MEC assina acordo de cooperação contra a evasão escolar de jovens jogadores de futebol

O ministro da Educação, Milton Ribeiro, participou nesta quarta-feira (17), no Palácio do Planalto, de solenidade de assinatura de Celebração de Acordo de Cooperação, que visa contribuir para o acesso e permanência escolar de atletas de todas as modalidades do futebol, prevendo ações de enfrentamento à evasão e abandono, capacitação de profissionais do esporte e a realização de eventos vivenciais para a prática de todas as modalidades do futebol em regiões de vulnerabilidade social. A ação está inserida no Programa Integra Brasil.

Além do Ministério da Educação (MEC), por meio da Secretaria de Educação Básica (Seb), também fazem parte do acordo o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH), o Ministério da Cidadania (MC), a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e a Confederação Brasileira de Desporto Esportivo (CBDE).

O objetivo é promover os direitos humanos e os direitos do torcedor; formular políticas públicas para a promoção do ensino fundamental e do ensino médio de atletas do futebol; e promover a educação antidopagem e valores do espírito esportivo em ambientes esportivos e escolares por meio de todas as modalidades do futebol.

O Programa tem como público alvo, prioritariamente, os atletas de base e profissionais escolares e esportivos de todas as modalidades do futebol, crianças, adolescentes, jovens e suas famílias praticantes do desporto e paradesporto, na perspectiva de promover a conscientização desse público quanto aos direitos humanos e suas diversas formas de violação, os valores do espírito esportivo e a antidopagem, bem como mitigar a vulnerabilidade social por meio do envolvimento com o ambiente esportivo.

Integra Brasil

Lançado em 2019 pelo Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH), pelo Ministério da Cidadania e pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF) – em parceria com clubes de futebol, universidades e governos municipais e estaduais –, o Integra Brasil promove ações de inserção em campo e eventos temáticos em regiões de vulnerabilidade social para o enfrentamento de graves violações de direitos humanos.

O projeto também amplia o acesso e o alcance da prática esportiva no país e contribui para a prevenção do uso de álcool e outras drogas nos diversos espaços e ambientes esportivos. Além da paz no futebol, trata de temas como racismo, inclusão de pessoas com deficiência, direitos da criança e do adolescente, esporte como instrumento de inclusão social, combate à discriminação da mulher, entre outros.

Os seminários promovidos pelo projeto têm o objetivo de sensibilizar quanto às violações de direitos humanos, à defesa dos direitos do torcedor, à educação em antidopagem e aos valores do espírito esportivo. Também buscam a prevenção ao uso de álcool e outras drogas nos diversos espaços e ambientes esportivos.

Assessoria de Comunicação Social do MEC com informações da Seb e do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos MMFDH

Atenção – Últimos dias para o encerramento das inscrições do Processo Seletivo Simplificado do IBGE para Recenseador – Apenas Nível Fundamental é exigido

Termina do próximo dia 19/03 (sexta-feira) o prazo para quem deseja participar do Processo Seletivo Simplificado para o cargo de Recenseador no Censo 2021. A seleção será realizada mediante prova objetiva com questões de múltipla escolha, onde os aprovados serão contratados para atuar no Censo Demográfico que de regra é realizado a cada 10 anos, mas por conda da pandemia do Novo Coronavírus teve de ser adiado.

  • Resumo

  • São oferecidas 181.898 vagas para recenseador.
  • Como o recenseador recebe por produção, IBGE disponibilizou simulador que calcula remuneração, de acordo com município e horas trabalhadas.
  • Taxa de inscrição de R$ 25,77 (recenseador) pode ser paga pela internet ou em qualquer banco.
  • Provas objetivas serão aplicadas presencialmente no dia 25 de abril para recenseador, seguindo os protocolos de prevenção da Covid-19.

Os interessados devem se inscrever no site do Cebraspe, empresa organizadora da seleção.

Candidatos a recenseador podem estimar salário em simulador online

Já os recenseadores são os profissionais que visitarão todos os domicílios do país, entrevistando seus moradores. Para concorrer a uma das mais de 181 mil vagas, distribuídas por 5.297 municípios, o candidato precisa ter o ensino fundamental completo. No ato da inscrição, ele poderá escolher a área de trabalho e em qual cidade realizará a prova. A taxa de inscrição é de R$ 25,77.

Como os recenseadores são remunerados por produtividade, o IBGE preparou um simulador online, disponível no hotsite do Censo 2021, que calcula quanto o profissional vai receber de acordo com a quantidade de residências visitadas e pessoas entrevistadas, considerando ainda a taxa de remuneração de cada setor censitário, o tipo de questionário preenchido (básico ou amostra) e o registro no controle da coleta de dados. Para estimar a remuneração, basta acessar o simulador, informar o município e quantidade de horas que pretende dedicar ao trabalho. A jornada de trabalho recomendável para os recenseadores é de, no mínimo, 25 horas semanais.

Os candidatos a recenseador serão selecionados por uma prova objetiva, de caráter eliminatório e classificatório, com 10 questões de Língua Portuguesa, 10 questões de Matemática, 5 questões sobre Ética no Serviço Público e 25 questões de Conhecimentos Técnicos.

“O conteúdo a ser cobrado na prova está detalhado no edital. Disponibilizamos também uma apostila de Conhecimentos Técnicos, preparada pelo IBGE, para que o candidato obtenha os conhecimentos necessários para responder as questões sobre a operação censitária. A apostila e o Código de Ética do IBGE estão disponíveis no site do Cebraspe”, disse o coordenador de Recursos Humanos do IBGE, Bruno Malheiros.

Candidato que descumprir protocolos sanitários contra a Covid-19 pode ser eliminado

Todas as etapas do Censo 2021, incluindo as provas, treinamentos e a coleta dos dados, seguirão protocolos sanitários de prevenção à Covid-19. No dia da prova, os candidatos deverão estar munidos de caneta esferográfica cor preta de material transparente, comprovante de inscrição e documento original com foto. Protocolos sanitários de prevenção da Covid-19 serão divulgados detalhadamente em edital específico sobre os locais de prova, exigindo o uso obrigatório de máscaras, o distanciamento seguro entre candidatos e aplicadores de prova, disponibilização de álcool em gel em todos os locais de prova, medidas para evitar aglomerações e respeito às legislações locais. O candidato que descumprir as medidas de proteção será eliminado do processo seletivo e terá sua prova anulada.

Censo 2021 vai visitar todos os municípios brasileiros

De agosto a outubro deste ano, cerca de 213 milhões de habitantes, em aproximadamente 71 milhões de endereços, serão visitados pelos recenseadores nos 5.570 municípios do país. A pesquisa revelará entre outras informações, as características dos domicílios, identificação étnico-racial, nupcialidade, núcleo familiar, fecundidade, religião ou culto, deficiência, migração interna ou internacional, educação, deslocamento para estudo, trabalho e rendimento, deslocamento para trabalho, mortalidade e autismo. Realizado a cada dez anos, o Censo Demográfico é a principal fonte de referência para o conhecimento das condições de vida da população em todos os municípios do país.

Adaptado do Site do IBGE

PDDEWeb está disponível para adesão e atualização cadastral para que as escolas e secretarias possam receber os recursos de 2021

A atualização cadastral das Unidades Executoras Próprias – UEx e a adesão ao Programa Dinheiro Direto na Escola – PDDE para as Entidades Executoras (Prefeituras Municipais e Secretarias Estaduais de Educação) já está disponível no site do PDDEWeb (https://www.fnde.gov.br/fnde_sistemas/item/11939-pddeweb).

É importante que as escolas e Secretarias acessem o mais breve possível o PDDEWeb e realizem a adesão ou a atualização cadastral para que o FNDE possa repassar os recursos destinados para o ano de 2021, tanto relacionados ao PDDE básico quanto das Ações Agregadas.

Vale lembrar que o acesso será pelo portal gov.br. Esse portal reúne, em um só lugar, serviços para o cidadão e informações sobre a atuação do Governo Federal de forma rápida e objetiva, propiciando ao cidadão economia de tempo e evitando deslocamentos desnecessários por várias plataformas de acesso a informações e dados do Governo Federal.

A utilização da plataforma gov.br para acesso ao PDDEWeb é feita de forma simples, rápida e objetiva. Para auxiliar o (a) usuário (a), há uma apresentação com o passo a passo para a utilização da plataforma e para a inserção de dados no PDDEWeb em http://www.fnde.gov.br/index.php/programas/pdde/area-para-gestores/atualizacao-cadastral, no item: “Passo a passo para atualização cadastral”.

Vale lembrar que, mesmo que nenhum dado precise ser alterado, é necessário o acesso ao PDDEWeb, bem como passar por todas as telas que serão apresentadas e, ao final, confirmar a atualização cadastral. Somente assim o PDDEWeb reconhece que houve a atualização cadastral.

Em caso de dúvidas, envie uma mensagem para pdde@fnde.gov.br

Violência Doméstica – Judiciário de Timon lança Projeto Cidadania e Justiça no Dia da Mulher

No Dia Internacional da Mulher, 8 de março, às 17h, será lançado, na internet, o Projeto “Justiça e Cidadania – Porque fazer o bem faz bem”, pelo Poder Judiciário de Timon, com o apoio da Comissão da Mulher da seccional da OAB.

O evento será transmitido pelo canal da Escola da Magistratura do Maranhão – ESMAM no YouTube (/eadesmam), com a realização de palestra ao vivo (live) abordando a temática “Violência contra a Mulher: o que você precisa saber”, com a participação da juíza Raquel Castro Menezes (1ª Vara Cível), Amanda Waquim, presidente da Comissão da Mulher da seccional da OAB de Timon, e das assistentes sociais Michele Silva e Fabrina Meireles, do fórum.

O “Justiça e Cidadania” é coordenado pela juíza da 1ª Vara Cível e diretora do Fórum de Timon, que já desenvolveu ações desse projeto nas comarcas de Governador Nunes Freire, Matões e Coelho Neto, nos anos de 2011 a 2016. “O projeto tem por objetivo aproximar o Poder Judiciário da comunidade local, mediante a realização de eventos educativos, com informações sobre direitos e deveres dos cidadãos”, informou a juíza. As ações do projeto podem ser acompanhadas pelo instagram (@justiça.cidadania).

No decorrer do mês de março, também será realizada a ação “Para se proteger, fica a dica!”, com exibições de vídeos informativos por autoridades locais acerca da temática da violência contra a mulher. Essa ação foi idealizada pelas assistentes sociais Fabrina Meireles e Helayne Moura, integrantes da equipe multiprofissional do Fórum de Timon.

VIOLÊNCIA DOMÉSTICA

Um levantamento realizado pela Rede de Observatórios da Segurança em cinco estados brasileiros registrou uma média de cinco registros de crimes contra mulheres por dia em 2020, em cinco grandes estados brasileiros: Bahia, Ceará, Pernambuco, Rio de Janeiro e São Paulo.

Feminicídios e violência contra mulher ocuparam o terceiro lugar entre os registros, atrás apenas de ocorrências com armas de fogo e ações policiais. O estudo mostra que 449 mulheres foram mortas por serem mulheres. Em 58% dos casos de feminicídios e 66% dos casos de agressão, os criminosos eram companheiros da vítima.

Para denunciar casos de violência contra a mulher ligue 180 (Central de Atendimento à Mulher).

Assessoria de Comunicação
Corregedoria Geral da Justiça – MA

Assessoria de Comunicação da prefeitura de Codó vem maltratando a nossa língua portuguesa

Não é a primeira vez que nos deparamos com erros grosseiros na edição dos textos oficiais no site da Prefeitura de Codó. Semana passada acessamos o site da instituição e visualizamos algo que aos olhos menos clínico pode passar despercebido.

Em se tratando de  um órgão oficial, cujo efetivo funcional é composto de profissionais da comunicação codoense onde tem blogueiros, jornalistas e radialistas, um erro de escrita, além de ferir a língua portuguesa,  ocasiona uma série de chacotas e compartilhamentos em massa mostrando um lado menos técnico da comunicação institucional da prefeitura de Codó.

Veja como ainda está o layout da lista do secretariado da prefeitura municipal, a dúvida é se o a intenção é apresentar cada secretaria ou definir o gênero dos responsáveis pelas pastas.

Vamos à análise:

Se a intenção é apresentar os (as)  secretários (as), então a primeira secretaria é a de Ação Social – Irene Batista P. Neres. Por gênero, vem a primeira gafe:

Secretário de Obras, e não Secretária, já que se trata de um homem: José Inácio G. Rodrigues.

Secretário de Saúde é o Doutor Mário Braga, como se trata de gênero masculino não seria de forma alguma de Secretária. Confira o quadro na íntegra do site:

Para encerrar, o layout atual da prefeitura de Codó encontra -se com a atual visualização:

A assessoria de comunicação deve tomar mais cuidado quanto aos conteúdos a serem publicados, basta obedecer o editor de texto, não forçar a barra e entregar o texto para as devidas correções por quem de fato entende e conhece a nossa Língua Portuguesa.

 

MEC divulga mensagem em homenagem ao Dia Nacional do Livro Didático

Neste sábado (27), comemora-se o Dia Nacional do Livro Didático. Trata-se de uma homenagem a um dos mais importantes recursos utilizados na formação educacional de estudantes de todo o país. Anualmente, o Ministério da Educação (MEC) investe R$ 1,9 bilhão em obras didáticas.

O Programa Nacional do Livro e do Material Didático (PNLD) consiste em um conjunto de ações voltadas à distribuição de obras didáticas, pedagógicas e literárias, além de outros materiais de apoio à prática educativa, cujo público-alvo são os estudantes e os professores das escolas públicas da educação básica. A cada ano, são distribuídos cerca de 150 milhões de livros didáticos para mais de 140 mil escolas brasileiras. Essa ação beneficia 40 milhões de estudantes da rede pública de ensino.

Nos últimos editais, o escopo do PNLD foi ampliado, possibilitando a inclusão de outros materiais de apoio à prática educativa, para além das obras didáticas e literárias: obras pedagógicas, softwarese jogos educacionais, materiais de reforço e correção de fluxo, materiais de formação e materiais destinados à gestão escolar, por exemplo.

Ainda por meio do PNLD, o MEC busca melhorar o desempenho acadêmico de nossos estudantes, disponibilizando obras cuja eficácia seja respaldada por evidências científicas.

Neste dia, o MEC reforça seu compromisso de não poupar esforços a fim de que educandos e professores da rede pública de ensino tenham acesso a livros e materiais didáticos de alta qualidade.

Assessoria de Comunicação Social do MEC com informações da SEB

Prefeitura de Codó não disponibiliza informações atualizadas sobre números da COVID 19

Print do Site Oficial da Prefeitura de Codó – 07/02, 23h20min

Quem acessa o Novo Portal da Prefeitura de Codó, na busca de informações atualizadas sobre os números de casos do Novo Coronavírus, acaba se sentindo inseguro do ponto de vista da preocupação dos responsáveis pela disponibilização dos dados.

Só a título de registro, as principais autoridades no quesito Saúde na cidade de Codó são médicos, o prefeito (José Francisco) e o Secretário de Saúde ( Mário Braga), o que nos chama a atenção é que ambos faziam duras críticas acerca da gestão anterior, mas acontece que, na condição de gestores erros cruciais não podem acontecer com tanta regularidade.

O direito ao acesso de informações sobre a pandemia não podem ficar esquecida, pois qualquer alteração de melhora ou piora no número de casos, servem para a elaboração de mudanças de comportamento tanto das autoridades quanto da população.

Durante grande parte do período em que a cidade de Codó passou a registrar casos de COVID 19, os dados passaram a ser divulgados diariamente nas redes sociais, nos Blogs e pelos canais de comunicação da cidade, enquanto que até agora nada disso veio a acontecer.

Esperamos que tanto o prefeito, quanto o secretário de saúde, tenham a preocupação em repassar os dados atualizados para a população, pois de um modo geral, temos o direito à informação.

 

UEMA abre inscrições para a especialização PROEJA em parceria com o IFRN

Estão abertas as inscrições para o processo seletivo para o Curso de Especialização em Práticas Assertivas em Didática e Gestão da Educação Profissional Integrada à Educação de Jovens e Adultos (PROEJA), na modalidade a distância. A Universidade Estadual do Maranhão (UEMA), por meio do Núcleo de Tecnologias para Educação (UEMAnet), disponibiliza 80 vagas para o curso de pós-graduação. As inscrições devem ser realizadas, exclusivamente pelo site processoseletivo.ifrn.edu.br, até 22 de fevereiro.

O curso de pós-graduação é uma iniciativa da parceria entre UEMA, o Instituto Federal do Rio Grande do Norte (IFRN) e a Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica do Ministério da Educação (SETEC/MEC). A primeira oferta do curso aconteceu em 2018 e resultou em experiências muito positivas para os alunos e a equipe de coordenação do curso. A especialização é voltada para profissionais da educação, portadores de diploma de conclusão de curso de nível superior, que atuam na rede pública de ensino, esfera municipal, estadual ou federal. O curso possui ênfase em Didática ou Gestão, que os interessados poderão escolher no ato de inscrição.

“O PROEJA é uma oportunidade de formação numa área tão fundamental quanto a de educação de jovens e adultos”, comentou a professora Ilka Serra, coordenadora do UEMAnet. “A busca por novos aprendizados deve ser constante, principalmente para os profissionais que têm a missão de compartilhar conhecimento e experiências. Para a UEMA, é uma satisfação participar desse processo, considerando o quanto a formação de professores é uma prioridade para a instituição”, finalizou a professora.

As informações completas sobre o processo seletivo do PROEJA, como requisitos obrigatórios, documentos necessários e etapas da seleção, estão disponíveis no edital.

PROCESSO SELETIVO PROEJA

Inscrições: até 22/02/2021
Site: processoseletivo.ifrn.edu.br
Edital:https://portal.ifrn.edu.br/ensino/processos-seletivos/pos-graduacao/especializacoes-2021/edital-no-04-2021-proen-curso-superior-de-pos-graduacao_-especializacao-em-proeja-ead 

ASSCOM UEMA

DOAÇÃO – MEC entrega computadores para reforçar o ensino remoto

O Ministério da Educação (MEC) entregou uma nova remessa de computadores que serão destinados ao atendimento de estudantes em situação de vulnerabilidade socioeconômica, durante o período de suspensão das atividades presenciais.

Ao todo, o MEC, a partir de uma iniciativa da Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica (Setec), está realizando a doação de mil computadores para 5 instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica. A iniciativa visa suprir a falta de equipamentos e de conectividade dos estudantes no acesso e uso de tecnologias digitais.

A Setec tem articulado a distribuição desses computadores para as instituições que farão a disponibilização dos equipamentos aos estudantes. São elas: Instituto Federal do Sul de Minas Gerais (IFSuldeMinas), Instituto Federal do Paraná (IFPR), Instituto Federal do Triângulo Mineiro (IFTM), Instituto Federal Goiano (IFGoiano) e Instituto Federal do Mato Grosso do Sul (IFMS). “Essa ação só foi possível graças aos esforços conjuntos da Setec e da Secretaria Executiva do MEC.

Esses equipamentos doados encontram-se em boas condições de funcionamento e poderão atender a diversos estudantes da Rede Federal em situação de vulnerabilidade socioeconômica”, destacou o secretário de Educação Profissional e Tecnológica do MEC, Wandemberg Venceslau.

As instituições contempladas pelo repasse dos equipamentos doados pelo MEC já estão se organizando para a distribuição das máquinas em suas unidades. Essa ação também aproxima cada vez mais os estudantes do ensino de qualidade, garantindo o aprendizado ofertado pela rede, por meio da conectividade.

De acordo com dados extraídos da Plataforma Nilo Peçanha, considerando os estudantes que declararam renda em 2019, 30% possuem renda familiar inferior a meio salário mínimo, o que representa aproximadamente 200 mil estudantes. “É essencial o trabalho desenvolvido pelo MEC para a proteção das pessoas e para o suporte à viabilidade da educação, principalmente para os estudantes com dificuldades de acesso aos meios digitais. Essa ação é importante para mitigar as desistências que possam ocorrer quando o estudante não consegue receber o conhecimento ofertado de forma remota pelas instituições”, concluiu o secretário.

Essa é uma das iniciativas que o MEC vem realizando com o intuito de enfrentar a pandemia de Covid-19. No âmbito da Rede Federal foram desenvolvidas um total de 1.686 ações que impactaram cerca de 24,9 milhões de pessoas. Outro projeto que está sendo desempenhado pelo MEC, também direcionado aos estudantes em situação de baixa renda, é o “Alunos Conectados”.

Essa iniciativa tem como objetivo principal disponibilizar internet móvel para estudantes das instituições federais de ensino que se encontram em situação de vulnerabilidade socioeconômica, com renda de até meio salário mínimo.

Até o momento foram disponibilizados, de forma gratuita, aos estudantes das instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica, aproximadamente 80 mil chips para acesso à internet. Todas essas ações possibilitam a continuidade das atividades acadêmicas de forma remota, democratizando o acesso à educação por meio da inclusão digital.

Assessoria de Comunicação Social do MEC com informações da SETEC

Fonte: Portal do MEC

REDE EBSERH – Hospital em São Luís (MA) realiza 28 cirurgias durante mutirão

A menina LS, de 15 anos, tinha vergonha do próprio corpo. A adolescente de um município localizado a mais de 400 km de distância de São Luís sofria com a escoliose, um tipo de deformidade da coluna vertebral que pode trazer sequelas irreversíveis para alguns órgãos e sistemas e deixa desnivelamento nas costas. Ela foi uma das pacientes submetidas à cirurgia para corrigir o problema.

Pensando em minimizar o cenário de atrasos em procedimentos eletivos por conta da pandemia do Covid-19, o Hospital Universitário da Universidade Federal do Maranhão (HU-UFMA), vinculado a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), encerrou, nesta quinta-feira, 4, a segunda fase do Mutirão de Escoliose com a cirurgia de 28 pacientes entre 9 e 24 anos.

LS estava na fila desde o início do ano passado. Com um jeito doce e tímido, ela relatou a felicidade do momento. “Eu tinha vergonha, só usava blusas folgadas e o cabelo por cima para disfarçar. Hoje estou feliz com o resultado. Estou me recuperando bem”. Segundo sua tia, que a acompanha desde o início do seu tratamento “a ‘ficha’ da Leandra ainda não caiu direito, mas graças a Deus deu tudo certo. Fomos muito bem acolhidos, todos muito atenciosos. Estamos só aguardando a alta agora” finalizou.

