Segunda feira inicia ano letivo nas escolas municipais de Codó, mas a maioria das escolas estão sem condições de receber estudantes

90 dias após encerramento do ano letivo de 2018, iniciarão as aulas na próxima segunda nas escolas da Rede Pública Municipal em Codó. Acontece que, mesmo com prazo razoável e com um retardamento de mais trinta dias para reinício, parece não ter sido suficiente para que as condições mínimas fossem dadas a alunos e professores atuarem de forma digna.

Na Escola Senador Alexandre Costa, o matagal toma conta do entorno da área interna, as paredes com reboco caindo, lodo na maior parte da área calçada. Em um dos portões de acesso, a lama dificulta a entrada.

O Colégio Ananias Murad, na Rua César Brandão é um dos mais castigados. O prédio, mais parece uma casa assombrada. As paredes em plena ruína, ameaçando cair sobre os alunos e professores. Parece que isso não incomoda o gestor municipal, muito menos os órgãos fiscalizadores.

Coincidentemente é a escola que aglomera maior número de alunos carentes dos bairros São Francisco, São Pedro e Jerusalém. Daí, a necessidade de uma política arrojada de investimentos na melhoria da estrutura. Dentro da escola, está sendo realizada a construção de uma quadra poliesportiva, que diga se de passagem obra que segue a passos de lesma.

Investir na qualidade da Educação não foi o forte da gestão do prefeito Francisco Nagib, talvez essa bandeira seja levantada para a tentativa de reeleição em 2020, mas será difícil convencer o eleitorado, já que sua gestão não possui uma marca registrada que sirva de referencia para outras cidades.

Em Codó, brinca se de fazer EDUCAÇÃO, os repasses financeiros caem religiosamente todo mês, mesmo não tendo compromisso com a folha de pagamento dos professores contratados, o prefeito alega em entrevistas que não há dinheiro para reformas das maiores escola.

Escola Modelo? Remy Archer

Até outro dia, era assim que conhecíamos a Escola “Modelo” Remy Archer. Hoje o modelo é de calamidade sem reformas, os forros das salas ameaçam cair, o mato também dificulta a acessibilidade, sem contar que a escola tinham ar condicionados, mas hoje contamos nos dedos de uma mão as salas que ainda possuem climatização.

Sendo assim, só resta uma coisa: “Professores fazem de conta que ensinam, enquanto que, os alunos fazem de conta que aprendem”, claro que isso acontece por dolo dos professores pois estes são apenas mais vítimas do sistema.

Prefeito Francisco Nagib, nossa Educação Municipal, parece que vai ficar reprovada mais um ano. Acho bom o senhor estudar mais um pouco e criar um novo modelo de gerir a principal pasta de um governo.