Adriano Sarney afirma que crise é culpa do governo comunista

O deputado Adriano Sarney (PV) afirmou que a crise nas finanças do Estado é responsabilidade do governo comunista, pois, nos últimos anos, o Maranhão sofreu a maior retração no Produto Interno Bruto (PIB) do país, além de uma série de fatores como a dilapidação do Fundo de Previdência dos Aposentados (Fepa) e o constante aumento de impostos. O deputado discursou na tribuna da Assembleia Legislativa, nesta quarta-feira (21).

“O governo comunista coloca a culpa do péssimo desempenho econômico do Maranhão na crise nacional. Mas o que explica o PIB do Maranhão cair mais do que a média dos demais estados? Aumento de impostos, atraso no pagamento dos fornecedores, falta de incentivo para empresas se instalarem no Maranhão, tudo isto acarreta também no rebaixamento da nota de confiança do Estado no quesito confiança de pagamento, que foi rebaixado de uma nota B para uma nota C pela Secretaria do Tesouro Nacional”, pontuou Adriano.
Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o PIB maranhense encolheu 5,6% em 2016 – depois de já haver recuado 4,1% em 2015. Nos dois anos, o Maranhão registrou retração maior que a do Brasil.
Adriano ressaltou ainda que o governo quebrou o Fundo Estadual de Pensão e Aposentadoria (FEPA), que sofreu uma baixa extremamente volumosa nos últimos anos, pois tinha R$ 1,1 bilhão de saldo ao final de 2016, mas este número foi reduzido para R$ 665 milhões, ao término de 2017, podendo terminar 2018 com menos de R$ 200 milhões.

“O Brasil já está saindo da crise, mas o Maranhão, a cada dia que passa, está afundando na crise por culpa do governo comunista que está fazendo uma péssima gestão”, finalizou Adriano.
ASCOM – Deputado Adriano Sarney

Idoso que se passava por policial é preso com arma de brinquedo no Km 17

Após denúncias de populares, a guarnição da Polícia Militar de Codó deslocou-se até o km 17 na última quarta-feira, e efetuou a prisão do idoso Raimundo Brandão França, 70 anos, o mesmo estava ameaçando as pessoas em um estabelecimento comercial naquele Distrito e se identificando por policial militar e portando um simulacro de arma de fogo.
Após localizado pela equipe de policiais, o conduzido foi apresentado na 4º Delegacia de Polícia Civil para que sejam tomadas as medidas necessárias.

Vítimas de assaltos no Parque Ambiental reclamam da omissão de vigilantes

Nos últimos dias vários roubos a pessoas foram praticados nas dependências do Parque Ambiental  de Codó, mas um comportamento inusitado tem chamado a atenção de alguns policiais. Acontece que os últimos casos em que as vítimas, do sexo feminino, procuraram os vigilantes para reclamar das ações criminosas e as mesmas relatam que receberam como respostas de alguns deles que “não é responsabilidade dos vigilantes a garantia da segurança dos frequentadores”.

Acontece que em momento algum, nenhum vigilante acionou a polícia Militar para relatar os casos, e mesmo com a chegada dos militares durante a realização de rondas, nenhum tomava a iniciativa de relatar aos PMs dos casos ocorridos.

Durante a realização de diligências, policias do serviço reservado da PM, chegaram a abordar um dos vigilantes e após alguns questionamentos, o próprio relatou que sabia onde residia o principal suspeito de ter realizado assaltos naquele Parque. O curioso nesta história é que, o vigilante estava de serviço no dia em que dois assaltos foram realizados e que este mesmo se omitiu em informar dos casos.

Os casos estão sendo investigados pela Polícia Civil de Codó, que apontará se há ou não a participação de algum vigilante. Vale ressaltar que um deles chegou a receber a proposta de compra de um dos celulares roubados no Parque.

O barato que saiu caro – Gasolina vendida no Km17, sob suspeita

Esta é a indagação feita por alguns codoenses que procuram um local onde possam abastecer seus veículos com um combustível com preço bem mais em conta. Na sede do município de Codó, os postos têm seus valores beirando os R$ 5,00 e uma via alternativa para quem deseja encontrar o preço da gasolina bem mais em conta é se deslocando até o Distrito do Km 17, onde o Posto Priscila dispõe de gasolina ao preço de R$ 4,55. Acontece que muitos que tem procurado aquele posto têm sofrido consequências bem negativas para seus veículos e para os seus bolsos.
De acordo com levantamento realizado pelo Blog do Bezerra em algumas oficinas especializadas em reposição e manutenção de peças de motocicletas, a gasolina ofertada está sob suspeita.
De acordo com alguns mecânicos a gasolina vendida no Km 17 está sob fortíssima suspeita de ter sido adulterada.
O preço é bem convidativo, quem vai pegar a estrada e tem como alternativa o abastecimento daquela gasolina terá grande probabilidade de ter problemas com o motor do seu veiculo.
De acordo com uma cliente que completou seu tanque com gasolina comprada no Posto Priscila, sua moto deu problema na partida e ao chegar na oficina, seu mecânico tirou parte da gasolina do tanque e diagnosticou logo que aquilo que estava no tanque não tem nem cheiro de gasolina.
Portanto, caros leitores, tenham muita cautela ao encontrar gasolina com preço muito baixo, pois ” o barato pode custar muito caro”.

Caravana da Liberdade articula combate e prevenção ao trabalho escravo em Codó, Timbiras e Caxias

De 12 a 14 de novembro, a Comissão Estadual para a Erradicação do Trabalho Escravo (Coetrae/MA), vinculada à Secretaria de Direitos Humanos e Participação Popular (Sedihpop), promove a Caravana da Liberdade, respectivamente, nos municípios de Codó, Timbiras e Caxias, cidades inclusas nos 40 municípios com maior incidência de trabalho escravo e inseridas no Programa Estadual de Enfrentamento ao Trabalho em Condições Análogas ao de Escravo.

O objetivo do evento é articular a rede de combate e prevenção a este crime nos níveis municipal e estadual, criando comitês que atuem especificamente com a pauta, unindo o trabalho do poder público e a sociedade civil local.

As caravanas da liberdade contam com a presença e participação da prefeitura, da câmara e secretarias municipais, entidades religiosas, Defensoria Pública do Estado, sindicatos, escolas estaduais e promotorias. A programação da Caravana da Liberdade consiste na visita da Coetrae/MA às prefeituras, na realização de reuniões de mobilização e combate ao trabalho escravo e na construção de redes de comitês municipais de combate e prevenção ao trabalho escravo.

Serão realizadas conversas sobre as ações da Comissão, o combate ao trabalho escravo e os modos de prevenção de forma direcionada para cada município, destacando o papel do Comitê neste contexto. Em Codó, o evento será realizado na Associação Comercial Industrial e Agrícola; em Timbiras, no Centro Educacional Paulo Freire e; em Caxias, no Auditório da UEM Ruy Frazão Soares. Na oportunidade, o Ministério Público do Trabalho estará recebendo denúncias sobre o crime.

Conforme o Artigo 149 do Código Penal brasileiro, os elementos que caracterizam o trabalho análogo ao de escravo são: condições degradantes de trabalho, ferem a dignidade humana, implicam em violação de direitos fundamentais colocando em risco a saúde e a vida do trabalhador; jornada exaustiva, na qual o trabalhador é submetido a esforço excessivo ou sobrecarga de trabalho que acarreta a danos à sua saúde ou risco de vida; trabalho forçado, o trabalhador é enganado, isolado geograficamente, sofre ameaças e violências físicas e psicológicas e; servidão por dívida, fazer o trabalhador contrair ilegalmente um débito e prendê-lo a ele.

*Sobre a Coetrae/MA*

A Coetrae/MA foi criada em 2007, no Governo Jackson Lago, por meio do Decreto n° 22.996, vinculada à Secretaria Extraordinária dos Direitos Humanos do Governo do Estado do Maranhão, nomenclatura anterior da Sedihpop. Compete à Comissão a elaboração e acompanhamento das ações do Plano Estadual para a Erradicação do Trabalho Escravo; monitoramento da tramitação de projetos de lei sobre o tema na Assembleia Legislativa, bem como a proposição de atos normativos que se fizerem necessários à implementação do Plano de que trata o inciso I; o acompanhamento e avaliação dos projetos de cooperação técnica firmados entre o governo maranhense e os organismos nacionais e internacionais; a proposição de pesquisas para realização de campanhas de erradicação do trabalho escravo e; a elaboração e aprovação de regimento interno.

Prefeito de Codó abusa da paciência de professores e paga o salário do mês de outubro com o maior atraso de sua gestão

Caros leitores, não  é nenhuma novidade para nossos leitores a nossa linha editorial crítica  a respeito da falta de respeito da gestão municipal codoense. Desde o lançamento da campanha, aos dias atuais,  não  temos visto nada de extraordinário no que tange às  políticas públicas, tanto do ponto de vista técnico  mas também  do ponto de vista administrativo.­

No campo visual a cidade recebeu uma ajuda do governo estadual para a construção  de escolas, praças  e asfaltamento. Com recursos próprios  a gestão  Francisco Nagib é  um fracasso.

A saúde  de Codó  não  é  nada boa, desde o momento em que assumiu a prefeitura, Nagib prometeu humanizar o HGM, oque nós  estamos vendo é  que o número de mortes  por lá  já  chegou  a dados alarmantes, quem é  que não  lembra de um óbito durante ou  pós  parto?

Pois bem, quando chegamos a análise do quesito respeito ao Servidor Municipal, aí  é  que a literatura é  vasta. Os professores que tinham por costume de receber seus salários  logo nas primeiras horas do novo mês, agora fica à  míngua de uma incerteza só. Ninguém  sabe informar com propriedade com que cada servidor vai receber seu salário, sabe por que?

Mesmo sabendo que o Governo Federal repassa os recursos religiosamente em datas pontuais, o prefeito insiste em falar que há  atrasos nos repasses, como a uma simples consulta nos sites específicos  não  nos desse a resposta. Sabem o que é  isso? Desprezo à  capacidade de cada cidadão  esclarecido tem de saber que um político está  ou não  enganando o cidadão. A falta de um calendário  fixo de pagamento dos servidores gera essa falta de respeito, mesmo tendo seus vencimentos pagos na manhã  desta quinta, os educadores da rede Municipal estão  na bronca com o prefeito.

Calma meu caro leitor, ainda teremos mais um tempinho pra tolerar muita coisa pior!