. Ainda faltam quatro atos. O Sampaio segue vivo. Terça-feira tem mais um capítulo dessa aventura. Enquanto houver esperança, a chama vai se manter acesa.

Novembro Azul – Saiba onde surgiu e a importância

O Movimento Novembro Azul foi iniciado na Austrália em 2003, aproveitando a celebração do Dia Mundial de Combate ao Câncer de Próstata, comemorado em 17 de novembro. No Brasil, é realizado em parceria pela Sociedade Brasileira de Urologia (SBU) e o Instituto Lado a Lado pela Vida. Na Câmara dos Deputados, a iniciativa recebe o apoio da Frente Parlamentar de Atenção Integral à Saúde do Homem e da Comissão de Seguridade Social e Família.
Dados sobre a doença no Brasil
A Sociedade Brasileira de Urologia (SBU) estima que quase 50% dos brasileiros nunca foram ao urologista. Segundo pesquisa realizada pela SBU em maio de 2013, 47% dos homens entrevistados nunca fizeram o exame de toque retal, fundamental para detectar o câncer de próstata. A doença atinge cerca de 60 mil homens todos os anos no Brasil, sendo a neoplasia maligna mais comum no público masculino. Contudo, quando o câncer de próstata é detectado precocemente, o índice de cura ocorre em aproximadamente 90% dos casos.
Desde 2013, a SBU recomenda, baseada em trabalhos científicos publicados nos últimos anos, que o exame de toque retal seja feito a partir dos 50 anos para homens sem casos na família e aos 45 anos para negros e homens com casos na família. Em sua fase inicial, o câncer de próstata não apresenta sintomas. Por isso, a consulta anual ao urologista é indispensável para o acompanhamento da glândula.
As causas do câncer de próstata ainda são desconhecidas. Embora apareça em homens com mais de 65 anos de idade, as chances de desenvolver a doença aumentam em até dez vezes se já houve algum caso de câncer de próstata na família, como pai ou irmão. Outros fatores, como o estilo de vida, alimentação inadequada à base de gordura animal e pobre em frutas, legumes, verduras e grãos também podem interferir no surgimento da doença.