Enem 2018: começa hoje período de inscrições para o exame

Cobertura-Completa-do-ENEM-2018-450x300

Começa às 10h desta segunda-feira (7) o período de inscrições para o Enem 2018 (Exame Nacional do Ensino Médio). O prazo de inscrição vai até as 23h59 do dia 18 de maio.

A taxa de inscrição é de R$ 82, mesmo valor de 2017, e precisa ser paga até 23 de maio de 2018, respeitados os horários de compensação bancária, sob pena de a inscrição não ser confirmada.

Os interessados em fazer as provas em novembro devem acessar o site do Enem 2018 (INSCRIÇÕES AQUI), informar o CPF (Cadastro de Pessoa Física) e o documento de identidade, além de criar uma senha.

Provas do Enem 2018

 Em 2018, os candidatos terão 5h para fazer a prova do segundo dia — 30 minutos a mais em relação ao mesmo exame de 2017. No primeiro dia, porém, o prazo permanece o mesmo: 5h30.

Assim como em 2017, neste ano as provas serão realizadas em dois domingos seguidos: nos dias 4 e 11 de novembro.

A estrutura da prova também não mudou: no primeiro dia, serão aplicadas as provas de Redação, Linguagens e Ciências Humanas. No segundo dia, serão aplicadas as provas de ciências da natureza e matemática.

O exame conta com quatro provas objetivas, sendo que cada uma delas contará com 45 questões de múltipla escolha.

Inep pede à PF mais segurança para evitar fraudes em Enem 2018

Cobertura-Completa-do-ENEM-2018-450x300

O Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira) pediu à divisão de inteligência da Polícia Federal que designe técnicos para melhorar a segurança e evitar fraudes no dia do exame. O órgão quer também uma melhora no sistema de ponto eletrônico dos estudantes que realizarão o exame.

“Qualquer indício é sempre encaminhado à Polícia Federal. Todos os casos são encaminhados à autoridade policial”, afirmou Rossieli Soares da Silva, ministro da Educação. “A polícia já pegou alguns casos de fraude e tem atuado em todas provas do Enem antes e depois da aplicação do exame”, disse em coletiva de imprensa na manhã desta segunda-feira (7).

Segundo o Inep, os principais procedimentos de segurança serão mantidos. Serão instalados cerca de 70 mil detectores de metais em todos os locais para realização da prova. Os equipamentos serão instalados também nas portas dos banheiros.

As inscrições para as provas do Enem 2018 (Exame Nacional do Ensino Médio) começaram às 10h desta segunda-feira e na primeira uma hora e 30 minutos 200 mil candidatos já realizaram as inscrições.

O prazo de inscrição vai até as 23h59 do dia 18 de maio, de acordo com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). A previsão do MEC e do Inep é que ao final do período estipulado existam 7,5 milhões de inscrições.

A taxa de inscrição é de R$ 82, mesmo valor de 2017, e precisa ser paga até 23 de maio de 2018, respeitados os horários de compensação bancária, sob pena de a inscrição não ser confirmada.

Uma novidade da prova nesse ano é o atendimento especializado. Pessoas com deficiência ou mulheres que amamentam deverão informar a condição no dia da prova. Os estudantes também precisam informar qual idioma será cobrado na prova de língua estrangeira: inglês ou espanhol.

Provas do Enem 2018

Em 2018, os candidatos terão 5h para fazer a prova do segundo dia — 30 minutos a mais em relação ao mesmo exame de 2017. No primeiro dia, porém, o prazo permanece o mesmo: 5h30.

Assim como em 2017, neste ano as provas serão realizadas em dois domingos seguidos: nos dias 4 e 11 de novembro.

A estrutura da prova também não mudou: no primeiro dia, serão aplicadas as provas de Redação, Linguagens e Ciências Humanas. No segundo dia, serão aplicadas as provas de ciências da natureza e matemática.

O exame conta com quatro provas objetivas, sendo que cada uma delas contará com 45 questões de múltipla escolha.

Portal R7

Nova linha de fertilizantes biológicos é apresentada em evento com produtores de grãos

thumbnail_Entrada Evento 2

A RISA, maior grupo de agronegócios da região do MATOPIBA, apresentou  nesta semana a sua nova linha de fertilizantes baseada na alga marinha Lithothamnium: Lithogen. Desenvolvida em parceria com a Oceana Brasil, empresa pioneira na pesquisa e desenvolvimento de produtos com a alga, essa nova tecnologia promete revolucionar a agricultura no país. O evento ocorreu na cidade de Balsas/ MA, em uma fazenda do grupo RISA, e contou com a presença dos principais produtores de soja e milho da região.

A nova tecnologia foi desenvolvida com exclusividade para a RISA, levando em conta as características específicas do MATOPIBA. Por ser um produto de origem biológica com mais de 70 nutrientes (entre minerais e aminoácidos), seu uso aumenta a riqueza de nutrientes do solo, um dos grandes problemas na região. Os tratamentos convencionais são demorados e caros. Além disso, o uso de fertilizantes biológicos melhora a absorção dos nutrientes presentes no solo pela raiz. É essa biodisponibilidade que permite, além do aumento na produtividade, uma melhora significativa na qualidade das lavouras, com maior durabilidade da safra e grãos mais firmes.

Durante o evento, especialistas da Oceana Brasil apresentaram os testes em andamento na fazenda da RISA, onde os participantes puderam observar a diferença no crescimento das plantas, como o tamanho das folhas e raízes. Também demonstraram resultados em lavouras de diversas regiões do país. “O trabalho de campo, associado a intensos estudos científicos, vem permitindo cada vez mais o desenvolvimento de produtos biológicos de alto rendimento, que ajudam a aumentar a produtividade de agricultores de todas as regiões”, afirma Ricardo Macedo, gerente de pesquisa e desenvolvimento da Oceana Brasil. “Muito além do aumento na produtividade, os fertilizantes orgânicos, ,da alga marinha Lithothamnium, ainda melhoram a qualidade dos produtos, com um custo menor, atendendo às principais demandas dos produtores”, garante Macedo, que também é o principal pesquisador do uso da Alga Lithothamnium no Brasil.

Os resultados até agora com o uso do Lithothamnium são incríveis. A própria RISA conseguiu um aumento total de 1.098 sacas em uma área de 182 hectares, em sua lavoura no estado do MA. Já no estado do Paraná, agricultores da cidade de Palmeira  aumentaram sua média de 133 sc/alq para 151 sc/alq, com um retorno sobre o investimento de R$810,00 por alqueire. Já em Goiás, experimentos na cidade de Silvania demonstraram um aumento de produtividade de quase 7%, de 39 para 42,6 sacas por hectare.

Produtos baseados na alga marinha Lithothamnium podem ser certificados como  orgânicos, pois, além de 100% naturais, comprovadamente tem o  maior grau de pureza do mercado.  O  Lithothamnium extraído pela Oceana cresce em um ambiente ideal, com correntes marítimas e incidência solar únicas no mundo. A empresa trabalha e investe em pesquisas e tecnologia de ponta e no controle e monitoramento da vida biológica, para manter o equilíbrio ambiental da região da jazida e garantir a qualidade dos produtos.

Sobre o Lithothamnium

Alga marinha calcária, conhecida há mais de 200 anos, o Lithothamnium vem sendo explorado nos últimos 30 anos por países da Europa e Ásia, para oferecer nutrição animal, vegetal e humana. Produto nobre,  possui alta reatividade e é rico em mais de 70 nutrientes minerais e orgânicos, altamente solúveis e naturalmente equilibrados pelo meio ambiente. Os procedimentos industriais adotados pela Oceana Brasil preservam intactas todas as propriedades físicas, nutricionais, orgânicas e biológicas da Alga Lithothamnium.

Sobre a Oceana

A Oceana Brasil é uma empresa 100% nacional com tecnologia na extração sustentável e beneficiamento da alga marinha Lithothamnium. Sua jazida está localizada em uma região de correntes marítimas e incidência solar únicas no mundo. Com linhas de produtos para nutrição animal e fertilização agrícola, atende ao mercado nacional e exporta seus produtos para diversos países da Europa, América Central, EUA e Ásia. A atividade industrial da Oceana é ecologicamente correta e preserva as características únicas de sua jazida. A companhia investe em programas de monitoramento de vida biológica, qualidade de água, controle ambiental e ações sociais com a comunidade local a fim de desenvolver a região de forma sustentável. Mais informações no website: http://www.oceanabrasil.com.br

 

Sobre o Grupo Risa

O Grupo Risa, fundado em 1982, atua nos segmentos agrícola (soja e milho), defensivos, fertilizantes, máquinas e logística. É uma empresa consolidada no Maranhão e Piauí, há mais de 30 anos trabalhando na região. Possui seis fazendas nas regiões onde atua. Além das fazendas, investe na área de fertilizantes, com duas misturadoras no Maranhão e outra no Piauí, revenda de defensivos e máquinas agrícolas; e tem uma frota de mais de 150 caminhões. Recentemente, em parceria com a Bayer, adquiriu uma das mais modernas máquinas de TSI (Tratamento de Sementes Industrial) do mundo, com capacidade de tratar 20 ton/hora. Como a primeira e única Misturadora de Fertilizantes da Região Sul do Maranhão, funciona como importante suporte para a produção de grãos.

Federação Maranhense de Atletismo deixa atletas codoenses sem passagens para disputar Norte Nordeste de Atletismo em Natal – RN

luis ricardo

Imagem:Brasil2016.org

Balde de água fria! É assim que podemos  descrever a situação vexatória na qual  os atletas codoenses: Luis Ricardo, Ana Beatriz e Adailton passarão ao receber a notícia de que não mais viajarão à cidade de Natal para disputar uma importante competição a nível nacional, trata se do Troféu Norte-Nordeste Caixa de Atletismo Sub-18 que será realizado no próximo sábado (dia 5) e domingo (6), na pista da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), em Natal. O evento recebeu a inscrição de 204 atletas, representando 11 Estados das duas regiões.

Os codoenses ficarão de fora tudo por conta da Federação Maranhense de Atletismo, órgão que regula e controla as competições e que ranqueia os atletas maranhenses para as disputas estaduais, nacionais e até internacionais, não ter disponibilizado as passagens dos atletas e nem ter confirmado a participação no evento, conforme consta no site da Confederação Brasileira de Atletismo – CBAt.

Desde que foram convocados pela Federação, para representar o estado do Maranhão no Norte Nordeste de Atletismo, os codoenses iniciaram um ritmo pesado de exaustivos treinamentos para melhorar os índices e chegarem voando baixo na disputas, acontece que nem Federação e nem Governo do Estado deram a preferência e logística para os atletas.

Esse é o prestígio que o Atletismo do Maranhão tem junto aos políticos maranhenses.

Luis Ricardo é considerado a maior revelação codoense no atletismo, chegando a representar o Brasil em uma competição Sulamericana, mas de nada adiantou ter alcançado tão importante feito para o estado e para a cidade de Codó, pois as nossas jovens promessas não conseguem nem sequer passagens de carroça para disputar uma competição  no estado vizinho Rio Grande do Norte.

Além de Luis Ricardo, deveriam viajar para a cidade de Natal – RN, a atleta Ana Beatriz – lançamento do dardo e Adailton – arremesso do disco e peso.

Só para registrar, alguns atletas de Timon-MA, acabaram de disputar uma competição no Sul do país, conseguindo as passagens aéreas com o apoio da prefeitura da cidade.