Reinaldo Bezerra aciona Ministério Público mediante denúncia contra prefeito de Codó

Uma denúncia foi protocolada no último dia 07/07 (quarta-feira) no Ministério Público de Codó sob Número de Protocolo 001704-259/2021, onde o ex- candidato e prefeito de Codó-MA, Reinaldo Bezerra denuncia a omissão da prefeitura municipal na fiscalização das medidas sanitárias e enfrentamento à COVID-19.
No teor da denúncia, Reinaldo Bezerra alega que os órgãos municipais, há dias deixaram de diligenciar em ações coordenadas com os órgãos estaduais durante a fiscalização de estabelecimentos comerciais: bares, supermercados e eventos festivos.
Consta no teor da denúncia que, o prefeito de Codó, Dr José Francisco, tem tomado medidas de flexibilização, restrição, deliberado sobre horários de funcionamento e demais medidas, sem discutir com todos os órgãos envolvidos na linha de frente nesta pandemia, causando assim, graves problemas de comunicação entre as entidades estaduais, somente toma conhecimento das decisões quando da publicação dos decretos.
Para Reinaldo Bezerra, o enfrentamento e as ações preventivas do Novo Coronavírus devem ser compartilhadas, através da participação de todos os envolvidos, tais como: Polícia Militar, Corpo de Bombeiros, Guarda Municipal, Vigilância Sanitária, Secretaria de Saúde e Imprensa. Não podemos deixar nas mãos de dois ou três profissionais as decisões de um problema tão crônico, como esta pandemia.
Em várias cidades, as ações são compartilhadas, cada um em sua esfera e competências, todos nós estamos afetados de forma direta e indireta, precisamos trabalhar, obedecendo as recomendações sanitárias, mas infelizmente nem todos respeitam as normas, para isto, existem os órgãos públicos, para propagar as medidas, bem como trazer punições aos infratores, finalizou Reinaldo Bezerra.
São tantos problemas denunciados que, até a falta de um veículo caracterizado para a Vigilância sanitária atuar, conta na denúncia.
Agora, resta ao Ministério Público apurar o teor das denúncias para as tomadas das medidas cabíveis.

Fonte: Portal É Maranhão

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *