Prefeitura de Codó não disponibiliza informações atualizadas sobre números da COVID 19

Print do Site Oficial da Prefeitura de Codó – 07/02, 23h20min

Quem acessa o Novo Portal da Prefeitura de Codó, na busca de informações atualizadas sobre os números de casos do Novo Coronavírus, acaba se sentindo inseguro do ponto de vista da preocupação dos responsáveis pela disponibilização dos dados.

Só a título de registro, as principais autoridades no quesito Saúde na cidade de Codó são médicos, o prefeito (José Francisco) e o Secretário de Saúde ( Mário Braga), o que nos chama a atenção é que ambos faziam duras críticas acerca da gestão anterior, mas acontece que, na condição de gestores erros cruciais não podem acontecer com tanta regularidade.

O direito ao acesso de informações sobre a pandemia não podem ficar esquecida, pois qualquer alteração de melhora ou piora no número de casos, servem para a elaboração de mudanças de comportamento tanto das autoridades quanto da população.

Durante grande parte do período em que a cidade de Codó passou a registrar casos de COVID 19, os dados passaram a ser divulgados diariamente nas redes sociais, nos Blogs e pelos canais de comunicação da cidade, enquanto que até agora nada disso veio a acontecer.

Esperamos que tanto o prefeito, quanto o secretário de saúde, tenham a preocupação em repassar os dados atualizados para a população, pois de um modo geral, temos o direito à informação.

 

DOAÇÃO – MEC entrega computadores para reforçar o ensino remoto

O Ministério da Educação (MEC) entregou uma nova remessa de computadores que serão destinados ao atendimento de estudantes em situação de vulnerabilidade socioeconômica, durante o período de suspensão das atividades presenciais.

Ao todo, o MEC, a partir de uma iniciativa da Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica (Setec), está realizando a doação de mil computadores para 5 instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica. A iniciativa visa suprir a falta de equipamentos e de conectividade dos estudantes no acesso e uso de tecnologias digitais.

A Setec tem articulado a distribuição desses computadores para as instituições que farão a disponibilização dos equipamentos aos estudantes. São elas: Instituto Federal do Sul de Minas Gerais (IFSuldeMinas), Instituto Federal do Paraná (IFPR), Instituto Federal do Triângulo Mineiro (IFTM), Instituto Federal Goiano (IFGoiano) e Instituto Federal do Mato Grosso do Sul (IFMS). “Essa ação só foi possível graças aos esforços conjuntos da Setec e da Secretaria Executiva do MEC.

Esses equipamentos doados encontram-se em boas condições de funcionamento e poderão atender a diversos estudantes da Rede Federal em situação de vulnerabilidade socioeconômica”, destacou o secretário de Educação Profissional e Tecnológica do MEC, Wandemberg Venceslau.

As instituições contempladas pelo repasse dos equipamentos doados pelo MEC já estão se organizando para a distribuição das máquinas em suas unidades. Essa ação também aproxima cada vez mais os estudantes do ensino de qualidade, garantindo o aprendizado ofertado pela rede, por meio da conectividade.

De acordo com dados extraídos da Plataforma Nilo Peçanha, considerando os estudantes que declararam renda em 2019, 30% possuem renda familiar inferior a meio salário mínimo, o que representa aproximadamente 200 mil estudantes. “É essencial o trabalho desenvolvido pelo MEC para a proteção das pessoas e para o suporte à viabilidade da educação, principalmente para os estudantes com dificuldades de acesso aos meios digitais. Essa ação é importante para mitigar as desistências que possam ocorrer quando o estudante não consegue receber o conhecimento ofertado de forma remota pelas instituições”, concluiu o secretário.

Essa é uma das iniciativas que o MEC vem realizando com o intuito de enfrentar a pandemia de Covid-19. No âmbito da Rede Federal foram desenvolvidas um total de 1.686 ações que impactaram cerca de 24,9 milhões de pessoas. Outro projeto que está sendo desempenhado pelo MEC, também direcionado aos estudantes em situação de baixa renda, é o “Alunos Conectados”.

Essa iniciativa tem como objetivo principal disponibilizar internet móvel para estudantes das instituições federais de ensino que se encontram em situação de vulnerabilidade socioeconômica, com renda de até meio salário mínimo.

Até o momento foram disponibilizados, de forma gratuita, aos estudantes das instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica, aproximadamente 80 mil chips para acesso à internet. Todas essas ações possibilitam a continuidade das atividades acadêmicas de forma remota, democratizando o acesso à educação por meio da inclusão digital.

Assessoria de Comunicação Social do MEC com informações da SETEC

Fonte: Portal do MEC

REDE EBSERH – Hospital em São Luís (MA) realiza 28 cirurgias durante mutirão

A menina LS, de 15 anos, tinha vergonha do próprio corpo. A adolescente de um município localizado a mais de 400 km de distância de São Luís sofria com a escoliose, um tipo de deformidade da coluna vertebral que pode trazer sequelas irreversíveis para alguns órgãos e sistemas e deixa desnivelamento nas costas. Ela foi uma das pacientes submetidas à cirurgia para corrigir o problema.

Pensando em minimizar o cenário de atrasos em procedimentos eletivos por conta da pandemia do Covid-19, o Hospital Universitário da Universidade Federal do Maranhão (HU-UFMA), vinculado a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), encerrou, nesta quinta-feira, 4, a segunda fase do Mutirão de Escoliose com a cirurgia de 28 pacientes entre 9 e 24 anos.

LS estava na fila desde o início do ano passado. Com um jeito doce e tímido, ela relatou a felicidade do momento. “Eu tinha vergonha, só usava blusas folgadas e o cabelo por cima para disfarçar. Hoje estou feliz com o resultado. Estou me recuperando bem”. Segundo sua tia, que a acompanha desde o início do seu tratamento “a ‘ficha’ da Leandra ainda não caiu direito, mas graças a Deus deu tudo certo. Fomos muito bem acolhidos, todos muito atenciosos. Estamos só aguardando a alta agora” finalizou.

O mutirão, que já está na sua segunda edição, foi iniciado na última segunda-feira, 1º, e contou com a logística de quatro salas de cirurgias e a participação de mais de 150 profissionais do HU-UFMA distribuídos no pré, trans e pós-operatório, além de 28 profissionais de outros estados. Ele foi realizado em parceria com o Brazilian Spine Study Group (BSSG) e o apoio de uma empresa de tecnologia médica, que doou os implantes utilizados nos procedimentos.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a escoliose atinge mais de seis milhões de brasileiros, sendo mais frequente no sexo feminino. A escoliose pode trazer sequelas no cardiorrespiratório e no neurológico, quando não tratadas em tempo hábil. Tem como características os ombros desnivelados, cintura assimétrica e é comum um lado das costas ficar mais alto do que o outro quando se inclina o ombro para a frente. A intervenção cirúrgica ajuda a corrigir e impedir a progressão da deformidade, que pode acometer crianças e adolescentes na fase pré-puberal (período entre o final do terceiro ano até o início da puberdade).

Entre os dias 11 e 12 de dezembro, foi realizada uma triagem com 50 pacientes que aguardavam na fila do hospital para fazer essa cirurgia. Destes, 24 foram selecionados após avaliação das condições clínicas para a devida indicação do tratamento cirúrgico. Logo depois, conseguiram aumentar a meta e o número chegou a 30 pacientes aptos para realizar o procedimento. Além da redução da fila por conta das suspensões das cirurgias eletivas durante a pandemia, o mutirão também proporciona aos residentes uma oportunidade a mais de aliar teoria e prática, tão essenciais para a formação profissional.

A superintendente do HU-UFMA/Ebserh, Joyce Santos Lages, destacou a felicidade da equipe do hospital em poder fazer parte dessa ação. “O sentimento é de grande alegria, pois a ação propicia não só a assistência de pessoas com o foco na melhoria da qualidade de vida, como também a nossa principal missão que é o ensino, pois possibilitou o treinamento da equipe, a troca de experiências, enriquecendo o aprendizado. ”

O médico ortopedista (SP) e membro do BSSG, Raphael Pratali, ressalta o sucesso das cirurgias e o benefício para todos os envolvidos. “Hoje estamos encerrando o segundo mutirão, conseguindo atingir o número de 28 cirurgias. Tudo foi um sucesso, todas as cirurgias ocorreram bem, não tivemos nenhuma complicação e acreditamos que isso terá muitos benefícios, tanto para os pacientes operados, que conseguiram realizar um sonho, assim como para toda a equipe, para os cirurgiões de fora que vieram acompanhar as cirurgias, para a equipe local, para os residentes pela experiência em cirurgias complexas como essa. Aproveitar para deixar meu agradecimento a toda a administração do hospital por termos sido muito bem acolhidos. Sem essa forte parceria, nada teria sido possível”.

A ação só foi possível pelo empenho e disponibilidade de toda a equipe multiprofissional do HU-UFMA/ebserh, que não mediu esforços para que tudo acontecesse da melhor forma, desde a triagem com a avaliação médica, psicológica e também do serviço social, além de todo o suporte dos recursos diagnósticos como os exames de imagem, do centro cirúrgico e do pós-cirúrgico.

Sobre a Rede Ebserh

Vinculada ao Ministério da Educação (MEC), a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) foi criada em 2011 e, atualmente, administra 40 hospitais universitários federais, apoiando e impulsionando suas atividades por meio de uma gestão de excelência.

Como hospitais vinculados a universidades federais, essas unidades têm características específicas: atendem pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS), e, principalmente, apoiam a formação de profissionais de saúde e o desenvolvimento de pesquisas. Devido a essa natureza educacional, os hospitais universitários são campos de formação de profissionais de saúde. Com isso, a Rede Ebserh atua de forma complementar ao SUS, não sendo responsável pela totalidade dos atendimentos de saúde do país.

Assessoria de Comunicação de Social com informações da Ebserh

Portal do MEC

Clique Escola – Conheça o aplicativo criado pelo MEC que dá transparência a dados de escolas da Educação Básica do Brasil

Perguntas e respostas sobre o Clique Escola

1. O que é?

Um aplicativo desenvolvido pela Secretaria de Educação Básica do Ministério da Educação para dar transparência a dados educacionais e financeiros das mais de 180 mil escolas públicas e privadas de educação básica do país. O programa está disponível, de forma gratuita, nas lojas Google Play e App Store.

2.  Quais informações estão disponíveis?

O aplicativo informa a nota de cada escola no Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb) por ano, etapa de ensino e disciplina; distorção idade-série por ano e etapa de ensino; média de alunos por turma e por etapa de ensino; porcentagem de professores com curso superior por ano e etapa de ensino; taxas de rendimento, aprovação, reprovação e abandono, por etapa de ensino; além de recursos repassados via Programa Dinheiro Direto na Escola (PDDE).

Na ferramenta, são apresentadas, por exemplo, as contas bancárias de escolas referentes ao PDDE, que presta assistência financeira para contribuir para manutenção e melhoria da infraestrutura física e pedagógica, com consequente elevação do desempenho escolar. A sociedade terá acesso às datas de pagamentos do programa, o valor total da parcela, além da discriminação entre as partes referentes ao custeio e ao capital.

As informações são extraídas das bases do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) e do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).

3. Qual é o público-alvo?

O público-alvo é formado principalmente por gestores, diretores, professores e estudantes. O aplicativo, no entanto, pode ser utilizado por qualquer cidadão interessado na situação da educação básica do país.

4. A ferramenta será interativa?

Sim. O aplicativo ainda tem como objetivo ser um canal de comunicação do MEC com as instituições. Ele vai permitir que sejam encaminhadas mensagens para as comunidades escolares de todo o país. Entre os assuntos que poderão ter a troca de informações facilitadas estão ações do ministério, cumprimento e encerramento de prazos e cursos de formação disponíveis para profissionais da educação.

5.  Houve consulta à sociedade?

Sim. Para criar o app, o MEC realizou uma consulta junto às comunidades escolares dos estabelecimentos públicos de ensino básico. Mais de 43 mil diretores, professores e estudantes participaram, sendo que 94% disseram que é importante a disponibilização de informações educacionais e financeiras em um aplicativo e 78,5 % afirmaram que utilizariam o aplicativo.

SÃO LUÍS – Deputado estadual Duarte Júnior é acionado por propaganda antecipada

O Ministério Público Eleitoral ajuizou, em 30 de março, Representação por prática eleitoral irregular contra Hildelis Silva Duarte Júnior, mais conhecido como Duarte Jr., deputado estadual e pretenso candidato ao cargo de prefeito de São Luís.

Assinada pela promotora eleitoral Moema Figueiredo Viana Pereira, a manifestação foi motivada pela distribuição de revistas, por meio do serviço dos Correios, às residências de eleitores, em desobediência à legislação eleitoral.

Como medida liminar, o Ministério Público Eleitoral requer a determinação da busca e apreensão dos exemplares (ainda não distribuídos) da revista, bem como da imediata suspensão da distribuição, com a notificação do gerente comercial da agência central de Correios, localizada na Praça João Lisboa, em São Luís, para que se abstenha de enviar o material ali existente.

Foi requerida igualmente a condenação do representado no pagamento da multa definida na Lei das Eleições e na Resolução nº 23.610/2019, do Tribunal Superior Eleitoral.

IRREGULARIDADES

As irregularidades chegaram ao conhecimento do Ministério Público por meio de publicação veiculada no blogue Online1, que noticiou a distribuição pelo deputado estadual Duarte Jr. de aproximadamente 201 mil exemplares da publicação em residências da capital.

Durante a investigação, o procurador regional Eleitoral, Juraci Guimarães Júnior, e o promotor eleitoral Pablo Bogéa Pereira Santos, informaram ter recebido um exemplar da revista em suas respectivas residências, acrescentando que o material fora enviado a inúmeros apartamentos dos prédios onde moram.

De posse do exemplar, o MP Eleitoral verificou que, contrariando a legislação eleitoral, não constam na revista informação sobre a tiragem e o número de inscrição no Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ) ou no Cadastro de Pessoas Físicas (CPF) dos responsáveis pela sua confecção e contratação.

Na manifestação, a promotora destacou que, embora uma só revista seja suficiente para comprovar a irregularidade, foi expedido ofício à agência central dos Correios de São Luís, objetivando saber exatamente a quantidade de revistas distribuídas, os locais de distribuição e o valor do serviço contratado.

“A pretexto de prestar contas de sua atuação enquanto parlamentar, o representado, na verdade, promove a sua pré-candidatura, o que se revela não apenas pela excessiva quantidade de revistas distribuídas, mas, sobretudo, pelo conteúdo, que, além de vincular a sua imagem a projetos relacionados à saúde, educação, proteção aos animais, direitos do trabalhador e do consumidor, faz alusão a trabalhos futuros, mencionando expressamente que ‘muito ainda precisa ser feito’ e ‘acredite: juntos faremos muito mais’, referindo-se, por óbvio, à sua pretensa atuação como prefeito de São Luís”, enfatizou Moema Figueiredo Viana Pereira.

De acordo com a representante do MP, a publicação ressaltou, também, ações de Duarte Jr. quando era dirigente do Procon, o que revela que a propaganda não se restringe à sua atuação como parlamentar, não tendo o propósito de prestar contas de sua conduta e trabalho na Assembleia Legislativa, mas, sim, de demonstrar a sua performance na vida pública.

LEGISLAÇÃO

A manifestação do MP está fundamentada pelo artigo 36 da Lei nº 9.504/19974, que veda, expressamente, a divulgação de propaganda eleitoral antes do dia 16 de agosto do ano das eleições, e pelo artigo 38, que exige que todo material impresso de campanha eleitoral deverá conter o número de inscrição no CNPJ ou CPF do responsável pela confecção, bem como de quem a contratou, e a respectiva tiragem.

“Nas revistas recentemente distribuídas não constam as informações exigidas pelo dispositivo legal acima indicado. Não há dúvidas, portanto, que os impressos contrariam frontalmente a legislação eleitoral, restando demonstrada e provada a realização de propaganda extemporânea”, declarou, na manifestação, Moema Figueiredo.

Redação: CCOM-MPMA

Últimos dias para a inscrição do programa ‘Bolsa Atleta’

Termina na próxima quinta (19) o prazo para as inscrições do programa ‘Bolsa Atleta’, uma iniciativa do Governo do Maranhão, por meio da Secretaria de Estado do Esporte e Lazer (Sedel), com objetivo de ajudar no custeio das despesas relacionadas à prática desportiva, como transporte, alimentação, inscrições e aquisição de materiais.

A lei estadual Nº 11.010 de 24 de abril de 2019, que institui o programa Bolsa Atleta, tem intenção de democratizar o acesso à prática esportiva, valorizando os atletas estudantis maranhenses, com bolsas que serão disponibilizadas aos atletas e paratletas de base, de 10 a 25 anos.

Neste primeiro ano, a bolsa terá o valor de R$ 500,00 por pessoa e será destinada a 100 atletas, que deverão se inscrever por meio de edital para concorrer às bolsas. Estão disponíveis bolsas em duas categorias: Estudantil de Ensino Fundamental e Médio; e Estudantil Universitária. No edital do Programa, estão expressos os critérios para participar de cada categoria.

A documentação necessária para inscrição encontra-se no site da Sedel (sedel.ma.gov.br). Os interessados em receber o benefício devem preencher toda a documentação e protocolar a solicitação na sede da secretaria, localizada na Av. Dom Pedro II, nº 220, Ed. João Goulart. O horário de atendimento é de 9 às 19 horas.

O resultado final dos contemplados no programa será divulgado até o dia 5 de maio de 2020.

SEAP MA tem processo seletivo em aberto para 17 cidades com vagas para Codó – Inscrições vão até 06/03

O Governo do Maranhão, por meio da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap), abre inscrições para mais um Processo Seletivo Simplificado, desta vez para os cargos de Auxiliar de Segurança Penitenciária e Agente Penitenciário, ambos masculino e feminino.

O seletivo ocorrerá nas cidades de Açailândia, Balsas, Bacabal, Chapadinha, Caxias, Codó, Cururupu, Coroatá, Carolina, Davinópolis, imperatriz, Itapecuru, Pedreiras, Rosário, Santa Inês, Timon e Viana.

A remuneração para estas áreas é no valor de R$ 1.500,00 para Auxiliar de Segurança e de R$ 3.283,56 para Agente Penitenciário, pagos mensalmente, e já acrescidas as vantagens pecuniárias, permanentes e temporárias, estabelecidas por lei.

As inscrições estarão abertas a partir das 8 horas do dia 02 de março de 2020 e se estendem até às 12h do dia 06 de março de 2020, e deverão ser feitas, exclusivamente, pela internet, por meio do site oficial da secretaria estadual (www.seap.ma.gov.br).

Comissão Mista aprova 13º para Bolsa Família e Benefício de Prestação Continuada

Foi aprovado nesta terça-feira (3) o relatório da comissão mista sobre a medida provisória que estabelece o pagamento de 13° para beneficiários do Bolsa Família (MP 898/19). O texto, do senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), torna a parcela extra permanente — originalmente, o objetivo da MP era conceder o 13° apenas em 2019. Além disso, o relatório estende esse benefício também aos beneficiários do Benefício de Prestação Continuada (BPC). As mudanças ainda terão de ser analisadas pelos plenários da Câmara e do Senado.

Saiba mais sobre a tramitação de medidas provisórias

As tentativas de votação se estenderam por todo o mês de fevereiro, com mudanças no relatório em busca de um acordo, obstruções por parte do governo e adiamentos por falta de quórum. Se a medida não fosse aprovada até quarta-feira (4) pela comissão, não haveria tempo hábil para que a MP fosse votada nas duas Casas do Congresso até o dia 24 de março, quando o texto perde a validade.

“É um reconhecimento que este Congresso Nacional faz, por meio de comissão mista de deputados e senadores, de que não é possível neste país só sacrificar os mais pobres”, comemorou o relator.

A medida provisória garantia o 13º do Bolsa Família apenas em 2019, como forma de compensação pela alta da inflação no ano. Randolfe optou em seu relatório por tornar permanente a iniciativa e estender o 13° anual para o BPC. Após várias tentativas de votar o texto, o governo concordou apenas com a primeira mudança, mas afirmou que ela deveria ser feita fora do relatório da medida, por meio do projeto da Lei Orçamentária Anual.

Os governistas tentaram, sem sucesso, aprovar requerimentos de votação nominal e de adiamento da votação, mas o relatório de Randolfe Rodrigues acabou sendo aprovado.

A vice-líder do governo no Congresso, deputada Bia Kicis (PSL-DF), ponderou que o presidente é favorável à iniciativa. “É evidente que, ao inaugurar o décimo terceiro para o Bolsa Família, um presidente não é maluco de deixar de dar o mesmo benefício nos próximos anos, o que seria suicídio eleitoral. É claro que o presidente tem intenção de fazer com que esse se torne, sim, um benefício de Estado, mas com toda a responsabilidade, para que não cometa pedaladas, não cometa nenhuma irresponsabilidade que possa comprometer a lisura do seu governo”, disse.

Fonte de financiamento
Para tentar garantir a aprovação das mudanças, o relator já havia retirado pontos incluídos em relatórios anteriores, como a previsão de reajuste anual dos benefícios do Bolsa Família. O senador também alterou a fonte de financiamento destinada ao pagamento do 13° do Bolsa Família.

Uma versão anterior do relatório indicava como fonte de recursos a tributação sobre lucros e dividendos pagos por empresas aos acionistas. Na versão aprovada, os recursos sairão da tributação das aplicações em fundos de investimentos fechados, geralmente usados por quem tem muito dinheiro, como forma de gestão patrimonial.

“A cobrança do chamado come-cotas vem como uma solução para o financiamento do décimo terceiro do Bolsa Família e do BPC. Mas essa cobrança já deveria existir por um simples motivo: não tem cabimento os mais ricos do País não pagarem um tributo que todos nós, os de classe média e até os pobres, pagamos, ainda mais em um sistema tributário covarde como o sistema tributário brasileiro”, argumentou o deputado Marcelo Ramos (PL-AM), responsável por apontar ao relator a tributação dos fundos como fonte de financiamento.

A alíquota, de 15%, deve incidir na fase anterior à amortização ou ao resgate, à medida que os rendimentos são recebidos, como já ocorre com os fundos abertos. Atualmente, o imposto incide sobre os rendimentos apenas no resgate das cotas ou ao término do prazo de duração do fundo.

De acordo com o relator, tornar perene o décimo terceiro do Bolsa Família vai custar, por ano, R$ 2,58 bilhões. Estender o benefício para as famílias que recebem o BPC, também segundo ele, vai custar R$ 4,8 bilhões ao ano. Com a tributação dos fundos “come-cotas”, haveria aumento de R$ 10,7 bilhões ao ano na arrecadação, o que daria uma sobra de R$ 3,32 bilhões.

Mobilização
O presidente da comissão, deputado Camilo Capiberibe (PSB-AP), agradeceu aos parlamentares dos partidos do centro, que contribuíram com os oposicionistas na aprovação. Para ele, a aprovação na comissão foi apenas a primeira batalha, e a mobilização dos parlamentares precisa continuar.

“A mobilização vai ter que continuar, e mais forte ainda, para que nós possamos reproduzir nos plenários da Câmara e do Senado essa vitória que tivemos aqui hoje”, declarou.

Para o deputado Patrus Ananias (PT-MG), ex-ministro do Desenvolvimento Social, a aprovação representou a vitória do diálogo e do consenso, e é motivo de grande emoção para quem conhece de perto a realidade dos beneficiários dos dois programas.

Da Redação – GM
Com informações da Agência Senado

Abertas inscrições para concurso de desenho da Bandeira Nacional em livros didáticos

Estão abertas as inscrições para o 1º Concurso Sua Arte no Livro Didático. Para participar, alunos de escolas públicas do ensino médio devem produzir um desenho com temática relacionada à Bandeira Nacional.

As inscrições devem ser feitas por meio do link http://pddeinterativo.mec.gov.br/. Só é permitida a inscrição de dois alunos por escola e de uma arte por estudante. Os diretores precisam preencher os dados dos alunos e enviar os desenhos em formato JPG, JPEG ou PNG, com tamanho máximo de 2 megabytes. Mais informações no edital do concurso.

As melhores ilustrações serão impressas na quarta capa dos livros didáticos do Ensino Médio de 2021, que fazem parte do Programa Nacional do Livro e Material Didático (PNLD), responsável pela distribuição de obras didáticas, literárias e pedagógicas para alunos e professores das escolas públicas de educação básica.

Os cinco primeiros colocados — um de cada região do país — vão ganhar um computador, uma viagem à cidade de São Paulo para participar da cerimônia de premiação do concurso e ainda a impressão da ilustração nos livros didático de 2021.

Já os cinco segundos colocados — também um de cada região do país — serão premiados com tablet e viagem para a capital paulista. Os diretores e escolas dos estudantes vencedores recebem uma placa de participação.

Resultado – O concurso terá os resultados divulgados em 3 de agosto. A cerimônia de premiação será realizada na Bienal do Internacional do Livro, em São Paulo.

A Comissão de Avaliação será composta por um aluno da rede pública maior de 12 anos que não esteja participando do concurso, um ilustrador profissional e três representantes do FNDE. Entre os critérios que serão considerados estão: criatividade, contemporaneidade, harmonia estética, autenticidade e expressividade.

O 1º Concurso Sua Arte no Livro Didático é uma ação organizada pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), vinculado ao Ministério da Educação (MEC).

Confira abaixo cronograma completo do concurso:

Inscrições: até 15 de abril

Divulgação preliminar dos resultados: 15 de junho

Prazo para interposição de recurso: 16 a 25 de junho

Divulgação do resultado final: 3 de agosto

Com informações do FNDE

Uber começa a operar em Codó e Bacabal Interessados em ganhar dinheiro com o app podem se cadastrar como motoristas parceiros

A partir desta quarta-feira (19/02), a Uber vai passar a operar em Codó e Bacabal. De cidade em cidade, a Uber está transformando o modo como os maranhenses se movimentam, colocando mais pessoas dentro de menos carros e permitindo que muita gente possa gerar renda com flexibilidade e sem complicação.

Ao chegar na cidade, a Uber pretende fazer parte da vida da população e oferecer uma opção de mobilidade acessível, moderna e eficiente para moradores e visitantes, conectando usuários e motoristas com o simples toque de um botão. Inicialmente, o tempo de espera por um carro pode oscilar para cima ou para baixo, mas em pouco tempo a tecnologia da Uber possibilita maior equilíbrio entre oferta e demanda.

Atualmente, o aplicativo já funciona em São Luís e na região metropolitana. A Uber manterá aberto o cadastro de pessoas interessadas em gerar renda dirigindo por meio do aplicativo nas novas cidades. Os interessados podem se informar no site uber.com/dirija. Motoristas parceiros já cadastrados no Estado não precisam se cadastrar novamente.

No Brasil, a Uber está presente em mais de cem cidades, com a missão de oferecer uma alternativa confiável de mobilidade para a população. São mais de 600 mil motoristas parceiros gerando renda para si e suas famílias por meio do aplicativo.

 

SERVIÇO

O que é Uber?

O app da Uber conecta você a um motorista particular quando você quiser, onde quer que você esteja. Nossa tecnologia permite focar na segurança de nossos usuários e motoristas parceiros antes, durante e depois de cada viagem. Saiba mais sobre a segurança de usar a Uber aqui.

Quanto custa?

O preço de viagens pela Uber varia de acordo com a distância e o tempo. Outros itens também entram no cálculo em cada cidade, mas sempre que o usuário solicita uma viagem, o app mostra o preço que ele irá pagar ao final, sem surpresas. Ao final de cada viagem, os usuários recebem um recibo com o descritivo dos itens que fazem parte do valor final. É possível estimar o valor das viagens no site da Uber.

Como chamar um Uber?

Para chamar um carro, você precisa apenas baixar o app em seu celular, criar uma conta e pronto. Aí é só abrir o app e apontar no mapa ou escrever o endereço de onde você quer que o motorista te encontre. O aplicativo pode ser baixado nos sistemas Android ou Apple. Para uma melhor experiência em celulares Android mais antigos e conexões de internet mais lentas, também é possível baixar o Uber Lite, versão mais leve do aplicativo que ocupa menos espaço e funciona bem mesmo com sinal fraco.

Como se cadastrar como motorista?

Ser um motorista parceiro da Uber é ideal para quem busca independência no dia a dia, sendo seu próprio chefe e escolhendo seus horários de trabalho. Os interessados podem dirigir seus próprios carros, um carro de outra pessoa ou mesmo um veículo alugado com valores promocionais – saiba mais em t.uber.com/aluguel.

  • Para se cadastrar, acesse uber.com/dirija e faça o cadastro;
  • Inclua sua CNH com observação EAR (Exerce Atividade Remunerada). Para conseguir essa observação, basta procurar um posto do Detran mais próximo
  • Cadastre o CRLV de um veículo que cumpra os pré-requisitos explicados em t.uber.com/veiculos.aceitos

 

Como funciona a segurança?

A segurança é uma prioridade para a Uber. A plataforma conta com diversos recursos de tecnologia para auxiliar motoristas parceiros antes, durante e depois de cada viagem. Além disso os motoristas parceiros têm acesso ao suporte 24 horas e a uma cobertura de seguro, durante as viagens, para acidentes pessoais. Também são feitas verificações de informações pessoais por meio do cadastro de cartões bancários ou do CPF dos usuários, para contribuir com a segurança nas viagens. Para saber mais sobre as camadas de segurança da plataforma da Uber, acesse nosso site.​