Em fala de Araújo Neto, Chiquinho do SAAE é citado como um dos responsáveis por dívida da Câmara Municipal junto ao INSS

De acordo com o Secretário de Agricultura de Codó, Araújo Neto, em entrevista concedida à emissora da família do prefeito de Codó, Rádio FC FM, a Câmara Municipal de Codó teria uma dívida com o INSS que chega a 3 milhões de reais, da gestão do seu ex presidente Chiquinho do SAAE, que segundo Araújo por não pagamento à autarquia federal, tendo o município sido notificado da dívida, e como nada foi feito pela casa Legislativa, Codó passou à condição de inadimplente, passando a ficar sem receber recursos federais que ficaram bloqueados.

Em sua fala emocionada, Araújo Neto chegou a dizer que o prefeito Francisco Nagib, fez o parcelamento da dívida da Câmara, tirando dinheiro da prefeitura pagando algumas parcelas para tornar o município adimplente.

Então vai algumas perguntas Senhor Araújo Neto:

1 – “Se o senhor alega que a culpa é do Expedito, por não colocar na pauta de votação a autorização para que o Poder Executivo contrate professores do último seletivo. Por que as aulas não começaram no último dia 11/02 (segunda-feira) com os professores efetivos, enquanto não se resolvia a questão dos seletivados?”

2 – Será mesmo que a culpa é só do Expedito? Já que o prefeito de Codó anunciou assim que assumiu seu mandato que realizaria Concurso Público para preencher as vagas ociosas de professores para acabar de vez com as barganhas e com o loteamento das vagas entre os vereadores?

3 – Uma mentira contada mais de dez vezes se torna uma verdade, então isso é conhecimento de causa secretrário?

A culpa toda é do Expedito – Foi o que declarou o secretário de governo da Gestão Mais Avanços Mais Conquistas para justificar o atraso das aulas, obras e serviços

Minha avó já dizia: “Se não tem nada pra falar, é melhor ficar calado”. Assim poderia se comportar o Secretário de Agricultura da prefeitura municipal de Codó Araújo Neto, ao atribuir a culpa do atraso do início das aulas em Codó ao Presidente da Câmara, Expedito Carneiro.

Na verdade, há uma briga interna entre o prefeito Francisco Nagib e o presidente da Câmara Expedito Carneiro, onde nessa quebra só quem perde é a população, mas para defender seu ganha pão, o Secretário Araújo Neto perdeu a estribeira, ao justificar que todo que está acontecendo de negativo é culpa de Expedito.

Por que Araújo Neto não fala também que a culpa de não termos iniciado o ano letivo é do prefeito Francisco Nagib, que se recusa a realizar Concurso Público para nomear professores, e todo ano é essa lenga-lenga, de contratar professores temporariamente?

Então Seu Araújo, vamos dar a Expedito o  que é de Expedito, mas vamos dar a Nagib o que é de Nagib, inclusive o atraso no início das aulas na rede pública municipal.

Ano letivo nas escolas da rede estadual começaram com as mesmas mazelas na cidade de Codó

CEJA LÚCIA BAYMA

O início do ano letivo nas escolas da rede pública estadual da cidade de Codó, não trouxe nada de novo e extraordinário. Alunos estão sendo liberados mais cedo por falta de professores, essa é a reclamação de quem estuda nas escolas: Luzenir Mata Roma, Reitor Ribamar Carvalho e Lúcia Bayma.

O Blog do Bezerra manteve contato com estudantes essas escolas para saber se o quadro de professores dessas escolas estavam preenchidos, e tivemos como respostas vários “NÃO”. Há sim uma manipulação interna nessas escolas. Nas disciplinas em que há professores, estes estão ministrando o máximo de aulas possíveis, sendo que algumas turmas saem mais cedo, enquanto que outras ficam até mais tarde, tudo isso através de rodízio entre eles.

É triste em saber que a política de desvalorização dos estudantes passa por muitas prefeituras, inclusive a de Codó, que atrasou em 30 dias o início do seu ano letivo, mas também pelo governo estadual.

Sabendo que haveria a necessidade de contratação de professores para o início das aulas no ano de 2019, nada foi feito para sanar o déficit de profissionais e fazer com que todos estivessem em sala de aula a partir do dia 11 de fevereiro.

Em 2018, houve escola estadual em Codó que os alunos ficaram sem professor da disciplina Ciências – Física e Filosofia. Não sei nem como os boletins foram preenchidos.

Assim é pregado no slogan do governo do Maranhão, que em Codó há “Escola In Digna”! Será mesmo?

Olimpíada de Língua Portuguesa – 6ª Edição abrirá inscrições dia 20/02

A Olimpíada de Língua Portuguesa é um concurso de produção de textos para alunos de escolas públicas de todo o país. Iniciativa do Ministério da Educação e do Itaú Social, com coordenação técnica do CENPEC, a Olimpíada integra as ações desenvolvidas pelo Programa Escrevendo o Futuro.

O tema das produções é “O lugar onde vivo”, que propicia aos alunos estreitar vínculos com a comunidade e aprofundar o conhecimento sobre a realidade local, contribuindo para o desenvolvimento de sua cidadania.

Nesta edição, a premiada escritora mineira Conceição Evaristo é a grande homenageada!

Quem pode participar?

Professores da rede pública e seus alunos do 5º ano do Ensino Fundamental até o 3º ano do Ensino Médio.

Conselho Comunitário de Segurança Pacto Pela Paz é criado em Codó

Foi realizado na tarde dessa quinta-feira no auditório do Centro de Estudos Superiores de Codó – CESCD / UEMA, a audiência de sensibilização e em seguida a escolha dos membros do Conselho de Segurança Pacto Pela Paz, conforme estabelece a Lei n° 10.387/2015.

O evento contou com a participação de pessoas dos mais variados segmentos da nossa sociedade, pessoas comuns que iniciará um processo de engajamento nas tomadas de decisões inerentes à “Cultura da PAZ”.

TEN CEL Ivan Góis

A Secretaria de Estado da Segurança Pública, enviou a Codó, uma equipe multiprofissional que teve a missão de divulgar as diretrizes e trabalho dos conselheiros comunitários. O Tenente Coronel Ivan Góis explanou sua experiência profissional e do trabalho de pacificação do bairro Coroadinho em São Luis.

O Coordenador do programa na Região dos Cocais Tenente Coronel Maurício falou da importância dos Conselhos no âmbito estadual e também abordou sobre a redução dos índices de violência nas cidades onde os conselhos foram criados.

O Investigador Klinger Moura abordou o aspecto jurídico e da aproximação da sociedade com os órgãos de segurança, enquanto que o Tenente PM Jorge, abordou a forma de atuação do Conselho, bem como as atribuições de cada membro.

Salientamos que, de forma informal a Polícia Militar de Codó, já vem a alguns anos realizando trabalhos e ações preventivas com o desenvolvimento da “Cultura da Paz”, a partir do momento em que trabalha –se os fatores geradores de alguns problemas que afetam a sociedade, agora com a criação de forma efetiva do Conselho Comunitário, tudo tende a fluir de forma mais intensa. Na medida em que haverá uma aproximação da sociedade nas ações de elaboração de políticas preventivas contra a violência.

Assim ficou formado o Conselho de Segurança de Codó:

Presidente: Maria do Carmo

Vice-presidente: Ana Celma

1a Secretária: Cristiane Teixeira

2° Secretário: Manoel Lopes

Diretor de assuntos sociais: Fernando Antônio Nonato.

Moradores da Rua Marcos Rocha em Codó estão na bronca com prefeito

Sem a recuperação e trabalho de drenagem, moradores da Rua Marcos Rocha, sentido Cerâmica, estão na bronca com prefeito e demais autoridades, isso porque em dias de chuva, os moradores não podem perder o foco e vigilância das casas, pois a qualquer momento a água acumulada pode invadir as casas. Sem contar que a rua está intrafegável, causando transtorno para quem passa pelo local.

Por mais que o responsável pelo vídeo não diga de forma ostensiva o nome do prefeito de Codó, mas deixa escapar que: “ELE AINDA FALA QUE TÁ TUDO BEM!”, se referindo às declarações do prefeito em entrevistas.

Moradores do final da Rua Marcos Rocha, reclamam dos caminhões que transportam matéria prima que é usada para a fabricação de tijolos e telhas de uma usina que fica nas proximidades, pois a quantidade excessiva de viagens das caçambas contribuem para a decomposição da pouca camada asfáltica que ainda existe no local.

 

Pacto Pela Paz – Codó terá Audiência Pública de Sensibilização e eleição do Conselho de Segurança

Para estabelecer maior interatividade entre sociedade civil e poder público no contexto da Segurança Pública, o Governo do Maranhão criou através da Lei n° 10.387/2015, o Pacto pela Paz, cuja política é baseada na aproximação da sociedade com o Sistema de Segurança Pública.

Em Codó, a sensibilização e escolha do Conselho será realizada na próxima quinta-feira (14/02), no Auditório do Centro de Estudos Superiores de Codó – UEMA, às 14h.

Ações conjuntas

Ações de prevenção e de identificação de pessoas em situação de vulnerabilidade social também fazem parte das ações do Pacto pela Paz. Para estas ações, a coordenação do projeto realiza uma grande articulação social envolvendo a prefeituras, igrejas, entidades, médicos, psicólogos, enfermeiros e agentes das forças policiais para combater e tratar o envolvimento com o tráfico de drogas nos municípios.

Composição dos Conselhos de Segurança

O Comandante do 17º BPM, os delegados da Polícia Civil da cidade e o Comandante do Corpo de Bombeiro, são membros natos do Conselho de Segurança e os demais membros serão eleitos na Audiência.

O evento dará inicio em Codó a uma aproximação maior de todo o Sistema de Segurança Pública da cidade com a sociedade, na medida em que farão parte do Conselho de Segurança, pessoas de vários segmentos, onde todos sentam na mesma mesa para decidir quais ações deverão ser implementadas para o combate e prevenção à violência.

Evento: Sensibilização e Criação do Conselho Comunitário Pela Paz

Quando e Onde? 14/02 – Auditório da Universidade Estadual do Maranhão – UEMA – Campus Codó

Horário: 14h

AGEATEC Serviços – Oferece oportunidade de emprego imediato para funções administrativas

A AGEATEC Serviços, empresa  estabilizada em  Codó está recrutando jovens com noções administrativas, conhecimentos de Informática e Redação Oficial para contratação imediata, eu disse contratação IMEDIATA. O candidato precisa ter apenas o Ensino Médio.

Os interessados deverão enviar seus currículos para o email: ageatec@gmail.com ou se dirigir até a sede da empresa que está localizada na Rua Marechal Castelo Branco, nº 1520 bairro São Pedro, Fone: (99) 3661 -9496.

Não deixe essa chance escapar!!!

Óticas Diniz solicita direito de resposta e esclarece fatos que originaram condenação

Após matéria publicada neste Blog, através de texto reproduzido do site oficial do Tribunal de Justiça do Maranhão, a assessoria de comunicação da Ótica Diniz, citada como condenada a pagar uma indenização a um cliente, nos solicitou um direito de resposta para explicar o fato ora narrado, conforme segue:

Nota de Esclarecimento

Em relação à sentença da ação ajuizada no Tribunal de Justiça do Maranhão, publicada em 1º de fevereiro de 2019 no Diário da Justiça Eletrônico, decisão essa que não é definitiva, uma vez que dela cabe recurso, as Óticas Diniz – maior rede do varejo óptico do Brasil – esclarecem que a empresa tem atuação limitada, apenas e somente, à confecção de óculos de grau, sempre em parceria com os principais laboratórios do mundo. E, principalmente, com base no aviamento das receitas médicas, sendo a consulta refrativa, bem como a prescrição de medicamentos e a definição sobre os procedimentos clínicos de competência exclusiva do médico oftalmologista.

As Óticas Diniz afirmam que o atendimento de qualidade ao cliente é uma de suas premissas, e que foi por meio dele que se tornaram referência no mercado óptico nacional. E mais, que respeita e cumpre todas as regras e normas técnicas e de segurança na prestação de seus serviços para proporcionar aos consumidores produtos ópticos de alta qualidade e tecnologia.

São Paulo, 06 de fevereiro de 2019.