O mutirão, que já está na sua segunda edição, foi iniciado na última segunda-feira, 1º, e contou com a logística de quatro salas de cirurgias e a participação de mais de 150 profissionais do HU-UFMA distribuídos no pré, trans e pós-operatório, além de 28 profissionais de outros estados. Ele foi realizado em parceria com o Brazilian Spine Study Group (BSSG) e o apoio de uma empresa de tecnologia médica, que doou os implantes utilizados nos procedimentos.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a escoliose atinge mais de seis milhões de brasileiros, sendo mais frequente no sexo feminino. A escoliose pode trazer sequelas no cardiorrespiratório e no neurológico, quando não tratadas em tempo hábil. Tem como características os ombros desnivelados, cintura assimétrica e é comum um lado das costas ficar mais alto do que o outro quando se inclina o ombro para a frente. A intervenção cirúrgica ajuda a corrigir e impedir a progressão da deformidade, que pode acometer crianças e adolescentes na fase pré-puberal (período entre o final do terceiro ano até o início da puberdade).

Entre os dias 11 e 12 de dezembro, foi realizada uma triagem com 50 pacientes que aguardavam na fila do hospital para fazer essa cirurgia. Destes, 24 foram selecionados após avaliação das condições clínicas para a devida indicação do tratamento cirúrgico. Logo depois, conseguiram aumentar a meta e o número chegou a 30 pacientes aptos para realizar o procedimento. Além da redução da fila por conta das suspensões das cirurgias eletivas durante a pandemia, o mutirão também proporciona aos residentes uma oportunidade a mais de aliar teoria e prática, tão essenciais para a formação profissional.

A superintendente do HU-UFMA/Ebserh, Joyce Santos Lages, destacou a felicidade da equipe do hospital em poder fazer parte dessa ação. “O sentimento é de grande alegria, pois a ação propicia não só a assistência de pessoas com o foco na melhoria da qualidade de vida, como também a nossa principal missão que é o ensino, pois possibilitou o treinamento da equipe, a troca de experiências, enriquecendo o aprendizado. ”

O médico ortopedista (SP) e membro do BSSG, Raphael Pratali, ressalta o sucesso das cirurgias e o benefício para todos os envolvidos. “Hoje estamos encerrando o segundo mutirão, conseguindo atingir o número de 28 cirurgias. Tudo foi um sucesso, todas as cirurgias ocorreram bem, não tivemos nenhuma complicação e acreditamos que isso terá muitos benefícios, tanto para os pacientes operados, que conseguiram realizar um sonho, assim como para toda a equipe, para os cirurgiões de fora que vieram acompanhar as cirurgias, para a equipe local, para os residentes pela experiência em cirurgias complexas como essa. Aproveitar para deixar meu agradecimento a toda a administração do hospital por termos sido muito bem acolhidos. Sem essa forte parceria, nada teria sido possível”.

A ação só foi possível pelo empenho e disponibilidade de toda a equipe multiprofissional do HU-UFMA/ebserh, que não mediu esforços para que tudo acontecesse da melhor forma, desde a triagem com a avaliação médica, psicológica e também do serviço social, além de todo o suporte dos recursos diagnósticos como os exames de imagem, do centro cirúrgico e do pós-cirúrgico.

Sobre a Rede Ebserh

Vinculada ao Ministério da Educação (MEC), a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) foi criada em 2011 e, atualmente, administra 40 hospitais universitários federais, apoiando e impulsionando suas atividades por meio de uma gestão de excelência.

Como hospitais vinculados a universidades federais, essas unidades têm características específicas: atendem pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS), e, principalmente, apoiam a formação de profissionais de saúde e o desenvolvimento de pesquisas. Devido a essa natureza educacional, os hospitais universitários são campos de formação de profissionais de saúde. Com isso, a Rede Ebserh atua de forma complementar ao SUS, não sendo responsável pela totalidade dos atendimentos de saúde do país.

Assessoria de Comunicação de Social com informações da Ebserh

Portal do MEC