Rotary Club promove a Campanha “Hepatite Zero” e realiza doações em Codó

IMG-20170808-WA0109
As hepatites virais são um dos maiores problemas mundiais de saúde e matam duas vezes mais do que a Aids. Para mudar esse quadro, a família do Rotary em Codó realizou a 2ª Edição da Campanha “Hepatite Zero”, que graças à parceria com a Associação Brasileira de Portadores de Hepatite, garantiu  testes de verificação de Hepatite C para os codoenses na sexta, 04 de Agosto, na Praça Ferreira Bayma, Centro de Codó.
rot
O apoio da Secretaria Municipal de Saúde, da Igreja Católica Nossa Senhora das Graças e do Comando do Tiro de Guerra foram fundamentais para promover a ação na identificação de portadores da doença e atendeu 200 pessoas, desde jovens à idosos.  As enfermeiras e técnicas realizavam os testes enquanto os rotarianos organizavam o local, cadastravam os interessados e acompanhavam os resultados.
Na ocasião, foram realizados 800 procedimentos, pois em cada pessoa eram feitos também os exames para identificação de Hepatite  B, Sífilis e HIV, sendo aplicados os 200 testes dos 400 recebidos da ABPH, com a identificação de 03 casos positivos de Hepatite C, 30 de Sífilis e 01 de HIV, que receberão o devido acompanhamento da Secretaria Municipal de Saúde. Os testes para detecção foram totalmente gratuitos e em poucos minutos o resultado era divulgado.
MANHÃ DE DOAÇÕES
rotary
Outra ação do Rotary neste domingo, 06, foi a doação de peças de roupas e calçados na Zona Rural do município, no Povoado Sabiazal.  Meia hora foi o suficiente para acabar com as cerca de 250 peças de roupas e calçados, angariados pelos companheiros rotarianos. Olhares atentos ao tamanho, cor e utilidade. Muitas mães e donas de casa do Povoado não perderam tempo, estavam antes mesmo do horário anunciado, escolhendo as melhores peças.
Rotary a serviço da humanidade!

Flávio Dino inaugura escola que não foi concluída e professores e alunos protestam contra mentiras do Governador – denuncia deputado Wellington

welingtonn
Na propaganda do governo, a escola foi reformada e entregue. Na realidade, pais, alunos e professores realizaram manifestação, nesta terça-feira (08), como forma de protesto a fim de garantir a entrega do Centro de Ensino Olindina Nunes Freire, escola do Estado localizada em Pedreiras. A inauguração da escola foi feita pelo Governador Flávio Dino no dia 19 de junho. No entanto, a inauguração foi apenas midiática, já que até o presente momento alunos e professores sequer utilizaram o espaço.
“O Governador veio aqui e prometeu que em agosto já estaríamos no nosso prédio. Se a reforma não foi concluída, por que eles inauguraram algo que ainda nem terminou? Só para tentar nos enganar? Isso é mentir. Nem a parte elétrica tá pronta. Aliás, nem cadeiras a gente tem. É pra levar de onde? De casa? E ele ainda disse que a partir do dia 01 de agosto estaríamos no novo prédio. Agosto? Agosto de 2018? Só se for”, desabafou uma estudante do 2ºano.
welington dep
Após  receber inúmeras denúncias de pais, alunos e professores, inclusive solicitando a visita de fiscalização do parlamentar, o deputado Wellington solicitou que o Governador do Maranhão, Flávio Dino (PC do B), se manifestasse sobre a situação e adotasse providências, em caráter de urgência, quanto à entrega verdadeira da obra.
“É uma vergonha! Mais uma vez, estamos diante de um caso da propaganda mentirosa do Governador Flávio Dino. Na lista que a própria Secretaria de Educação encaminhou à Assembleia, o Centro de Ensino Olindina Nunes Freire consta como se já tivesse sido reformado desde 2016.Está lá: ‘ano de execução: em 2016’.
Não satisfeito em mentir apenas no documento oficial, o Governador e seus secretários inauguraram a reforma da escola recentemente, em junho. Flávio Dino inaugura escola que não foi concluída e professores e alunos protestam contra mentiras do Governador. É mentira atrás de mentira. Agora, alunos e professores, revoltados, querem saber: onde fica essa escola que foi reformada, Governador? Porque a deles ainda sequer tem condições para funcionar. Nem a parte elétrica foi instalada. O Governador Flávio Dino gasta na propaganda e ignora a verdadeira situação de alunos e professores do Maranhão. Encaminhei um ofício e aguardo uma resposta não para o deputado Wellington, mas em nome dos alunos e professores que estão decepcionados com tanta mentira”, pontuou o professor e deputado Wellington do Curso, que por meio do projeto “De Olho nas Escolas” tem fiscalizado e denunciado várias instituições de ensino do Maranhão que estão em situação precária.
Além de cobrar para que o governo faça a reforma nas escolas, o Deputado Wellington  tem denunciado ao ministério público para que tome as devidas providências.

Professores da Rede Pública municipal prometem lotar a Câmara de Vereadores para reivindicar calendário de pagamento

tela

Um grupo de professores promete lotar a galeria da Câmara Municipal de Codó, nesta terça-feira. O convite está sendo fomentada nas redes sociais e ganha corpo, principalmente após o pagamento do salário do mês de julho ter sido feito com oito dias de atraso, sendo depositado nas contas nesta terça-feira (08/08), fato jamais visto nos últimos doze anos.

A reclamação maior, é por conta da prefeitura, através das Secretarias: de Finanças e Administração, não dispor de um calendário de pagamento dos servidores, como acontece em várias outras prefeituras, já que os repasses do Governo Federal são depositados nas contas da prefeitura religiosamente nos dias programados, e em pouquíssimos casos é que há exceção.

Os professores estão insatisfeitos por conta das declarações do prefeito Francisco Nagib, que em entrevista em sua emissora de rádio, disse que a prefeitura passa por dificuldades financeiras e possivelmente o pagamento de agosto deverá ser comprometido.

De acordo com o andar da carruagem, certamente os professores revoltados não tenham apoio da maioria dos vereadores. Inclusive tem uns que, quando há alguma mobilização neste sentido, fazem questão de não comparecer na sessão. Vamos ver se isso procede?

Será mesmo que a prefeitura não tem dinheiro?

Bom, não sabemos ao certo o que acontece com as finanças da prefeitura que recebe seus repasses federais, estaduais, além de arrecadar taxas e tributos. As demissões em massa parece não ter surtido efeito para  os cofres do município.

Há muitas controvérsia a respeito do que é pregado e o que é visualizado na administração municipal. Como chorar tanto e dizer qua está sem dinheiro, se o Executivo Municipal vem realizando várias licitações milionárias, inclusive comprometendo o dinheiro destinado a educação municipal? Esta é uma pergunta que talvez o próprio prefeito tenha de responder.

Podemos concluir que, o pagamento dos salários dos servidores não é prioridade do gestor, pois a honra dos compromissos com os fornecedores, esta sim está sendo cumprida.

FUNDEF – MPMA, TCE e Famem se reúnem para tratar da aplicação dos recursos

TCE_Reunião_1

O procurador-geral de justiça, Luiz Gonzaga Martins Coelho, participou nesta segunda-feira, 7, no Tribunal de Contas do Estado (TCE), de uma reunião com representantes da Federação dos Municípios do Estado do Maranhão (Famem). O objetivo era tratar da aplicação dos recursos devidos aos municípios maranhenses, provenientes da sentença condenatória que versa sobre a complementação do Fundef.

O Fundef foi substituído pelo Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos profissionais da Educação (Fundeb) e é composto por recursos de cada estado e complementado pela União nos casos em que não alcance o valor mínimo previsto nacionalmente.

Participaram da reunião, o presidente do TCE, Caldas Furtado; a representante do Ministério Público de Contas, Flávia Gonzalez; a coordenadora do Centro de Apoio Operacional de Defesa da Educação (CAOp) em exercício, Érica Beckman; o diretor da Secretaria para Assuntos Institucionais do MPMA, Marco Antonio Santos Amorim; o presidente da Famem e prefeito de Tuntum, Cleomar Tema; representantes do setor jurídico do TCE e Famem; e prefeitos de cinco municípios do Maranhão: Codó, Tutóia, Anapurus, Gonçalves Dias e Tuntum.

A reunião foi solicitada pela Famem, que pede que os valores referentes aos precatórios não sejam aplicados 100% na educação, por considerar o valor alto. De acordo, com a Famem, os prefeitos querem aplicar por exemplo 30% na educação, 20% na saúde e o restante de acordo com as necessidades de cada município, por entender que como é uma ação judicial indenizatória e não voluntária, é possível fazer a aplicação dos recursos desta forma. A preocupação dos prefeitos em trazer a discussão para o TCE é, dentre outras, evitar problemas com a prestação de contas no próximo ano.

Os recursos provenientes dos processos que se encontram em fase de precatórios giram em torno de R$ 224 milhões de reais, a serem divididos inicialmente para 12 municípios. A divisão dos recursos será feita de forma relacionada com a quantidade de estudantes matriculados na rede municipal.

O procurador-geral de justiça, Luiz Gonzaga disse que a Rede de Controle vai se reunir para discutir o assunto e tomar uma decisão. Mas reforçou que a Rede “está aberta ao diálogo e que será preciso se reunirem para analisar legalmente o pedido. O entendimento deverá ser unificado. Agiremos sempre pautados na legalidade”.

Para a coordenadora do CAOp, o pedido da Famem “é uma situação que tem que ser analisada com muito cuidado. Esses recursos refletem uma oportunidade de revolucionar a educação no Maranhão, reverter os nossos índices que ainda são muito baixos. Infelizmente no nosso estado ainda existem escolas de taipa, transporte escolar de pau de arara, escolas multi seriadas”, ponderou Érica Beckman.

FUNDEF

Em 1999, o Ministério Público Federal em São Paulo propôs ação contra a União. Foi constatado que os repasses financeiros que foram efetuados eram inferiores ao devido. O caso, que transitou em julgado em 2015, foi concluído com sentença que condenou a União a pagar as diferenças de complementação do Fundef aos municípios, correspondente ao Valor Mínimo Anual por Aluno (VMMA). Foi solicitado pelo MPF que o pagamento da verba ocorra mediante precatório, repassando-se os recursos para a conta única e específica de cada município vinculada ao Fundeb.

Redação: CCOM-MPMA

Décima edição da Caravana Empresarial leva programas Mais Empregos e Juros Zero a Codó

02923_caravana_empresarial_barra_do_corda_15_8625444415249662173-633x390

Começa hoje em Codó a décima edição da Caravana para o Desenvolvimento Empresarial. O evento será realizado no auditório da Universidade Federal do Maranhão (UFMA), no Campus Codó.

No primeiro dia do evento, empreendedores e empresários de Codó e cidades vizinhas terão a oportunidade de dialogar com secretários de governo e presidentes de órgãos ligados ao setor produtivo. O primeiro dia da Caravana tem início na terça-feira a partir das 18h.

Os participantes da Caravana para o Desenvolvimento Empresarial também vão receber serviços e informações para se cadastrarem em Programas como o Juros Zero e o Mais Empregos, criados pelo governador Flávio Dino para apoiar o empreendedorismo maranhense. Os empreendedores da região poderão participar de oficinas, palestras, balcão de negociação e mecanismos para adesão ao programa Juros Zero e, também, ao Mais Empregos, com auxílio financeiro para contratação de mão de obra, investimentos, capital de giro, aquisição de equipamentos, dentre outras ações.

A décima edição da Caravana Empresarial marca a bem sucedida experiência coordenada pelo Governo do Maranhão para incentivar o setor produtivo. “As Caravanas Empresariais atuam em conjunto com o empresariado com o objetivo de dialogar e divulgar as ações realizadas pelo Governo, prestar serviços e atendimentos especializados, estimulando o comércio e promovendo o desenvolvimento da região”, explica o secretário de Governo e coordenador das ações da Caravana Empresarial, Antônio Nunes.

Quase cinco mil empresários maranhenses e um total de 2.378 atendimentos foram realizados nas edições anteriores da CaravanaEmpresarial.

PROGRAMAÇÃO 

08/08 (TERÇA)
Seminário Empresa Fácil – JUCEMA
Público alvo: contabilistas e profissionais do registro de empresas
Horário: 17h às 19h

09/08 (QUARTA)
1ª Palestra – INMEQ
Tema: “Normas do INMETRO para Bombas Medidoras de Combustível”.
Público alvo: Empresários e funcionários do segmento de postos de combustível.
Horário: 9h.

2ª Palestra – INMEQ
Tema: “Normas do Inmetro para produtos pré-medidos”.
Público alvo: Empresários e funcionários de supermercados, padarias, indústrias de bebidas, entre outras que vendem produtos previamente embalados.
Horário: 14h.

Mendes ataca Janot: ‘procurador mais desqualificado da história’

janot

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, afirmou nesta segunda-feira que o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, “não tem preparo jurídico nem emocional” para dirigir o Ministério Público Federal. O ataque é mais um capítulo na guerra protagonizada entre Mendes e Janot, que vêm trocando farpas desde o início do ano. Mendes é um forte crítico dos rumos atuais da Operação Lava Jato. 

“Quanto a Janot, eu o considero o procurador mais desqualificado que já passou pela história da procuradoria. Ele não tem condições. Na verdade, ele não tem preparo jurídico nem emocional para dirigir um órgão dessa importância”, afirmou o ministro do STF, em entrevista à Rádio Gaúcha.

Além de criticar a força-tarefa da Lava Jato de Brasília, Mendes disparou contra a equipe de Curitiba, dizendo que os procuradores estão “reescrevendo a legislação” ao fecharem acordos de delação premiada. O ministro ainda afirmou “ter certeza” de que a corte mais alta do país vai “reavaliar” a colaboração da JBS, que culminou com a denúncia contra o presidente Michel Temer por corrupção — o prosseguimento do processo foi barrado pela Câmara dos Deputados na última semana.

O clima entre os dois azedou em março deste ano, quando Gilmar Mendes acusou a PGR de estar por trás de vazamentos ilegais de informações da Lava Jato. Sem citá-lo nominalmente, Janot o rebateu discursando que os procuradores procuram se distanciar “dos banquetes palacianos” — Gilmar é amigo de Temer e habitué de jantares nos palácios do Planalto e do Jaburu — e que “alguns” pretendem “nivelar a todos à sua decrepitude moral e, para isso, acusam-nos de condutas que lhes são próprias”.

Fonte: veja.com

Justiça determina intervenção do Estado no município de Matões e afastamento do prefeito

Os desembargadores das Primeiras Câmaras Cíveis Reunidas do Tribunal de Justiça do Maranhão (TJMA) julgaram procedente uma representação para intervenção do Estado no Município de Matões, em razão de descumprimento de ordem judicial. A decisão unânime não afasta o prefeito do cargo e é com o fim específico de assegurar que a administração municipal pague precatório no valor de R$ 247.417,86, devido ao Estado.

O desembargador Vicente de Paula Gomes de Castro, relator da representação interventiva, determinou que a decisão seja comunicada ao governador do Estado, a quem cabe decretar e executar a intervenção. Os autos serão encaminhados ao presidente do TJMA, desembargador Cleones Cunha, a quem compete comunicar o teor da decisão ao chefe do Executivo.

De acordo com o voto do relator, o fundamento da medida está relacionado com o descumprimento de ordem judicial relativa a precatório datado de 2003. Castro verificou que o Município de Matões possui dívida, oriunda de sentença transitada em julgado, que originou o precatório, pendente de pagamento desde o ano de 2004, situação que configura patente transgressão à Constituição Federal, bem como à Estadual, ante o comportamento recalcitrante de inadimplência.

O Município sustentou a inclusão da despesa no orçamento para o exercício financeiro de 2013, mas o relator, de acordo com o parecer do Ministério Público do Maranhão (MPMA), entendeu que a mera inclusão não se mostra suficiente para afastar a inadimplência.

Vicente de Castro disse que, mesmo tendo oportunidade, em mais de uma ocasião, de demonstrar, por meio de documentos, o pagamento da dívida existente, o Município limitou-se em insistir que o débito era de responsabilidade de gestão anterior.

Além de registrar a ausência de pagamento, o relator considerou inexistente qualquer justificativa capaz de afastar a medida pleiteada pelo Estado, entendendo que o Município demonstrou patente descaso ao agir como se o cumprimento da determinação judicial dependesse da conveniência do gestor.

Após citar decisões semelhantes do próprio TJMA, o desembargador Vicente de Castro destacou não ser o caso de regime especial de pagamento, uma vez que o Município não se manifestou pelo parcelamento, e também entendeu não caber a determinação de sequestro ou bloqueio de verbas públicas, diante da ausência de pedido pela parte credora, sendo, além disso, medida de atribuição da Presidência do Tribunal.

O relator votou pela procedência da representação, para reconhecer a pertinência da intervenção estadual no Município de Matões, a fim de que seja efetivado o pagamento do precatório em favor do Estado. O voto, de acordo com o parecer da Procuradoria Geral de Justiça, foi acompanhado pelos demais desembargadores presentes.

Professores da Língua Portuguesa – Portal Escrevendo o Futuro oferece Curso on-line de “Sequência Didática”: inscrições serão abertas em 10/08

20170731-sequenciapqn

O curso on-line “Sequência didática: aprendendo por meio de resenhas” abrirá novas turmas no dia 10/08, quinta-feira.

As inscrições poderão ser feitas em dois horários: 10h e 14h (horário de Brasília) e devem ser realizadas exclusivamente pela internet, aqui no Portal Escrevendo o Futuro.

Ao fazer a inscrição, os professores receberão um e-mail com instruções para a confirmação de matrícula.

Fique atento, a confirmação é obrigatória para garantir a vaga no curso!As pessoas que não conseguirem realizar a inscrição, poderão se inscrever na lista de espera para ocupar as vagas de eventuais desistentes – neste caso, os participantes serão chamados até o final da primeira semana de curso.

O curso tem início em 14/08 e término em 06/11, com certificado de 80 horas. É necessário que o participante tenha uma dedicação semanal de 8 a 9 horas para conseguir cumprir com as atividades propostas de maneira satisfatória e assim garantir um bom processo de aprendizagem. Sugerimos que o cursista reserve de 30 minutos a 1 hora todos os dias, e complete os estudos aos finais de semana.

O curso é destinado a professores de Língua Portuguesa do Ensino Fundamental II e Ensino Médio de escolas públicas de todo o país, e tem como principal objetivo proporcionar ao professor a vivência de uma sequência didática (SD) para escrever uma resenha de um produto cultural, e a compreensão, a partir dessa vivência, de quais são os princípios do trabalho com gêneros e com SD na escola. Para saber mais informações sobre o curso, clique aqui.

IFMA lança editais de bolsas para estudantes nas áreas de esporte e cultura

bolsa_atleta-08

São 50 bolsas no valor de R$ 200,00 mensais. As inscrições podem ser feitas de 31 de julho a 10 de agosto

O IFMA lançou dois editais de seleção de bolsistas do Programa de Incentivo à Cultura, Desporto e Lazer. Um é para alunos que praticam modalidade esportiva e o outro para aqueles que participam de atividades, grupos ou projetos envolvendo artes visuais, teatro, dança e música. Foram disponibilizadas 50 bolsas, com reserva de 5% das vagas para estudantes com deficiência. Os selecionados vão receber uma bolsa mensal no valor de R$ 200,00. As inscrições podem ser feitas no período de 31 de julho a 10 de agosto no Módulo de Atividades Estudantis do Sistema Unificado de Administração Pública (SUAP).

Podem participar da seleção alunos regularmente matriculados nos cursos técnicos de nível médio ou nos cursos superiores do IFMA. Além disso, eles devem ter  frequência mensal igual ou superior a 75% e disponibilidade de, no mínimo, quatro horas semanais para a realização das atividades previstas no plano de trabalho. Os estudantes devem ser acompanhados por um professor orientador. As informações sobre as seleções podem ser consultadas nos editai Nº 29 (concessão de bolsa ao estudante atleta) e Nº 30 (concessão de bolsa de incentivo artístico-cultural).

Fonte: Portal IFMA

Mais uma semana sem aulas – É a marca da Educação “Mais avanços, mais conquistas”

escola

Os alunos da Unidade Integrada Municipal Governador Archer, terão de voltar para casa mais uma vez sem ao menos saber quando reiniciarão as aulas. Acontece que desde que entrou em reforma, a Unidade de Ensino nunca foi entregue à comunidade, e atraso já compromete ano letivo dos alunos.

Entenda porque:

A Escola localizada no Bairro São José, na Trizidela, é a mais maltratada pelos dois últimos gestores do município, os problemas começaram na gestão Zito Rolim, que nunca deu suporte à escola e ainda acobertou ações criminosas praticadas por ex gestor, que foi o responsável pelo bloqueio de todos os recursos e participação dos programas sociais nos últimos quatro anos.

Já com Francisco Nagib, a roupagem dos problemas foi outra. Assim que assumiu o governo, o prefeito disse que transformaria aquela escola numa referência. Acontece que, não foi dita qual referência! Pois até o momento a referência é apenas de atraso e abandono.

escola2

Parede de uma das salas da Escola Governador Archer antes da reforma

O fato do prefeito ter autorizado e realizado uma reforma estrutural, não quer dizer nada se o suporte para o exercício profissional de todos não for dado. As paredes foram pintadas, os problemas com o telhado foram sanados, parte do piso foi trocado, porém:

1 – Os quadros antigos nunca foram substituídos, os professores ainda usam o quadro negro (aquele de giz, que tem causado problemas de saúde a alguns professores) ;

2 – As carteiras (cadeiras) que os alunos utilizam, nunca chegaram, já fazem seis meses que um levantamento foi realizado na escola por parte do setor de compras da prefeitura, que ainda não atendeu a esta necessidade.

Mesmo antes da reforma iniciar, uma licitação foi feita mas até agora as carteiras bem como a mobília em geral ainda não chegaram. Só, para lembrar, o recurso destinado à compra de material como carteiras, quadros, e outros bens duráveis, de nada tem haver com os salários dos professores, pois o recurso destinado ao município de origem federal FUNDEB, é rigorosamente distribuído: até 60% com salários e os 40% restante para o custeio dessas naturezas e pagamento de salários de profissionais lotados na Educação que não sejam professores;

3 – As 11 salas de aula que a escola possui, não eram forradas e possuíam uma péssima ventilação, ou seja, nem mesmo os professores aguentavam dar suas aulas, porém algumas salas possuíam ventiladores, mas com a reforma, todas as salas foram forradas, e ficaram de um jeito que: nem mesmo com ventiladores o conforto não vem. A equipe responsável pela reforma disse que, todas as salas seriam climatizadas, e até agora, nenhuma sala ganhou ar condicionados ou climatizadores de ar;

4 – Na área do esporte, nem preciso entrar em detalhes, um governo que prometeu fomentar políticas para os jovens, até agora nunca mandou uma bola se quer para as escolas municipais, que tiveram de participar dos Jogos Escolares com a ajuda e milagre dos profissionais de Educação Física, onde a maioria tiram dinheiro do bolso para não deixar o Esporte Educacional parar;

Meios de Comunicação do governo omite a verdade

Com os problemas vividos pelos alunos da Escola Governador Archer, muitos pais de alunos acabaram tirando seus alunos da escola, alguns preferiram esperar, mas outros começaram a manifestar as indignações para os veículos de comunicação do Grupo FC, grupo este que não tem interesse algum de fomentar o “caos” que a educação passa.

Uma  mãe nos procurou, para mostrar as mensagens que foram enviadas ao “WattsApp” da emissora FC FM, em uma das mensagens, a mãe denuncia que falta carteiras na escola, o radialista visualizou a mensagem e não leu no ar. Somente várias tentativas, a mensagem da mãe de uma aluna foi lida, e sem  e sem pestanejar, o apresentador meio que desapontado explicou que o prefeito havia autorizado a compra de 1000 carteiras escolares. kkkkkkkk, como se isso fosse revolucionar o problema da falta desse material tão importante para os alunos que ainda sentam em carteiras recicladas e que têm pouco tempo de vida útil.

No mesmo dia, o prefeito deu uma entrevista, dizendo que já tinha conhecimento do caso da escola, e que estaria tomando as providências, o problema é que, ele não disse quando começariam as aulas.

Tentativa frustrada

No primeiro semestre, houve uma tentativa de acomodar metade dos alunos no prédio onde funciona a UEMA, parceria esta firmada quando a Secretária de Educação era a Profª Drª Deuzimar Serra. Acontece que, além de distante, o transporte escolar não atendia as necessidades dos estudantes.

Os alunos tinham aulas reduzidas, por conta do transporte escolar, que tinha sua rota alterada para atender esta demanda. Quando o transporte escolar aparecia na UEMA, faltava água no prédio. Enquanto isso, a outra metade dos alunos, permaneciam no prédio que passava por reformas,estando todos expostos a muito barulho e poeira, pois esta foi a forma encontrada para não ter que parar tudo de vez.

Imaginem vocês, como os alunos e professores da escola Governador Archer sofrem, mas para os apresentadores de programas do Grupo Empresarial e Político do prefeito, a Educação está bombando!

Será que está mesmo?