Sobre a ÓTICAS DINIZ

Fundada no centro da capital maranhense por Arione Diniz, em junho de 1992, as Óticas Diniz são, hoje, a maior rede do varejo óptico do Brasil e a única marca de ópticas 100% nacional presente com mais de 1.000 unidades em todo o País. Seu diversificado mix de produtos e soluções ópticas de qualidade e alta tecnologia oferece as melhores opções em lentes e óculos de grau e de sol, incluindo as principais grifes do mercado. Entre elas, a sua bandeira própria DNZ EyeWear, sinônimo de autenticidade, liberdade e autoconfiança para quem não abre mão do conforto e da espontaneidade. As Óticas Diniz também proporcionam aos seus clientes um ambiente aconchegante e acolhedor, bem como um atendimento exclusivo e personalizado, que preza pela qualidade e que é referência entre os brasileiros. Além disso, a rede conta com a plataforma social “Diniz Social”, iniciativa pioneira que visa contribuir para a mudança da realidade da visão infantil no Brasil. Desde 2016, o projeto já beneficiou cerca de 50 mil crianças, entre 06 e 12 anos de escolas públicas de mais de 300 cidades, que passaram por consultas com médico oftalmologista gratuitamente. E 14 mil receberam a doação de óculos de grau completo das Óticas Diniz. www.oticasdiniz.com.br

Acesse a nossa lista de clientes e baixe imagens em alta resolução na Sala de Imprensa da Dezoito. Veja em: http://www.dezoitocom.com.br/.

Assessoria de Imprensa

Pesquisadores do IFMA avaliam resistência de bactérias do leite

O perfil de sensibilidade aos antimicrobianos variou de acordo com a espécie das bactérias e medicamentos testados
O leite é um dos alimentos de origem animal mais consumidos pelo homem. Por ser rico em nutrientes, pode veicular vários agentes microbianos que reduzem a sua qualidade e possibilidades de comercialização.
Há vários estudos sobre resistência bacteriana de microrganismos isolados do leite, tendo em vista que o gado leiteiro está constantemente passando por tratamento de infecções na glândula mamária. Essas infecções são tratadas com antibióticos e, se forem administrados de forma indiscriminada, pode haver o desenvolvimento de resistência a esses microrganismos patogênicos. E isto, no âmbito hospitalar, pode se tornar uma ameaça ao controle de doenças tratadas com essas substâncias.
No Maranhão, segundo a professora do IFMA Campus Caxias, Joyce Lopes, doutora em Ciência Animal pela Universidade Estadual de Londrina, já foram detectadas, em pesquisas anteriores, a presença de resíduos de antibióticos no leite nos municípios de Itapecuru-Mirim, Bacabal e na Ilha de São Luís. Porém há poucas pesquisas sobre o conhecimento desse mecanismo nos microrganismos em todo o estado.


A pesquisa

Foi nesse contexto que os estudantes do curso de Ciências Biológicas do IFMA Campus Caxias, Alisson Santos, Bruno Alves e Kellyane Aguiar, desenvolveram pesquisas com o objetivo de contribuir para a melhoria da qualidade do leite produzido no Maranhão. Os resultados dos trabalhos, orientados pela professora Joyce Lopes, com apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa (Fapema), foram apresentados em Santiago, Chile, durante o 24º Congresso Latino-americano de Microbiologia, no mês passado.
Alisson Santos e Bruno Alves, estudantes do 8° período, dedicaram-se, entre março e julho deste ano, a verificar a sensibilidade de bactérias isoladas do leite cru a antimicrobianos vendidos nas farmácias veterinárias. As bactérias foram coletadas em amostras de leite adquiridas previamente de propriedades dos municípios de Caxias e São João do Sóter, no interior do Maranhão. E os testes foram realizados no laboratório de Microbiologia do IFMA Campus  Caxias.
A pesquisa de Kellyane Aguiar analisou o perfil de sensibilidade da bactéria Staphylococcus aureus isolada do leite cru a antimicrobianos. Essa bactéria, frequentemente encontrada na pele e nas fossas nasais de pessoas saudáveis, pode provocar desde uma simples infeção até pneumonia, impetigo, foliculite e infecção do coração.

Metodologia
Oito amostras de 500 ml de leite cru foram coletadas em três propriedades leiteiras da região de São João do Sóter e uma do município de Caxias. As propriedades leiteiras foram selecionadas diante da manifestação dos seus responsáveis pela busca da melhoria da qualidade do leite.

Após a coleta, as amostras foram armazenadas em recipientes esterilizados, identificados e transportadas em caixa isotérmica ao laboratório de microbiologia de alimentos do IFMA Campus Caxias, onde foram realizadas as análises.  “A contagem bacteriana para Staphylococcus aureus foi realizada através de Placas  Petrifilm™  Staph Express”  explica Kellyane.

