Santa Inês – Acusado de duplo homicídio e de sequestro e cárcere privado é condenado a 33 anos de reclusão

Júri em Santa Inês

Réu no júri que a 1ª vara da comarca de Santa Inês promoveu na quarta-feira (19), Joel Carlos Pereira dos Santos foi condenado a 33 anos e dois meses de reclusão em regime inicialmente fechado. Ele respondeu pela acusação de homicídio praticado contra Francisco das Chagas Oliveira Carvalho e Maria do Rosário de Fátima Oliveira, e de sequestro e cárcere privado que teve como vítima Jéssica Oliveira Carvalho. Presidiu o julgamento a juíza Denise Cysneiro Milhomem, titular da vara. O júri foi o segundo realizado nas novas instalações do Salão de Júris da comarca. O primeiro a acontecer no local foi o julgamento realizado no último dia 18.

De acordo com os autos, os crimes se deram na madrugada de 20 de novembro de 2013, na residência das vítimas. Ainda segundo os autos, na ocasião, Jéssica, que seria ex-namorada do réu, dormia, quando foi despertada pelo irmão que batia à porta do quarto pedindo que ela abrisse, ao que Jéssica não obedeceu.

Faca – Instantes depois, ao perceber que uma confusão ocorria no interior da casa, Jéssica abriu a porta do quarto, deparando-se com o acusado portando uma faca. Ao tentar desarmar o ex-namorado, esse teria jogado Jéssica na cama e se dirigido para a cozinha, onde iniciou uma briga com o irmão dela, Francisco, desferindo no mesmo sete facadas, matando-o.

Vendo o filho sendo esfaqueado pelo réu, a mãe de Francisco e Jéssica tentou intervir, quando Joel atingiu-a com seis facadas que a levaram à morte.

Caixa d’água – Consta dos autos que Jéssica teria tentado acionar a Polícia em busca de socorro, mas foi impedida pelo réu, que arrombou a porta do quarto onde ela se encontrava e, puxando-a pelos cabelos e ameaçando-a com a faca no pescoço, saiu arrastando a vítima (Jéssica) pelas ruas, sempre com a faca no pescoço da vítima e atingindo-a com “panadas” de facão nas costas.

Conduzida pelo acusado até um terreno baldio próximo à casa do mesmo, Jéssica foi obrigada a se esconder junto com Joel em uma caixa d’água.

Pela manhã, um indivíduo não identificado, ao retirar a tampa da caixa d’água, deparou-se com a vítima e o acusado, quando saiu correndo e chamou a polícia, ocasião em que o acusado fugiu deixando a vítima no local.

Tesoura – Por volta das 9h do mesmo dia, informada de que o réu estaria em uma farmácia, policiais militares se dirigiram ao local, onde encontraram Joel armado com uma tesoura.

De acordo com os autos, ao receber ordens para se render Joel teria ameaçado os policiais, sendo atingido por um tiro no punho e preso em flagrante. Conduzido ao hospital para atendimento médico, o réu posteriormente foi encaminhado para a Delegacia de Polícia.

Assessoria de Comunicação TJMA

SEMA realiza a quinta etapa da Operação “Selo Verde – Posto Legal”

fiscalizacao (2)

A Operação “Selo Verde – Posto Legal” é uma ação de fiscalizações na região metropolitana de São Luís, que além da capital, inclui os municípios de São José do Ribamar, Paço do Lumiar e Raposa, e tem como objetivo fiscalizar a situação do Licenciamento Ambiental e a Segurança das Instalações de todos os Postos de Revenda de Combustíveis e Gás de Cozinha de todo Maranhão.

 

O Governo do Estado promove a Operação, por meio da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Recursos Naturais (SEMA), que coordena a ação, e tem como parceiros na execução: a Secretaria de Estado de Minas e Energia (SEME), o Corpo de Bombeiros (CBMMA), Polícia Militar (PMMA), Batalhão de Polícia Ambiental (BPA), Delegacia Especializada em Meio Ambiente (DEMA), Delegacia de Defesa do Consumidor, e secretarias Municipais de Meio Ambiente de São Luis e São José de Ribamar. Cada órgão atuando conforme sua competência

 

A quinta etapa da Operação aconteceu durante toda essa semana e, nesta fase, teve como foco a fiscalização de postos de combustíveis de São Luís, Raposa e São José de Ribamar.  “O objetivo da ação é solucionar o problema da falta de licenciamento ambiental que afeta grande parte dos postos no Estado do Maranhão”, explicou o Secretário de Estado de Meio Ambiente, Marcelo Coelho.

 

Além da Licença Ambiental de Operação, expedida pela SEMA, também são requeridos o Certificado de Vistoria, expedido pelo CBMMA e o Alvará de Funcionamento, expedido pela Prefeitura Municipal de onde a empresa está localizada. São vistoriados, ainda, demais itens de segurança, como tipo, validade e lacre de extintores de incêndio. Amostras de combustíveis também são coletadas para análise laboratorial e verifica-se a origem dos combustíveis comercializados em cada posto. Nestes dias foram fiscalizados, uma média, por cada uma das quatro equipes de fiscalização formadas, cinco postos por turno.

 

De acordo com Coelho, a Operação “Selo Verde – Posto Legal”, apesar dos primeiros resultados apontarem para um número expressivo de estabelecimentos irregulares, a intenção do Governo do Estado, não é fechar postos de combustíveis, provocar desemprego ou desabastecimento do mercado. “A finalidade, é confirmar se os postos estão dentro da legalidade, atendendo os requisitos de segurança exigidos pelas normas do Conselho Nacional de Meio Ambiente (CONAMA) e da Agência Nacional do Petróleo (ANP), para garantir assim, segurança a comunidade de usuários dos postos e trabalhadores”, explicou o gestor.

 

Em São Luís, a Operação contou, ainda, com a participação do Centro de Referência de Saúde do Trabalhador (CEREST), que também analisou as condições de saúde dos trabalhadores nos postos fiscalizados. 

 

“A sinergia entre os órgãos é um fator importante para o êxito da Operação, os órgãos agindo com coesão, com o rigor necessário da lei e de forma orientativa, para que os agentes econômicos possam dar continuidade ao processo de legalização dos seus postos de combustíveis”, destacou Túlio Rodrigues, gestor de Petróleo e Gás da Secretaria de Estado de Minas e Energia.

 

No decorrer das operações as irregularidades encontradas são encaminhadas, conforme o caso, para o Ministério Público do Consumidor e o Ministério Público Ambiental e, em caso de crime, os encaminhamentos são para a Polícia Civil.

 

A Operação “Selo Verde – Posto Legal”

A Operação “Selo Verde – Posto Legal foi planejada pelo Governo do Estado, por recomendação do Governador Flavio Dino, para regularizar a situação da maioria dos postos de revenda de combustíveis, ameaçados de interdição pela ANP. A situação foi gerada a partir da edição da portaria ANP nº116 de julho de 2000, que inicialmente regulava a atividade e não previa atestado de vistoria do Corpo de Bombeiros, nem licenciamento ambiental concedido pelo órgão competente, como requisito básico para a concessão de autorização para funcionamento dos postos de combustíveis. Em novembro do mesmo ano, o CONAMA editou a resolução n° 273, passando a considerar todos as instalações de armazenamento de petróleo e outros combustíveis, como empreendimentos potencialmente poluidores.

 

Em consequência, tornou-se obrigatório o licenciamento ambiental prévio para localização, construção, instalação, modificação, ampliação e operação de postos revendedores e postos de abastecimento, entre outros. A resolução editada pelo CONAMA exige, também, a apresentação da vistoria do Corpo de Bombeiros, como documento essencial prévio, para a concessão da licença de operação. Sem este documento o posto de combustível não poderá funcionar.

Delator detalha como e onde Renan recebia propina do petrolão

MAIS PERTO DO FIM - Renan Calheiros, o todo-poderoso presidente do Congresso, na mira dos investigadores da Lava-Jato: cada vez mais próximo do desfecho de Eduardo Cunha

Foto: Revista Veja

O encontro era quase sempre marcado em um hotel discreto no Rio de Janeiro. Uma funcionária do Senado aparecia no horário combinado, identificava-se por meio de uma senha previamente acertada e recebia a coisa — às vezes em envelopes, às vezes em bolsas, quase sempre em malas cheias, conforme o valor da propina acertado para o dia. Valores que variavam de 250 000 a 1 milhão de reais. Era assim, sem nenhuma sofisticação, que parte do dinheiro desviado da Petrobras chegava às mãos do senador Renan Calheiros, presidente do Congresso. Transações que somaram milhões de reais se repetiram por mais de uma década sem que ninguém suspeitasse, financiaram campanhas políticas do PMDB e, agora, fornecem pistas sobre a origem da fortuna acumulada pelo presidente do Congresso. São esses detalhes, contados por um dos delatores da Lava-Jato em depoimentos sigilosos prestados à Procuradoria-Geral da República, que podem levar Renan a percorrer uma trilha semelhante à de Eduardo Cunha.

Fonte: veja.abril.com.br

Em Timbiras foi registrado um homicídio na noite desta sexta feira

galego

Ontem por volta das 19h na cidade de Timbiras foi registrado um homicídio, o jovem identificado por Romário de Jesus Sousa, vulgo “Galego”, teria sido atingido por dois disparos de arma de fogo no Bairro Horta. A polícia ainda não sabe o que motivou o crime, porém adiantou que “Galego” já possuía passagens pela polícia por furto, inclusive a última vez em que foi preso, ele estava de posse de uma motocicleta roubada.

Os policiais ainda chegaram a encontrar a vítima com vida, tendo sido acionado o Serviço de Atendimento Móvel – SAMU para que o jovem pudesse ser encaminhado para ao Hospital Geral da cidade, mas Romário não resistiu, vindo a óbito horas depois.

Após o crime, algumas diligências foram realizadas no sentido de localizar os suspeitos da morte de “Galego” e nas próximas hora teremos novidades sobre o caso.

 

 

PM de Coroatá apreende jovens acusados de furto de motocicleta

Na tarde desta quarta-feira, Policiais Militares do 24º BPM em Coroatá efetuaram a apreensão de um adolescente de 17 anos,  acusado de realizar furtos de motocicletas na cidade. Antes de ser localizado pela polícia, o jovem J. L. C., havia furtado uma motocicleta Honda Biz de propriedade de Maria de Fátima Oliveira Viana, que reside na Rua das Laranjeiras, Bairro Mariol em Coroatá.

Após várias diligências, a PM chegou até a residencia do infrator, que logo entregou seu comparsa, outro menor de 16 anos, bem como levou a guarnição ao local onde a motocicleta estava escondida. Tanto os jovens, quanto a motocicleta foram apresentadas na delegacia de Polícia Civil para providências.

Estão abertas as inscrições para o Processo Seletivo para o Instituto de Educação Ciência e Tecnologia do Maranhão – IEMA para Nível Médio e Superior para várias cidade

Resultado de imagem para IEMA

O Instituto Estadual de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão – IEMA, tendo em vista o disposto na Lei nº. 10.254 de 09 de junho de 2015 e na Lei Estadual n°. 9.860 de 01 de julho de 2013, que trata do Estatuto e Plano de Carreiras, Cargos e Remuneração do Educador, torna pública, para conhecimento dos interessados a realização do Processo Seletivo Interno Simplificado para as funções de Gestor Geral, Gestor Auxiliar com função Pedagógica, Gestor Auxiliar com função Administrativo-Financeira, Professor para os componentes da Base Nacional Comum Curricular, Professor para Atendimento Educacional Especializado AEE para sala de recurso multifuncional, Intérprete de Libras e área administrativa – Secretário Escolar para as Unidades Plenas em Tempo Integral do IEMA mediante as normas e condições estabelecidas no edital.

As inscrições podem ser feitas até as 18:00h do dia 07/11/2016 pelo site da Fundação Sousandrade e as provas serão realizadas no dia 27/11/2016, há vagas para os cargos de Gestor Geral, Gestor Auxiliar com Função Pedagógica, Gestor Auxiliar com Função Administrativo-Financeira e Secretário e professor em diversas disciplinas.

Confira o Edital clicando abaixo!

Edital_014_seletivo_iema_pleno_gest_2016

Governo do Estado realizará eleição para Gestor Escolar para as escolas da Rede de Ensino – inscrições com prazo de cinco dias apenas

O Governo do Estado abrirá, entre segunda-feira (24) e sexta-feira (28), as inscrições para o processo seletivo democrático para a função de gestão escolar das unidades de ensino da rede pública estadual. Ao todo serão ofertadas 596 vagas de gestor/diretor geral e gestor auxiliar/diretor adjunto, distribuídas nas 19 Unidades Regionais de Educação (UREs).

Os candidatos deverão preencher a ficha de inscrição que consta no Edital disponível no endereço eletrônico da Secretaria de Estado da Educação(www.educacao.ma.gov.br/mais-gestao), e encaminhá-la, junto com a documentação, para o e-mail: eleicaogestores@educacao.ma.gov.br. Ao enviar os documentos, o candidato deve especificar, no campo “assunto”, o nome da escola e o município (exemplo: assunto: “CE/UE/UI nome da escola – município).

Para se candidatar, o profissional deve ter curso de Licenciatura Plena ou Graduação em Pedagogia; ser efetivo na rede pública estadual; ter pelo menos três anos de efetivo exercício do magistério; estar em exercício na escola em que vai concorrer há pelo menos seis meses, comprovado por meio de declaração do chefe imediato; não estar em processo de aposentadoria ou respondendo a Processos Administrativos Disciplinares; comprovar, por meio de certificado ou declaração da autoridade competente, que participou e foi aprovado em curso de gestão ministrado pela Fundação Sousândrade (2015) ou que participou e foi aprovado em curso de formação Mais Gestão (2016).

Conforme o edital, não poderá concorrer ao processo o candidato que estiver com pendência financeira acerca de recursos públicos do Tesouro Estadual recebidos pela escola.

O processo será conduzido pela Seduc, por intermédio da Comissão Eleitoral Estadual, que será constituída por representantes da Secretaria, do Sindicato dos Trabalhadores em Educação Básica, das Redes Públicas Estaduais e Municipais do Estado do Maranhão (Sinproesemma); um aluno da rede estadual, indicado pela União Brasileira de Estudantes Secundaristas (UBES) e um representante de pais.

“A eleição para gestor escolar da rede estadual do Maranhão está inserida no Programa ‘Escola Digna’ e expressa o compromisso do Governo do Estado com a construção de uma escola pública participativa e democrática, na qual alunos, professores, técnicos e gestores trabalham juntos em prol dos resultados e da qualidade no processo de ensino e da aprendizagem”, destaca o secretário Felipe Camarão.

Haverá processo eleitoral em escolas com Caixa Escolar ativo, onde não houve processo seletivo democrático no ano de 2015 por falta de candidatos inscritos, sem candidato eleitos e onde há vacância. Não participam do processo escolas indígenas, quilombolas, unidades localizadas em áreas de assentamento, escolas militares, de tempo integral e de educação especial.

Calendário

A Seduc divulgará no dia 3 de novembro a relação das inscrições deferidas. O prazo para recursos é de quatro dias contados a partir da divulgação. A lista final dos candidatos deferidos será publicada no portal da Secretaria dia 10 de novembro.

A campanha eleitoral dos candidatos à função de gestor escolar acontecerá no período 14 a 25 de novembro e a consulta à comunidade escolar (eleições) nos dias 30/11, 1º e 2/12. A posse dos novos gestores escolares está prevista para acontecer até 23 de dezembro.

Curso de Segurança para magistrados é realizado na Região Tocantina

Juízes e promotores com atuação na comarca de Imperatriz e municípios adjacentes, participam de uma formação intensiva para aprender estratégias e técnicas de autodefesa e segurança preventiva durante o curso sobre Segurança Institucional (SEGINST).

A capacitação é realizada pelo Tribunal de Justiça do Maranhão, por meio da Escola Superior da Magistratura do Maranhão (Esmam) e recebe o apoio da Comissão de Segurança Institucional do TJMA e do Exército Brasileiro.

A abertura oficial da formação ocorreu na última segunda-feira (17), em Imperatriz, e contou coma presença do presidente do Tribunal de Justiça do Maranhão, desembargador Cleones Cunha e do diretor da Esmam, desembargador Jamil Gedeon.

Credenciado pela Escola Nacional de Formação e Aperfeiçoamento de Magistrados (ENFAM), o curso vai capacitar os juízes na adoção de estratégias e técnicas de autodefesa que os auxiliem na proteção de sua integridade, por meio da priorização de condutas de segurança preventiva nas mais diversas situações do dia-a-dia e do trabalho.

O diretor da Esmam, desembargador Jamil Gedeon, relembrou que é o segundo curso de Segurança Institucional para Magistrados oferecido pela escola somente este ano. “Agradecemos todo o apoio recebido pelos parceiros e pelo TJMA, por meio da Diretoria de Segurança Institucional, que nos permitiu aperfeiçoar o curso e realizá-lo para magistrados das comarcas do interior do estado”, disse.

O desembargador Cleones Cunha ressaltou a preocupação que o Judiciário maranhense tem com a segurança dos magistrados. “Através da nossa escola, é mais uma formação que está sendo realizada com toda excelência exigida. O magistrado corre riscos constantes, por isso temos que prepará-los quanto aos conhecimentos imprescindíveis relacionados à segurança”, destacou o presidente do TJMA.

“É uma satisfação receber este curso em nossas instalações. Desta forma, promove-se a interação entre Judiciário e o Exército Brasileiro”, comentou o major Frederico Souza, comandante do 50º Batalhão de Infantaria de Selva, local de treinamento dos 18 juízes e 05 promotores de Justiça participantes.

CONTEÚDO – A capacitação com 40 horas-aula trata de temas sobre a “Política Nacional de Segurança no Judiciário”, “Protocolos de segurança para magistrados”, “Procedimentos e técnicas de autodefesa”, “Técnicas de segurança e antissequestro”, “Defesa pessoal”, “Serviço de proteção ao magistrado”, “Técnicas de entrevistas e detecção de mentiras”, “Técnicas de direção defensiva e evasiva” e “Práticas de tiro defensivo”.

Sobre os formadores, o diretor de Segurança Institucional do TJMA, major Alexandre Magno Nunes, revelou que todos possuem experiências na atividade do Poder Judiciário.

“O curso traz uma adequação da realidade de segurança pública para a segurança institucional no âmbito da Justiça. Alguns protocolos e técnicas foram adaptadas para que eles tenham esta visão e cultura sobre segurança e percebam que isso é muito importante, também para a garantia da prestação jurisdicional”, enfatizou.

EXPECTATIVAS – Com 25 anos de experiência na magistratura, é a primeira vez que o juiz Genivaldo Pereira Silva participa de um curso com foco em ações de segurança. “Nós vamos ter a oportunidade de conhecer técnicas que vão nos auxiliar no dia a dia. A iniciativa de trazer o curso para esta região reflete a preocupação do Judiciário em promover ações centradas na prevenção”, destacou.

A juíza Ana Beatriz Jorge Maia, da 2ª Vara Cível de Imperatriz, também revelou que está ansiosa pela aprendizagem que a capacitação irá promover. “Estou há sete anos na região e é a primeira vez que faço uma formação desta natureza e deste nível. Tudo que será apreendido servirá para a vida profissional e pessoal, também”, finalizou.

INSTRUTORES – O corpo docente do curso de Segurança Institucional para Magistrados é formado por servidores e profissionais que atuam na segurança institucional do Judiciário em diferentes esferas e locais do país, sendo especialistas e conhecedores da realidade da Justiça nacional.

O quadro de instrutores é composto por José Mauricio Berni (graduado em Direito com especialização em Gestão com foco em qualidade na Segurança Pública pela UNIDERP/MS e Law Enforcement Management –Time de instrutores americanos); Lidenberg Melo (graduado em Direito e policial civil, instrutor de armamento e tiro da Polícia Civil do DF); Marcelo Schettini (Especialista em recursos de defesa e secretário de Segurança do TRT 2ª Região –SP); Maurício Viegas (especialista em Inteligência Estratégica e em Segurança Internacional pela Universidad de Alicante-Espanha);

Também o major Alexandre Magno de Souza Nunes, (diretor de Segurança Institucional e membro efetivo da Comissão Permanente de Segurança Institucional do TJMA e membro da Câmara Técnica de Inteligência, do Gabinete de Gestão Integrada da Secretaria de Segurança Pública do Estado do Maranhão); Washington Lima (Bombeiro Civil, educador físico e professor de defesa pessoal, faixa preta 3º DAN de Karatê).

E ainda Jodson Diniz (Especialista em Ciências Penais, instrutor nacional e internacional de tonfa, bastão, arma branca e arma de fogo, professor de defesa pessoal) e Bruno Pimentel (bacharel em Ciências Militares, educador físico com participação em diversas missões de segurança e proteção de autoridades civis e militares, nacionais e estrangeiras).

Fonte: TJMA

Prisão preventiva de Eduardo Cunha repercute em Plenário da Câmara

Resultado de imagem para eduardo cunha

A notícia da prisão preventiva do ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB-RJ) repercutiu nesta quarta-feira (19) entre os deputados em Plenário. O tema monopolizou a atenção dos parlamentares durante as discussões da sessão de hoje, em que uma obstrução impediu votações. A sessão acabou sendo encerrada.

O deputado Alberto Fraga (DEM-DF) disse que o governo está em silêncio, para demonstrar que a Polícia Federal continua investigando e quem comete crimes vai pagar. “Não acho conveniente as pessoas ocuparem a tribuna para anunciar a prisão de quem quer que seja, porque amanhã pode ser [o ex-presidente] Lula. Não é motivo de comemoração”, disse.

O líder do PPS, Rubens Bueno (PR), disse que a prisão de Cunha acaba com discurso de perseguição seletiva na Operação Lava Jato. “Está claro que o jogo é pra valer. Estamos passando o Brasil a limpo”, defendeu.

Para o líder do DEM, Pauderney Avelino (AM), o episódio mostra que ninguém está acima da lei. “A oposição dizia que, para prender Lula, teria que antes prender Cunha. Se for seguir a tese do PT, o caminho está aberto.”

Líder da Minoria, Jandira Feghali (PCdoB-RJ) respondeu pela oposição e disse que as situações são diferentes. Para ela, no caso de Cunha há fato e embasamento – e a prisão já era esperada –, mas para Lula não há legitimidade.

“Mas isso não pode servir como cortina de fumaça para dizer que a prisão de Lula se justifica, como se houvesse prisões dos dois lados. O que ocorre com Lula é uma perseguição política seletiva, não há nenhum fato que o coloque como réu”, disse.

Adversários
O deputado Silvio Costa (PTdoB-PE) lembrou que foi adversário de Cunha desde o início e avisou que esse seria o desfecho. “Claro que não vamos ficar felizes pela tragédia de alguém, mas como diz o ditado, a gente colhe aquilo que planta”, criticou.

Para o deputado Alessandro Molon (Rede-RJ), a prisão demonstra que a Rede e o Psol estavam certos ao pedir a cassação do ex-presidente da Câmara, aprovada pelo Plenário da Câmara em 12 de setembro. “Se essa cassação não tivesse ocorrido, não haveria essa prisão hoje, e ela demonstra que estávamos certos em cassá-lo”, disse.

O deputado Cesar Maldaner (PMDB-SC) defendeu o fim do foro privilegiado e frisou que apenas após a cassação de Cunha foi possível avançar as investigações contra ele. “Vamos acabar com esse privilégio para que todos sejam julgados de forma igual”, disse.

Para o deputado Henrique Fontana (PT-RS), a prisão de Cunha deve desencadear uma mudança no cenário político. “O governo Temer, além de ilegítimo, é marcado pela corrupção e não se sustentará até 2018. A delação de Cunha provavelmente vai acelerar a queda do governo Temer.”

Aliados
Um dos parlamentares mais próximos de Cunha, o líder do Solidariedade, Paulo Pereira da Silva (SP), ressaltou que a prisão não muda o dia a dia da Câmara. “A Câmara continua funcionando, temos de votar projetos importantes”, afirmou.

Para o deputado, Cunha poderá rever a decisão de não fazer acordo para delação premiada, como afirmara o ex-presidente da Câmara várias vezes. “Uma coisa é fora da cadeira, outra é dentro. Quantos foram presos e diziam que não fariam delação e depois fizeram?”

Rede social
Em perfil na rede social Facebook, Eduardo Cunha reagiu à prisão preventiva. “Trata-se de uma decisão absurda, sem nenhuma motivação e utilizando argumentos de uma ação cautelar extinta pelo Supremo Tribunal Federal”, disse. “Meus advogados tomarão as medidas cabíveis.”

Fonte: Agência Câmara de Notícias

Inscrições para concurso de técnicos terminam nesta quinta (20)

Fachada campus

Campus IFMA de Timon

Termina nesta quinta-feira (20) às 18 horas o prazo de inscrições do concurso público para técnico administrativo em Educação do Instituto Federal do Maranhão (IFMA). Os candidatos devem se inscrever pelo site da Fundação Sousândrade (clique aqui). Ao todo, são 81 vagas distribuídas entre cargos de nível fundamental, médio e superior. A taxa da inscrição é R$ 40,00 para cargos de nível fundamental, R$ 60,00 para nível médio e R$ 80,00 para nível superior e poderá ser paga até sexta-feira (21).

A prova objetiva vai acontecer no dia 11 de dezembro. Para o cargo de Tradutor e Intérprete de Libras, a prova será realizada em duas fases (objetiva e prática). Para os demais cargos haverá somente a prova objetiva composta por questões de múltipla escolha.

A remuneração inicial varia de R$ 1.834,69 (nível fundamental) a R$ 3.868,21 (nível superior). Além da remuneração inicial, o servidor terá direito ao auxílio-alimentação no valor de R$ 458,00, assim como outros benefícios previstos em lei. Os técnicos administrativos serão regidos pela Lei nº 8.112/1990.

Há reservas de um percentual mínimo de 5% das vagas para pessoas com deficiência e de 20% para candidatos negros, considerados aqueles que se autodeclararem pretos ou pardos no ato da inscrição no concurso público. O concurso terá validade de dois anos, a contar da data de publicação da homologação do resultado final no Diário Oficial da União, podendo ser prorrogado uma vez, por igual período.

Para mais informações, consulte o edital de abertura e retificações.

Portal IFMA