CBF homenageia “Dadá” que comemora 71 anos de vida

dada

São poucos os que conseguem parar no ar, planar por um instante a mais, antes de completar um voo. Assim são os beija-flores, os helicópteros e, dentro de um campo de futebol, Dario. Com a comparação que ganhou a história, Dadá, como ficou conhecido, descreveu muito de seu poderio ofensivo. No último sábado, quatro de março, o tricampeão do mundo completou 71 anos de vida.

O atacante fez história no futebol brasileiro atuando por clubes como Atlético-MG e Internacional. Mas foi na Copa do Mundo do México, em 1970, que ele se eternizou como um dos campeões mundiais com a camisa da Seleção Brasileira.

Com a Amarelinha, Dario entrou em campo 12 vezes, com oito vitórias e um empate. Marcou dois gols, e fez parte do consagrado grupo que defendeu o Brasil em terras mexicanas. Além da Copa do Mundo, Dario foi campeão da Taça Independência, em 1972.

A CBF dá os parabéns a Dario, e deseja muitos anos de vida para o histórico atacante do nosso futebol!

Moro atribui críticas a prisões à existência de ‘presos ilustres’

sc3a9rgio-moro

Em artigo publicado na edição de VEJA desta semana, o juiz Sergio Moro, responsável pela Lava Jato na primeira instância, diz que as críticas feitas às prisões preventivas da operação não são decorrentes da “quantidade, a duração ou as colaborações decorrentes” delas, mas “à qualidade dos presos provisórios”. “O problema não são as 79 prisões ou os atualmente sete presos sem julgamento, mas sim que se trata de presos ilustres. Por exemplo, um dirigente de empreiteira, um ex-ministro da Fazenda, um ex-gover­nador e um ex-presidente da Câmara dos Deputados”, afirma o magistrado. No texto, ele diz ainda que o número de prisões preventivas fica bem abaixo do verificado em outros casos de investigações rumorosas, como a Operação Mãos Limpas, na Itália – cerca de 800 nos três primeiros anos, entre 1992 e 1994, somente em Milão. Para o juiz, também não procedem as críticas à longa duração das prisões. “Há pessoas presas, é verdade, desde março de 2014, mas nesses casos já houve sentença condenatória e, em alguns deles, até mesmo o julgamento das apelações contra a sentença”, escreve.

Fonte: veja.abril.com.br

Governo do Maranhão investe e forma mais 1.290 policiais militares

Governador Flávio Dino durante a formatura de novos policiais militares realizada no Comando Geral da Polícia Militar. Foto: Gilson Teixeira/Secap

Em mais uma ação de investimentos e combate à criminalidade no Maranhão, um total de 1.290 novos policiais militares estão sendo incorporados à Polícia Militar. Na noite da última sexta-feira (3), o governador Flávio Dino participou da solenidade de formatura de 466 policiais em São Luís, realizada no Comando Geral da Polícia Militar do Estado do Maranhão (CGPMMA). A previsão é que o novo quantitativo seja nomeado ainda este mês.

“Meu desejo é nomear, ainda neste mês de março, todos os 1.290 policiais formados, por acreditar que seja um ato de justiça, por todo esforço aqui empreendido. Iremos tomar todas as providências administrativas, que dependem claro, também das senhoras e dos senhores formandos, para que sejam todos nomeados neste mês de março, como uma forma alusiva ao Dia Internacional da Mulher”, declarou o governador Flávio Dino durante a solenidade.

Além da cerimônia ocorrida na capital, estão sendo realizadas formaturas em outros pólos da Polícia Militar no Maranhão, como em Caxias que também ocorreu na sexta-feira e Pindaré Mirim neste sábado (4), além de outras cidades. Os novos policiais que estão sendo formados atuarão em todo o estado. Aproximadamente 80% do efetivo possui curso superior ou está concluindo a graduação.

Em seu discurso, o governador ressaltou a grandeza do evento e disse que este é o coroamento de uma série de esforços conjuntos. “Esforços, trabalho e coragem, é o que eu passo em nome do povo do Maranhão, de todos os senhores e senhoras, que agora concluem essa etapa em suas vidas. O que eu peço é que todos vocês não se acomodem e que tenham vitalidade e ânimo para seguir na carreira”, informou.

Governador Flávio Dino durante a formatura de novos policiais militares realizada no Comando Geral da Polícia Militar. Foto: Gilson Teixeira/Secap

Para que a polícia esteja preparada, além da formação de novos policiais, foram realizados diversos empenhos, como adesão de novos armamentos, novas viaturas, a construção e inauguração de prédios. “Acima de tudo, a principal obra é o investimento nas pessoas, isso vale para todo o nosso governo, e é por isso que nós nunca atrasamos promoções, e toda promoção feita na Polícia Militar é feita com senso de justiça, valorizando a antiguidade e o mérito. Fizemos no nosso governo o maior número de promoções da história”, ressaltou Flávio Dino.

O secretário de Segurança Pública do Maranhão, Jefferson Portela, destacou a importância histórica da incorporação dos novos policiais militares e pediu o comprometimento dos novos membros. “Nós estamos com a emoção profunda em recebê-los, onde temos homens e mulheres preparados para combater o crime, somando aos outros companheiros que já estão na ativa na Polícia Militar. Que Deus ilumine a jornada profissional que todos terão em breve”, pontuou Portela.

Governador Flávio Dino durante a formatura de novos policiais militares realizada no Comando Geral da Polícia Militar. Foto: Gilson Teixeira/Secap

O coronel Laércio Ozório Bueno, diretor de ensino da Polícia Militar do Maranhão falou da coroação da busca do conhecimento e da qualificação profissional dos novos policiais. “Estamos vivendo um momento importante. Aparentemente se encerra uma etapa, mas na verdade, estamos iniciando uma nova fase na vida de cada um. Uma nova jornada fundamentada da busca do conhecimento para que possamos melhor servir a sociedade maranhense. Durante estes meses de formação, primamos pelo ensino e pela competência. É necessária uma pausa para reflexão da importância deste evento que marca a nossa corporação e a sociedade”.

Reconhecimento

Uma homenagem foi prestada aos três primeiros colocados do curso, com coeficiente de notas acima de 9.4. Estes formandos foram chamados à frente para receber das mãos do governador o certificado como reconhecimento do mérito conquistado. Em primeiro lugar, a aluna Graziele Austríaco Teixeira Mendes, que obteve a maior nota, de 9.553. Em segundo ficou o aluno Antonino Tavares Guimarães Filho, com 9.474. E em terceiro o mais novo policial, Aldo Braion Silva Santos que atingiu os 9.457.

A formanda Jéssica do Santos Paz foi a oradora da turma e no seu discurso ressaltou as lutas e as conquistas vindas com a conclusão do curso. “Hoje temos a noção de que uma pequena parte do nosso legado começou a ser construído. Foram meses difíceis e às vezes dolorosos, mas aqui estamos. Estou certa de que o nosso esforço para chegarmos a essa ocasião não foi em vão. Cada um de nós sabe as dificuldades que tivemos que enfrentar para alcançarmos os nossos objetivos para realizar esse sonho. Sonho este que começou no ano de 2012 e passado mais de quatro anos estamos aqui, para afirmar que tudo é possível para aqueles que crêem”.  Já o formando Jairon Bacelar Soares foi o juramentista da turma de 2016 e conduziu o júri com os demais novos militares.

Pólos de formatura dos novos policiais

As formaturas das turmas de soldados nos Batalhões da Polícia Militar incluem além do Comando Geral da Polícia Militar, em São Luís, o 18º BPM em Presidente Dutra; o 2º BPM em Caxias; o 3º BPM em Imperatriz; a 5ª CI em Açailândia; o 10º BPM em Pinheiro; o 7º BPM em Pindaré Mirim; e o 4º BPM em Balsas.

Capacitação profissional

O Curso de Formação de Soldados PM/2016, do Centro de Formação e Aperfeiçoamento de Praças (CFAP), tem carga horária média de 1.250 horas/aula, dividida em eixos teóricos como Fundamentação Básica, com 40 disciplinas, dentre elas: Saúde e Segurança Aplicadas ao Trabalho Policial; Cultura e Conhecimento Jurídico; Missão Policial; Policiamento Comunitário, Noções Básicas de Gerenciamento de Crises, Armamento e Técnicas de Abordagem Policial.

Governador Flávio Dino durante a formatura de novos policiais militares realizada no Comando Geral da Polícia Militar. Foto: Gilson Teixeira/Secap

Os policiais em formação participam ainda de atividades complementares como pesquisas, palestras, estágios, cursos, minicursos e outras atividades administrativas e finalizam a formação com o Estágio Prático Profissional.

Mês das Mulheres

Em alusão ao mês de março, período em que é celebrado o Mês da Mulher, o governador dedicou parte do seu discurso para homenageá-las. “Quero dizer algumas palavras especiais às mulheres da Polícia Militar do Maranhão e às mulheres presentes. Estamos iniciando o mês de março, e tive a alegria de nomear recentemente, hoje a única coronel da Polícia Militar, que é a coronel Augusta. Eu, com muita alegria, por uma coincidência, numa escolha do destino, de Deus, duas mulheres foram reconhecidas. Em primeiro lugar a Graziele, 1ª colocada da turma de formandos e a Jéssica, que foi a oradora da turma. Louvo a sabedoria da imensa maioria dos homens que souberam reconhecer a importância do papel feminino nas forças policiais do nosso país”, declarou.

Ainda repercute falhas na saúde na gestão de Nagib sobre morte de paciente no HGM

hgm

“Errar é humano!”, quem nunca ouviu esta máxima? e a consequência, persistir no erro é … Pois é, em meio a tantas promessas feitas antes de assumir o mandato, o prefeito de Codó, em poucos dias aprendeu que falar menos é o melhor negócio, principalmente quando não dominamos um assunto.

Sabemos que os procedimentos burocráticos emperram o desenvolvimento de algumas ações no momento, mas essa burocracia é fundamental para que a norma seja obedecida, quisera Nagib agora ter uma pequena máquina do tempo, para voltar ao passado e reorganizar seus discursos inflamados de que tudo em Codó iria mudar! Mas infelizmente essa máquina ainda é mera peça fictícia.

O Hospital Geral Municipal – HGM, ainda não foi humanizado, como garantiu a atual secretária municipal de saúde, dona Aurilívia Barros. As filas para um simples atendimento com um clínico geral incomoda para quem chega na hora da morte, o primeiro atendimento é feito sem que haja uma triagem no paciente, que preenche um prontuário e fica esperando na área externa do hospital.

Sem você precisar andar muito adentro do do HGM, encontramos pacientes com várias limitações físicas em longas e tumultuadas filas para passar poucos minutos na sala de atendimento de um ortopedista, que diga se de passagem, este profissional não é visto todos os dias, indo de encontro à promessa de quando era candidato.

É desfibrilador, máquina de Ultrassonografia e Tomografia fazem falta naquela casa e olha que muita gente já morreu por falta de um ou de outro equipamento, não podemos jogar a culpa apenas nos médicos, digo apenas porque por lá, muitos deles são reféns de um sistema que paga grandes salários em prol de um silêncio. O mesmo silêncio que pairou com a morte do pai de uma enfermeira! Fica aqui a pergunta: E o pai da Maria, a mãe do José, o filho de Belarmino e de Dora, que morreram sem sequer ter o direito de saber as causas mortis?

É esse o HGM que as famílias tradicionais usam quando necessitam, aquele hospital que mais parece um casarão mau assombrado que a morte ronda no seu entorno?

IFMA convoca excedentes do seletivo para campus Codó – Confira a lista

ifma 3

O Instituto Federal do Maranhão (IFMA) divulgou a segunda convocação de candidatos excedentes no Seletivo 2017. Os candidatos convocados nesta 2ª chamada devem realizar a matrícula de 3 a 7 de março no campus do IFMA onde irá realizar o curso técnico.

Nesta edição do Seletivo, que aconteceu no dia oito (8) de janeiro, houve 32.337 candidatos inscritos para disputar um total de 5.980 vagas em 24 cidades maranhenses.

Clique aqui e confira o edital de prorrogação de matrícula.

CLIQUE Aqui para acessar lista de convocados para Codó

Menino raspa cabeça para confundir professora

Jax and Reddy

Jax and Reddy

Às vezes, o olhar puro de crianças traz grandes ensinamentos, e esse foi o caso de dois meninos amigos de Kentucky, nos Estados Unidos.  De acordo com a Associated Press, Jax tem cinco anos e é branco e Reddy, seu amigo, tem a mesma idade e é negro.

A mãe de Jax contou, no Facebook, que seu filho resolveu cortar o cabelo igual ao do amigo, para que a professora confundisse os dois.

“A única diferença que Jax vê entre os dois é o cabelo”, disse a mãe, Lydia Stith Rosebush, na rede social. “Se isso não é uma prova que ódio e preconceito é algo que é ensinado, eu não sei o que é”, disse a mãe.

Band Notícias

Duvido que passe! – Projeto autoriza uso de arma de choque contra adolescente infrator internado

O deputado Cajar Nardes (PR-RS) apresentou projeto de lei (PL 6433/16) que autoriza os agentes responsáveis pela execução de medidas socioeducativas aplicadas a adolescentes a utilizarem armas de eletrochoque em situações específicas.

O texto também autoriza ao porte de arma para os agentes socioeducadores e o uso de arma de fogo, pelos agentes, como último recurso para conter interno armado.

O uso das armas (de eletrochoque e de fogo) deverá ser precedido de treinamento dos agentes e de adoção de protocolo autorizativo expedido pela Justiça e pelo Ministério Público.

Proteção
Segundo o deputado, o objetivo da proposta é fornecer uma ferramenta de proteção dos internos não perigosos, dos visitantes, dos funcionários dos estabelecimentos e da sociedade.

“A periculosidade de alguns adolescentes internados se assemelha à de presidiários propriamente ditos, pois há diversos infratores recolhidos às instituições que cometeram atos infracionais gravíssimos, análogos a crimes hediondos”, afirma Nardes.

Segundo ele, o uso de armas para lidar com adolescentes infratores segue o “caráter principiológico de proteção adotada pelo ECA”, pois será submetido a controle e supervisão de juízes e promotores das varas de infância e juventude.

Divulgação/ PM – Governo da Paraíba
Segurança pública - Armas - Pistola taser - Choque 2
Armas de eletrochoque, também conhecidas como taser

Situações permitidas
Segundo o texto, que modifica o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA, Lei 8.069/90), as armas de eletrochoque poderão ser usadas nas seguintes situações, sempre para proteção da integridade física dos internos, dos agentes e de terceiros:

  • interno não-cooperativo, desarmado, que não puder ser imobilizado manualmente ou por meio de contenção;
  • interno não-cooperativo, portando arma branca (como facas) ou de fogo, se não for conveniente seu desarme por outra forma; e
  • condução de interno perigoso, como prevenção para fuga ou resgate, hipótese em que a arma deve estar ligada por cabos próprios às vestes do interno.

Arma de fogo
Em relação às armas de fogo, o uso pelos agentes socioeducadores será justificável na transferência de estabelecimento e de transporte de interno perigoso para participar de audiência de apresentação ao juiz (custódia armada). Será igualmente justificável contra interno portando arma de fogo, como último recurso em defesa da vida do agente, de terceiro não envolvido e de pessoa que estiver sob domínio do jovem infrator.

O texto do deputado Nardes deixa claro que, nestas hipóteses, o uso de arma de fogo somente será aceitável se o interno sacar ou apontar a arma com “perceptível intenção de disparar”, e não houver outra forma de controle ou não for possível desarmá-lo.

A redação proposta abre a possibilidade de uso da arma de fogo quando o interno estiver portando arma branca e estiver na iminência de atacar outra pessoa, se não houver outro recurso de desarme pelo agente.

O projeto prevê ainda a possibilidade de uso de equipamentos de controle de tumultos, como escudos e capacetes, no interior dos estabelecimentos, em caso de rebelião.

Porte de arma
O projeto do deputado também acrescenta um dispositivo no Estatuto do Desarmamento (Lei 10.826/03) para autorizar o porte de arma de fogo pelos agentes socioeducadores. Segundo o parlamentar, o raciocínio é o mesmo que faculta o porte aos agentes penitenciários ou de custódia.

“Ao analisarmos a cadeia pré-processual e processual pelo qual o adolescente passa até chegar ao efetivo cumprimento de medida socioeducativa podemos observar a presença de agentes públicos que tem direito à posse de arma de fogo, como policiais, promotores e juízes. Contudo, quem aplica a sentença em desfavor do adolescente não tem o mesmo direito”, argumenta.

Tramitação
O projeto tramita em caráter conclusivo nas comissões de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado; Seguridade Social e Família; e Constituição e Justiça e de Cidadania.

Empresa deve indenizar cliente que encontrou corpo estranho em garrafa de Coca-Cola

A Empresa Maranhense de Refrigerantes foi condenada a indenizar uma cliente, que encontrou um “corpo estranho” em uma embalagem de refrigerante Coca-Cola. A indenização foi fixada em R$ 4 mil, pela 1ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Maranhão (TJMA), que julgou procedente o recurso da cliente, após o pedido ter sido negado pelo Juízo de 1º Grau.

A consumidora ajuizou ação de indenização, alegando que a mera constatação de corpo estranho, no interior da embalagem de refrigerante, gera o dano moral, uma vez que o produto encontrava-se impróprio para consumo, sendo desnecessária a efetiva ingestão da bebida. A Empresa Maranhense de Refrigerantes alegou ausência do dever de indenizar, tendo em vista que não ocorreu a ingestão do líquido supostamente impróprio para consumo.

O desembargador Jorge Rachid, relator do recurso, ressaltou normas do Código de Defesa do Consumidor (CDC) que protegem os consumidores contra produtos que coloquem em risco a sua segurança, saúde e integridades física e psíquica.

Ele destacou que o CDC impõe ao fornecedor de produtos o dever legal de evitar que a saúde e segurança dos clientes sejam colocadas em risco, tutelando o dano ainda em sua potencialidade e buscando prevenir sua efetiva ocorrência. Dessa forma, o fornecedor tem o dever de reparar o consumidor por defeitos decorrentes de projeto, fabricação, manipulação ou acondicionamento de seus produtos, entre outros.

O magistrado citou casos julgados pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) e doutrinas, reforçando o entendimento de que a proteção à saúde e segurança do consumidor possui caráter constitucional e de direito fundamental, decorrente da especial proteção à dignidade da pessoa humana, de forma que o fornecedor é responsável pela garantia dos produtos e serviços que oferece no mercado, e deve responder por sua qualidade e segurança.

“É irrelevante o fato de o consumidor ter – ou não – consumido a bebida, pois a responsabilidade do fornecedor decorre do simples fato de ter colocado em risco a saúde do consumidor – exatamente como ocorreu neste caso, em que a empresa dispôs em suas prateleiras o produto impróprio”, justificou.

O voto foi acompanhado pelos desembargadores Ângela Salazar e Kleber Carvalho.

Fonte: TJMA

TIM Celular S/A é condenada a indenizar cliente que teve o nome incluso no SPC e SERASA

Uma sentença prolatada pela 3ª Vara Cível de Imperatriz condenou a Tim Celular S/A ao pagamento de indenização no valor de R$ 5.000,00 (cinco mil reais) ao cliente E.C.G.M. O motivo, de acordo com a ação, foi o fato de a empresa ter colocado, comprovadamente de forma equivocada, o nome do homem nos cadastros de serviços de proteção ao crédito, a exemplo de SPC e SERASA. Sustenta a ação que o requerente contratou prestação de serviço de internet perante a parte requerida e, por insatisfação, com o referido serviço, solicitou o cancelamento.

Relata a sentença que “a empresa Tim requerida ainda lhe imputava cobranças relativas ao serviço ora mencionado. Diz que não contraiu débito perante o requerido, nem autorizou terceira pessoa a contrair, tendo em vista que diz ter cancelado o serviço que ensejou o débito”, e acrescenta que sofreu constrangimento de ordem moral. O autor pediu pela condenação do requerido ao pagamento de indenização pelos danos morais sofridos e declaração de inexistência de débito, anexando documentos aos autos.

“Recebida a inicial, foi designada audiência de conciliação, nos termos do art. 334, do Novo Código de Processo Civil. Na audiência, não houve composição amigável”, observou o Judiciário na sentença. A empresa Tim Celular apresentou contestação, alegando: ausência de dano moral; legitimidade da cobrança e da culpa exclusiva da parte autora; inexistência de prova dos fatos alegados, bem como não cabimento de inversão do ônus da prova.

“No caso dos autos, não há necessidade de providências preliminares, podendo o juiz proferir julgamento conforme o estado do processo, nos termos do artigo 353, do NCPC. O pedido deve ser julgado de forma antecipada, uma vez que não há necessidade de produção de outras provas”, destaca o juiz José de Ribamar Serra na sentença, pontuando que, no mérito, “a relação jurídica estabelecida entre as partes é nitidamente de consumo e, por isso a presente demanda submete-se à Lei nº 8.078/90, porque a matéria a ser discutida nos autos versa sobre relação de consumo (artigos 2º e 3º do CDC), imperando, inclusive, a inversão do ônus da prova em favor do Requerente (art. 6º do CDC), por haver verossimilhança em suas alegações”.