Após a leitura das placas, foram isoladas 18 cepas de Staphylococcus aureus para realização dos testes antimicrobianos.  Os antibióticos usados nos testes foram azimitrocina, sulfonamidas, timetoprim, cloranfenicol, nitrofurantoina  e  cefalexina. De acordo com o Ministério da Saúde, considera-se cepa um grupo de microrganismos da mesma espécie com características genéticas e bioquímicas distintas.

A pesquisadora utilizou um método qualitativo para avaliar a atividade antimicrobiana. E os testes de sensibilidade basearam-se em padrões recomendados pelo Clinical and Laboratory Standards Institute (CLSI) – uma organização internacional interdisciplinar, sem fins lucrativos, que promove o desenvolvimento de diretrizes para testes de patologia clínica e questões relacionadas à atenção de saúde. “As leituras dos halos de inibição  foram  realizadas  de  acordo  com  critérios  estabelecidos pelo documento  M100-S25  CLSI  de  2018”, afirma Kellyane.

Bruno e Alisson utilizaram medicamentos antimicrobianos adquiridos das casas agropecuárias do comercial local. E, para os testes, utilizaram a técnica de difusão em discos de papel filtro impregnados com 10 µL do medicamento na concentração original.

Resultados
Os resultados do estudo da estudante Kellyane apontaram a presença da bactéria Staphylococcus aureus em 100% das amostras de leite cru.  Quanto aos testes de antibiogramas com antimicrobianos em discos, foram observadas  variações entre os perfis de sensibilidade e resistência nas cepas testadas. Elas também apresentaram resistência a mais de um antimicrobiano.

“As cepas bacterianas que eu avaliei mostraram sensibilidade a todos os antimicrobianos de uso veterinário utilizados”, afirmou Alisson Santos. “Assim, eles podem ser indicados para tratamentos dos animais, desde que sejam administrados de forma adequada e quando necessário”, prosseguiu. Dentre as cepas avaliadas por Bruno, a maioria mostrou sensibilidade a todos os medicamentos testados.

Kellyane destaca que a pesquisa possibilitou enfatizar o “uso adequado de antibióticos no tratamento de infecções no gado leiteiro”. “Isto é importante para evitar o desenvolvimento de cepas multirresistentes, o que dificultaria o tratamento de infecções causadas por esses microrganismos”, ponderou.

“Espero que surjam novas pesquisas desse tipo no estado”, afirmou Alisson Santos. “Pretendo continuar nessa linha de pesquisa em futura pós-graduação, visando uma produção local de alimentos com melhor qualidade e mais competitiva”, assinalou.
“É importante que sejam realizadas pesquisas em mais propriedades da nossa região, com a utilização de outras espécies de bactérias”, pontuou Kellyane Aguiar. “Devem ser testados antibióticos indicados para o tratamento desses patógenos, de modo a verificar sua resposta a tais tratamentos”, concluiu.

Internacionalização da pesquisa
Os resultados da pesquisa realizadas pelos três estudantes do curso de licenciatura em Ciências Biológicas do IFMA Campus Caxias foram apresentadas no 24º Congresso Latino-americano de Microbiologia, em Santiago, Chile, entre 13 e 16 de novembro.
O congresso foi organizado pela Associação Latino-americana de Microbiologia (ALAM), em conjunto com a Sociedade Chilena de Microbiologia (SOMICH), a Associação Chilena de Imunologia e a Sociedade Latinoamericana de Tuberculose e outras Micobaterioses.

O evento reuniu pesquisadores, professores, estudantes e cientistas com o objetivo de promover colaborações e discutir os desafios globais relacionados à microbiologia e imunologia.
Foram discutidas questões sobre biotecnologia e microbiologia industrial, ecologia e genética, evolução, biologia de sistemas, interação patogênio-hospedeiro, taxonomia e sistemática e microbiologia clínica, dentre outros.

Na avaliação de Bruno Kaik, o intercâmbio científico foi muito positivo. “Nós retornamos ao Brasil com novos conhecimentos e aprendemos novas técnicas que vão contribuir para a formação profissional, pessoal e social”, afirmou.

É uma satisfação ver o resultado das pesquisas serem divulgadas a nível internacional”, comemora a professora Joyce Bitencourt. “O evento possibilitou a troca de informações, a discussão de estratégias de pesquisa, a cooperação e o desenvolvimento de interesses comuns”, concluiu a orientadora dos estudantes.