Prefeitura de Codó faz questão de divulgar o Carnaval e esquece das mazelas da cidade

Rua Assis Nogueira – Bairro Codó Novo

Vai começar amanhã, quinta-feira (28/02), as festividades carnavalescas na cidade de Codó, fato inédito aconteceu para que o gestor municipal percebesse que cinco dias consecutivos de festanças era pouco. Enquanto o serviço de Saúde da população vai seguindo doente, aulas com início retardado em trinta dias, ruas maltratadas por falta de pavimentação, enfim oferecer o circo para a população é um bom negócio.

Reclamar que a crise que assola os municípios brasileiros só é válido para investir em políticas públicas concretas que possam gerar educação de qualidade, saneamento básico e bem estar social.

Patrocinar a exportação da cultura alheia, não seria um bom negócio para quem presa pela cultura local, as atrações que estarão em Codó ao longo desses seis dias de folia, passam o ano quase todo com seu repertório musical próprio, mas no carnaval adaptam suas músicas para patrocinar o consumo de drogas lícitas e ilícitas, principalmente por jovens entre 12 a 25 anos. Sem contar da apologia à prostituição e a outros crimes.

Enquanto tudo isso acontecerá, patrocinado com o dinheiro público, os moradores de bairros carentes como o Codó Novo, Jerusalém e São Pedro, permanecem esquecidos ao longo dos últimos cinco anos pelas gestões municipais. Nem mesmo as pontes que garantes um Direito Constitucional, o de “ir e vir” de todos os cidadãos sejam respeitados.

Moradores da Rua Assis Nogueira e Rua Bahia, bairro Codó Novo clamam por respeito do gestor municipal, principalmente pela garantia de seus direitos fundamentais. Muito menos do que se gastou com o carnaval em 2017, 20183 agora em 2019, daria para dar qualidade de vida a muita gente por muitos anos.

Esgoto a céu aberto na Rua Bahia – Codó Novo

Menor seria a quantidade de pessoas expostas à doenças causadas por picadas de insetos que vivem às margens de esgotos a céu aberto.

Calma gente, ainda faltará mais um carnaval da atual gestão, e o sonho da tão propagada qualidade de vida, continuará em último plano. Cidadãos continuarão comprando a medicação que deveria ser distribuída nos postos de saúde, ou mesmo, pedindo ao Protetor que algo de mais grave não aconteça, pois perspectivas de melhoras, não temos.

E tome Carnaval meu povo!!!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Moderação de comentário está ativada. Seu comentário pode demorar algum tempo para aparecer.