Prefeitura aditiva quase R$ 800 mil ao contrato da DIMENSÃO DISTRIBUIDORA empresa alvo da Polícia Federal

A Prefeitura Municipal de Codó, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SEMUS), realizou um aditivo de quase R$ 800 mil ao contrato da DIMENSÃO DISTRIBUIDORA DE MEDICAMENTOS EIRELI – ME, empresa localizada em Teresina/PI e que foi alvo da Polícia Federal durante a “Operação Onzena”.

Firmado em março deste ano, ainda na gestão do ex-secretário Mário Braga, o Contrato nº 0004/2021 tinha como objeto a contratação de empresa para aquisição de medicamentos e materiais odontológicos, destinados a Secretaria Municipal de Saúde de Codó, ao custo total de R$ 3.198.100,70.

Após receber Representações denunciando a falta de medicamentos nos postos de saúde de Codó, assim como possíveis irregularidades no Contrato nº 0004/2021, o Ministério Público do Estado do Maranhão (MPMA) instaurou o Inquérito Civil SIMP 001278-259/2021 para o aprofundamento da apuração dos fatos narrados nas Representações.

Desconsiderando as investigações em curso, o governo Zé Francisco (PSD) realizou o primeiro aditivo ao contrato com a DIMENSÃO DISTRIBUIDORA, no valor de R$ 796.925,94, passando o mesmo a ter o valor contratual total de R$ 3.995.026,64.

PROCESSOS ABERTO CONTRA DONO DA DIMENSÃO DISTRIBUIDORA

Um dos processos que tramita no Maranhão é na cidade de Bom Jardim. Nesse caso, devido a uma suposta licitação irregular para aquisição de medicamentos, insumos hospitalares, entre outros materiais, o Ministério Público do Maranhão ajuizou, em 12 de março do ano passado, Ação Civil por ato de improbidade administrativa contra o então prefeito Francisco Alves de Araújo e mais nove envolvidos, entre eles, Jadyel. Em setembro de 2018, a empresa de Jadyel virou alvo de investigação da Promotoria de Justiça da Comarca de Buriti, por supostos prejuízos aos cofres públicos do município.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *