E agora Biné? Qual seria a identidade política de Biné Figueiredo com tanta instabilidade no tal “Grupão”?

Essa não era pra agora! Foi esta indagação dos codoenses que deseja a tal mudança do cenário político de Codó. Se o clima tá instável para o chefe do Executivo, imaginem só para os opositores, que nem mesmo conseguem lançar um nome para disputar as eleições municipais em 2020 para derrotar o atual prefeito, Francisco Nagib.

Considerado por alguns como a maior liderança entre os nomes da oposição, o ex prefeito Biné Figueiredo, que atualmente não pode lançar seu nome para a disputa ao pleito eleitoral codoense em 2020 por incompatibilidade com a lei, sequer consegue sustentação nos pré candidatos indicados por ele.

Biné também foi, o que começou a suscitar a criação de um mega Grupão, que até afirmo que este já nasceu morto, haja visto que o jogo de interesses em chegar ao Poder, não credencia nenhum dos que lá estão em ter a certeza absoluta de que terá ou não o apoio de homem que tem em média cerca de 10 a 15 mil votos para oferecer a seu candidato, com isto, Biné brinca com sua própria confiança em apoiar os possíveis nomes.

Já lançou o nome do filho, o ex deputado Camilo Figueiredo, olhou para o ex vereador Chiquinho do SAAE, mas não vingou, pensou em se firmar em Ricardo Archer, mas não teve a segurança, não deve acreditar no médico José Francisco, pois, apesar de não ter sido sequer vereador, mas poderá ser um grande nome a ser apreciado em 2020. Pedro Belo, apesar de ter sido visto em encontros com o tal Grupão, também não deve ter a confiança de seu Biné, pois seria um nome forte mas sua compatibilidade com o governo estadual e que este como aliado do atual prefeito, fica notório que Belo não tem força.

Outro nome que passou a ser especulado a receber o apoio de Biné Figueiredo, foi o atual presidente da Câmara de Vereadores, o senhor Expedito Carneiro, que nasceu politicamente no berço de Biné e acabou contrariando o grupo político de Biné, quando Carneiro deu um pulinho e passou a beber da mesma água dos FCs Oliveira, chegando ao ponto de costurar a vitória da presidência da Câmara com o chefão Francisco Carlos Oliveira e assim que percebeu que estava num barco furado, Expedito se tornou um rebelde a voltou aos braços de Biné Figueiredo e agora, ao que parece, com mais força.

Em quem Expedito se apoia, já que demostrou ser um político sem identidade política, se mostrando um oportunista para os mais inconscientes políticos?

A resposta é a mesma da vereadora Cleane Cobel,  “Não sei”. Expedito Carneiro, não possui mais aquela força com o público evangélico, já faz até um bom tempo que este não frequenta assiduamente uma igreja, mas sabemos que o mesmo goza de grande prestígio com alguns pastores evangélicos, isso é fato, já que alguns buscam fechar acordos, não para suas igrejas, mas sim para familiares.

Impossível desenhar um cenário, já que a cidade de Codó ainda carece do nascimento de um grande líder, que possa lançar uma proposta sólida e que represente a mudança de fato, alguém que possa transcender das camadas sociais menos favorecidas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *