Culpa de mortes no HGM não é apenas de diretor administrativo

hgm

O prefeito de Codó, Francisco Nagib tomou uma atitude clássica daqueles que não têm a visão macro dos fatos. Na quarta – feira demitiu o diretor administrativo do Hospital Geral Municipal-HGM, como forma de dar uma resposta à sociedade pelo que foi instalado naquela casa de saúde.

Diante da crise não assumida do Sistema de Saúde, e nem cobrada pelos vereadores de Codó que preferem defender o gestor, ao invés de defender a população, a melhor medida encontrada foi a semelhante aos times de futebol, quando o time perde várias partidas a saída encontrada é sempre a mesma, demitir o treinador.

O que acontece atualmente no HGM, anda e longe de ser apenas culpa do ex – diretor, como num time de futebol que possui os jogadores, nos hospitais temos os médicos e funcionários, estes sim são responsáveis pela execução do que é planejado.

Diante do caos e denúncias  de que médicos estariam dormindo, enquanto um paciente morria, não foi motivo suficiente para afastar o (os)  médico (s) de plantão, sabem porque? Dos vários que ali estão, a maioria estão ligados a partidos ou indicações políticas e demitir um deles, pode custar caro para o gestor.

Em grandes hospitais, o médico que erra é logo afastado para preservá lo e se ter uma oportunidade de apurar de forma imparcial e legal os possíveis desvios de conduta profissional, mas aqui em Codó isso anda é longe de acontecer. Chamaram apenas o ex e o usaram como bucha de canhão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Moderação de comentário está ativada. Seu comentário pode demorar algum tempo para aparecer.