Para a Justiça, “a controvérsia dos autos repousa sobre a legalidade do débito imputado ao autor e a negativação do nome do seu nome nos órgãos de restrição ao crédito. O autor comprovou que vem sofrendo cobranças por determinação da requerida em razão de um débito que alega já ter cancelado. Comprovou, ainda, que seu a requerida inscreveu seu nome no cadastro de inadimplentes. A empresa, por sua vez, refuta ausência de dano moral e enriquecimento ilícito, no entanto, não comprovou nos autos que o autor não solicitou o cancelamento do serviço que gerou o débito que ensejou a cobrança e a negativação”.

A sentença esclarece que faz-se notória é a ilegalidade da cobrança, “o que torna imperioso o acolhimento da pretensão inicial, porquanto indevida a cobrança perpetrada em desfavor do autor, o que configura dano moral puro. O requerido não se desincumbiu do ônus de comprovar que o requerente tenha contraído o débito, objeto da lide, ônus que lhe competia”.

Ao verificar que estavam presentes os requisitos da verossimilhança das alegações da parte autora, bem como o fundado receio de dano de difícil reparação, o juiz decidiu julgar procedentes os pedidos do autor, nos termos do art. 487, I, primeira parte, do Novo Código de Processo Civil. “Confirmo a tutela de urgência ora concedida, bem como declaro inexistente a cobrança de quaisquer débitos referentes a inscrição indevida em nome da requerente, oriundos da linha telefônica em comento e condeno requerido a pagar ao autor a cifra de R$ 5.000,00 (cinco mil reais), a título de indenização pelos danos morais sofridos”, sentenciou o magistrado.

Fonte: TJMA

STJ suspende ordem de prisão do ex-goleiro Edinho, filho de Pelé

esporte-preso-cadeia-edinho-pele-filho-20130923-02-original3

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) concedeu liminar (decisão provisória) para suspender mandado de prisão expedido pelo Tribunal de Justiça de São Paulo há cinco dias contra o ex-goleiro Edson Cholbi do Nascimento, conhecido como Edinho, filho do ex-jogador Pelé.

A liminar foi concedida pelo ministro Antonio Saldanha Palheiro em recurso movido pela defesa do ex-goleiro. A Corte ainda julgará o mérito da ação em data indefinida. Na decisão, o ministro afirma que Edinho pode continuar recorrendo em liberdade porque ainda não se esgotaram as possibilidades de recurso na segunda instância – o próprio TJ-SP.

“Não houve esgotamento da jurisdição na instância ordinária, uma vez que (…) o acórdão (do TJ-SP) apontado como coator foi prolatado em 23 de fevereiro de 2017 e ainda não foi publicado, havendo possibilidade de interposição de recursos e de revisão do julgado pela Corte local”, escreveu Palheiro na decisão.

Edinho, 46 anos, foi condenado em maio de 2014 pela juíza Suzana Pereira da Silva, da 1ª Vara Criminal da Praia Grande (SP), a 33 anos e quatro meses de prisão por envolvimento com o tráfico de drogas. Em recurso ao TJ-SP, a defesa do ex-goleiro conseguiu reduzir a pena para 12 anos e dez meses em regime fechado. O TJ-SP, no entanto, apesar de reduzir a punição, determinou a imediata prisão de Edinho para cumprir a sentença imposta.

Carreira

Sob a sombra do pai, o maior ídolo do futebol brasileiro, Edinho foi goleiro do Santos em duas passagens – uma entre 1990 e 1991 e a outra entre 1994 e 1998 -, mas ficou mais conhecido por sua prisão e envolvimento com o tráfico de drogas do que pelas suas atuações dentro de campo.

Ele foi condenado com outras quatro pessoas: Ronaldo Duarte Barsotti de Freitas, o “Naldinho”, Clóvis Ribeiro, o “Nai”, Maurício Louzada Gherardi, o “Soldado”, e Nicolas Aun Júnior, o “Veio”. A primeira vez que o ex-jogador foi preso foi em 2005, quando o Departamento de Investigações sobre Narcóticos (Denarc) deflagrou a Operação Indra, prendendo mais de 50 pessoas envolvidas com o comércio de entorpecentes, entre elas Edinho, por seu envolvimento nos negócios de Barsotti. Depois de seis meses em prisão provisória, o ex-goleiro foi solto com liminar concedida pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

Ele voltou a ser preso duas vezes em 2014, a primeira em julho e a segunda em novembro, quando conseguiu um habeas corpus para aguardar a conclusão do processo em liberdade.

Fonte: veja.abril.com.br